Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Temas de Formação

Como entender os pecados capitais e conseguir libertar-se deles

Podemos identificar um ou vários desses pecados, em menor ou maior grau, na vida de cada um de nós. Por isso é tão importante compreendê-los para os vencer no nosso dia a dia.

Os pecados capitais foram definidos, da forma como conhecemos hoje, no século IV. Foi o monge grego Evágrio Pôntico, por volta do ano de 360 D.C., que constituiu esta lista. O seu objectivo era fazer um levantamento dos principais vícios que atrapalhavam a sua rotina de exercícios espirituais.

E ele definiu-os assim: a gula, desejo insaciável; a avareza, apego excessivo; a luxúria, desejo passional e egoísta; a ira, intenso e descontrolado sentimento de raiva; a inveja, desejo exagerado por posses; a preguiça, pessoa que vive em estado de negligência; a soberba, orgulho excessivo.

Podemos identificar um ou vários destes pecados, em menor ou maior grau, na vida de cada um de nós. Por isso é tão importante compreendê-los para os vencer no nosso dia a dia. O pecado acaba com o coração humano e chega até mesmo a atingir o nosso psicológico e a nossa saúde física. Não foi à toa que o Salmista declarou: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia” (Salmos 31,3). Sendo assim, é importante tomar providências concretas contra isto. Viver sempre caindo no mesmo pecado leva-nos a pensar que existe algo errado que precisa de ser corrigido.

1 – TU ÉS REALMENTE CONVERTIDO?

Uma pessoa que caí sempre no mesmo pecado deve reflectir se realmente teve um encontro verdadeiro com Jesus. Isto porque muitas vezes achamos que somos convertidos de verdade, mas não o somos. Se tens dúvidas sobre isso, reza a Deus e faz um compromisso com Ele. É importante pensar nesta questão porque a Bíblia afirma que: “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado…” (1 João 3,9). Ou seja, quando temos um encontro verdadeiro com Jesus nunca mais somos dominados pela prática do pecado. O pecado torna um acidente na nossa vida e não mais uma prática.

2 - ESTÁS DESVIADO?

Uma causa muito comum de uma grande abertura para o pecado na vida de um servo de Deus é quando ele está “desviado” de Deus. Manter-se firme na obra de Deus, próximo de outros irmãos em Cristo, traz um grande fortalecimento à nossa vida. Caso tu estejas afastado das coisas de Deus, procura voltar, isto ajudará muito a dar cada vez menos brechas para a acção do pecado na tua vida.

3 – A TUA VIDA ESPIRITUAL ESTÁ EM DIA?

Sabemos que Deus é a fonte de tudo o que precisamos para viver uma vida santa. Se por algum motivo nos afastamos desta fonte, isto é, deixamos de orar, de ler a Bíblia, de fazer as obras de Deus, de ter comunhão com Ele, etc., estamos a enfraquecer o nosso espírito e, consequentemente, a fortalecer a nossa carne. Devemos lembrar que a Bíblia é clara quando diz que “a carne luta contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si” (Gálatas 5,17). Isto significa que se alimentamos pouco o nosso espírito, a carne irá ficar mais forte, e se alimentamos muito o nosso espírito a carne ficará mais fraca.

4 – TENS ESTADO EXPOSTO AO PECADO?

É muito comum acharmos que vamos vencer um pecado de forma milagrosa. Geralmente não é assim que acontece. Precisamos de agir com inteligência diante do pecado; “vigiar”. Por exemplo, muitos jovens cristãos têm problemas com pornografia e querem vencer isto. No entanto, não mudam nada nas suas rotinas. Continuam com os mesmos hábitos de quando o pecado os dominava. Fazendo assim, dificilmente vencerás. Não adianta tentar vencer um pecado esperando um milagre do céu e nem tentar vencer sem a ajuda de Deus. Na colaboração mútua o ser humano pode vencer e agradar a Deus, vivendo o que a Bíblia nos manda viver: “Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, mas sim da graça” (Romanos 6,14).

Regressar