Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Um dia feliz

Como ser feliz?!

Como ser feliz?!
Há um caminho para ser feliz e para fazer o outro feliz

Hoje, mais do que nunca, a Igreja necessita de pessoas abertas à actuação do Espírito Santo, capacitadas por Deus para dar o testemunho que vence a descrença em que o mundo se afundou, homens e mulheres decididos a levar até às últimas consequências o seu "sim" a Deus, gente infatigável, experimentada na verdade.
Deus precisa de pessoas que estejam dispostas a colaborar conscientemente no Seu plano, que tenham visão, que vejam um pouco mais que o comum dos homens.
De Moisés diz-se que era como se visse o invisível.
Uma pessoa sem discernimento, padece de cegueira espiritual, não só deixa de contribuir na construção do Reino de Deus, como também acaba por atrapalhar, vive correndo sérios riscos e põe em risco outros tantos.

Há um caminho para ser feliz e fazer feliz; para tanto, é indispensável:

a) Saber o que Deus quer;
b) Procurar no Espírito Santo
a força prometida (Act 1,8) para cumprir até ao fim a vontade de Deus;
c) A sabedoria do agir.
Adquire-se a sabedoria através do amor, do silêncio e da mortificação; grande sabedoria é saber calar e não se meter em conversas e coisas que não nos dizem respeito.
Há pessoas que sabem o que fazer, que têm a visão exacta do que é correcto e até mesmo, inspirados para aquele momento, podem apontar as pessoas que estão no caminho certo, bem como as que estão no erro e em que estão a errar.
Isto é uma grande graça e um dom, desde que não se pare aí.
São Paulo dizia: "Faço o mal que não quero, e o bem que quero não faço".
Por vezes, ele tinha a clareza do que Deus queria mas reconhecia-se impotente perante a própria fraqueza. Saber só por saber, é um laço, pois quem sabe fazer o bem e não o faz, peca.

É importante ter a força para cumprir o que Deus nos revela
Não é fácil! Nalgumas situações, é humanamente impossível, exige um esforço mais que heróico, só com a graça de Deus é que se torna possível de facto.
Não é à toa que Jesus prometeu que o Espírito dar-nos-ia a força, uma força capaz de vencer o pecado em nós. Quanto mais o tempo passa, melhor percebo que sou incapaz de vencer o pecado, que diante dele sou impotente.
As minhas vitórias e progressos, bem como a minha perseverança, não obstante as derrotas, devo-as a Ele, ao Espírito que dá a força. As coisas de Deus não são complicadas, mas são radicais; é a dita porta estreita, mas o homem cheio do Espírito Santo pode passar por ela.
Há ainda pessoas que sabem o que Deus quer e têm o dinamismo e a coragem para tomar a peito a sua realização, mas deitam tudo a perder, porque não têm sabedoria. Dizem ou fazem a coisa certa, mas na hora errada ou de maneira errada.
Um exemplo é quando se trata de corrigir alguém, às vezes, sabe-se o que dizer e toma-se coragem para o fazer, mas ao fazê-lo sem caridade, estraga-se tudo; faltou sabedoria.
Há pais que querem educar os seus filhos, sabem o que lhes dizer e fazem-no, mas porque escolheram a hora errada, não são escutados e até geram conflitos.

Ó Gálatas estúpidos!
São Paulo faz uma severa exortação aos Gálatas (Gal 3,3) por terem deixado obscurecer a própria inteligência não conseguindo distinguir entre o bem e o mal.
Eles começavam pelo Espírito e terminavam pela carne. Mas esta exortação não foi tão severa como a repreensão que Jesus fez a Pedro.
No Monte Tabor, quando Jesus se transfigurou, Pedro queria armar lá três tendas e por ali ficar, sendo que estava óbvio que era necessário descer ao povo; no dia da Santa Ceia, não queria deixar que Jesus lhe lavasse os pés e logo em seguida, já queria tomar banho por inteiro; no Getsémani, cortou a orelha de um homem, e ao tentar demover Jesus dos seus propósitos, escutou as mais duras palavras do Senhor: "Afasta-te, Satanás, porque és para mim um estorvo. Os teus pensamentos não são os de Deus."
Pedro era um homem de discernimento fraco, e com isso, estorvava o plano de Deus, mas quando o Espírito o abrasou, fez dele um homem capaz de discernir os rumos da Igreja.
Um homem sem discernimento estorva a obra de Deus e os seus caminhos não são do agrado do Senhor. "Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os construtores. Se o Senhor não guardar a cidade, debalde vigiam as sentinelas.
Inútil, levantar-vos antes da aurora e retrasar até alta noite o vosso descanso para comer o pão de um duro trabalho, pois Deus o dá aos seus amados até durante o sono" (Sl 126).
Um homem de Deus precisa de conhecer a Sua vontade, senão não constrói a Igreja, mas trabalha para si.
O discernimento, Deus o dá aos seus amados para a implantação do Seu reinado.
Podemos colaborar na aquisição do mesmo pelo aumento da intimidade com o Senhor e o aprofundamento no estudo da Palavra.

 

Regressar