Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Temas de Formação

Já ouviu falar em “TOC Religioso”?

 O TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo – Religioso, existe e surge nos pensamentos

Segundo Aristides Volpato, especialista em Transtorno Obsessivo Compulsivo, o TOC é caracterizado por pensamentos específicos, imagens e palavras que “invadem” o nosso pensamento e consciência. A questão do problema é que estes pensamentos distorcidos surgem constante e repetitivamente, tornando-se, assim, uma obsessão. Este pensamento obsessivo provoca nas pessoas um sentimento de angústia, medo, aflição e falta de controle, por não conseguir controlar os pensamentos. Assim, acabam por reagir a estes pensamentos intrusos e impositivos, realizando aquilo que lhe é ordenado.

Muitos já ouviram falar sobre o TOC, mas poucos ouviram dizer que existe TOC Religioso. Esta categoria existe e é classificada como obsessiva, ou seja, que surge e é forte a partir dos pensamentos.

O que é TOC Religioso?

Quem é religioso tem TOC? Não! Há uma diferença entre o comportamento religioso e o obsessivo. Como diferenciar então? A pessoa que sofre o transtorno tem pensamentos e comportamentos irracionais, tornando-se “desajustados” aos olhos daqueles que estão à sua volta.

No âmbito da obsessão, o conteúdo dos pensamentos mais comuns são: pecado, demónio, culpa, escrupulosidade, sacrilégio e blasfêmia. Um exemplo de conteúdo do pecado: a mulher casada pensa “não posso ter relação sexual com o meu esposo, porque sentirei prazer, e isso é pecado”.

Independentemente do conteúdo que a pessoa possui, mesmo sabendo que são absurdas e ilógicas, não se consegue desvincular dele. Assim, surge o comportamento ritualizado e repetitivo para a sua sobrevivência. Como assim? A pessoa confessa-se, todos os dias, ou um dia sim e outro não. Fica, em tempo integral, com um terço que foi abençoado pelo padre X e que tem muita unção. Faz jejum diariamente como forma de penitência.

Quem tem TOC religioso tem como conteúdo do seu transtorno práticas religiosas, sendo um pouco difícil saber se é devoção e um relacionamento sadio com Deus, ou se já virou um transtorno.

Como identificar o TOC Religioso

A dica que dou é: você está a exagerar, fora do que a maioria das pessoas de referência da Igreja fazem? Se a resposta for ‘sim’, então provavelmente é TOC.

Há também uma categoria, que é a compulsão mental. Esta é mais difícil de ser notada e a mais comum. São aqueles que não conseguem fazer nada antes de uma oração específica. Neste caso, cada um tem um conteúdo diferente. Por exemplo: há pessoas que só saem de casa depois de fazer a oração do Sangue de Cristo três vezes. Ou, todas as vezes que vai fazer uma refeição, só come depois que fazer a oração de São Bento, por medo de estar contaminada a comida. Há aqueles também que acreditam que, por ser o único da casa que tem “espiritualidade”, todos os outros são impuros e pecadores, por isso precisa de rezar o terço sempre que estiver dentro da sua casa.

Poderíamos dar inúmeros exemplos, quanto à obsessão (pensamentos), compulsão (comportamento) ou associação dos dois. Mas o importante é estar atento a esta pergunta. Quanto tempo gasta com estes pensamentos? Eles geram angústia? Como se tem comportado com as suas práticas religiosas? Aquilo que era para trazer paz e confiança em Deus tem trazido incómodo, desconforto e angústia? O seu comportamento, em vez de servir de testemunho, tem dificultado ainda mais o seu relacionamento com aqueles que estão próximos?

Se a resposta for ‘sim’, você é um forte candidato a ter TOC. Procure ajuda! Procure um profissional da Psicologia que seja cristão e, se possível, um director espiritual para o orientar. Deus quer-nos perto d’Ele, mas de forma equilibrada e saudável.

Regressar