Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Página Eucarística

Graça e ajuda oportuna

A presença de Jesus na Eucaristia é o grande mistério da nossa salvação. O pão consagrado foi o meio escolhido pelo Pai para que a salvação chegasse a nós. Temos uma linda história de amor que envolve a nossa salvação. Pela adoração ao Santíssimo, Jesus convida-nos a penetrarmos no Seu coração aberto pela lança, pois é do coração d'Ele que emana toda a cura, libertação e consolo de que necessitamos. Quando penetramos no coração do Senhor, mergulhamos no trono da graça e alcançamos a Sua misericórdia.
O coração aberto de Jesus Cristo é o lugar onde nos podemos achegar com toda a nossa confiança. Este é o lugar, por excelência, onde todas as nossas aflições, dificuldades e problemas podem ser solucionados. Até as situações mais complicadas, que, aos nossos olhos parecem impossíveis, diante do coração de Jesus são solucionadas.
Muitas pessoas pensam que o seu problema não tem solução, e no desespero, não conseguem encontrar saída para os vícios, para o pecado, para os sofrimentos. Vendo os factos, muitas vezes, é impossível encontrarmos uma saída, mas quando nos achegamos com confiança ao trono da graça, que é o Sagrado Coração de Jesus, mergulharmos no refrigério e encontramos paz.
Pela adoração ao Santíssimo Sacramento Deus liberta-nos de toda a dependência: liberta-nos da dependência de revistas e de filmes pornográficos, de uma sexualidade desregrada, que nos escraviza, e até mesmo das nossas mágoas e ressentimentos. Jesus, no Seu imenso amor, dá-Se vivo na Eucaristia, para gerar vida nova em nós e nos conduzir ao lugar que Ele mesmo nos reservou: o Céu. Para o alcançarmos precisamos de ser adoradores em espírito e em verdade, pois um coração adorador nunca volta atrás.
“Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão-de adorar o Pai em espírito e em verdade; tais são, com efeito, os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito e os seus adoradores devem adorá-lo em espírito e verdade” (João 4,23-24).
O importante não é a nossa sensibilidade diante de Jesus Eucarístico, mas a nossa fé. Na Eucaristia há um coração vivo que bate de amor por nós. O coração de Cristo é o trono da graça, onde podemos depositar a nossa vida, dele emana o amor d'Ele por nós, que se compadece dos nossos sofrimentos.
A presença real de Jesus no Sacramento da Eucaristia é cura e libertação para as nossas vidas. Muitos já beberam deste amor que emana da Corpo de Cristo e têm experimentado inúmeros milagres, curas e libertações que acontecem durante a adoração ao Santíssimo Sacramento.
Na Eucaristia está realmente presente o Corpo vivo de Jesus ressuscitado. Por isso, aquele poder curador, que curou a todos, hoje emana da hóstia consagrada e continua a curar a muitos. Adore ao Senhor de todo o coração:

Senhor, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão por todos os que crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam.
Senhor, eu sei que é do Teu coração que emanam toda cura, libertação e transformação de que eu preciso. Por isso, mergulho neste trono de graça para encontrar a Tua misericórdia. Colocando todo o meu passado, presente e futuro, já acreditando que eu não serei o mesmo.
Senhor, eu preciso de conversão. Converte o meu coração. Enche-o com o Teu Espírito Santo. Que Ele me faça uma pessoa nova. Eu já não quero ser igual. Põe em mim o Teu coração.
Ensina-me a rezar. Eu quero ser um adorador em espírito e em verdade. Porque sei que só em Ti vou encontrar toda a graça e ajuda oportuna.
Que diante de Ti todo o joelho se dobre no Céu, na terra, nos infernos.
Eu te amo, Senhor! Esta é a minha adoração.

 

Adorar Deus muda a vida dos cristãos– Cardeal Cañizares

Nesta época de secularização, seguindo o exemplo do Papa Bento XVI, temos que recuperar a prática da adoração eucarística.
«A liturgia é antes de tudo adoração. A Igreja é obra de Deus, é acção de Deus, é reconhecimento do que Deus faz em favor dos homens. E a adoração que a liturgia expressa, sobretudo a Eucaristia, é o reconhecimento de Deus, de que tudo vem d’Ele, de que tudo o que nos pertence deve chegar a Ele.»
No actual contexto de secularização, em que «se tende a esquecer Deus, a considerá-lo pouco importante para a vida», é oportuno «reafirmar que Deus é o primeiro».
«Isto é o que mudará a vida dos cristãos e da Igreja». Quando a Igreja «esquece que Deus é o centro de tudo, converte-se numa instituição meramente humana».
Uma prática secular
Ainda que a devoção eucarística tenha sido de grande importância desde os primeiros séculos do cristianismo, a adoração fora da Missa começa a ser configurada desde o séc. XI, e sobretudo após a afirmação da presença real de Cristo pelos concílios romanos de 1059 e de 1079.
A adoração eucarística recebeu um forte impulso entre os séculos XIII e XIV, com o estabelecimento da festa do Corpo de Deus em todo o mundo cristão, uma devoção que em oito séculos aumentou enormemente, especialmente após o Concílio de Trento.


Senhor, eu Te adoro profundamente
E Te agradeço por estares sempre comigo,
E porque me amas sem limites...
É grande a paz que sinto por estar em Tua companhia
e sentir que os Teus olhos estão postos em mim,
e me tocas com a Tua santa presença...
Não importam as aflições, quando sinto que sempre estarás comigo,
E que a alegria da Tua fidelidade, preenche a minha fé e o meu coração...
Por mais que não consiga entender a humildade com que vens ao meu
Encontro na Santa Eucaristia, sendo tão grande, num simples pão...
Quero que o sacrário do meu coração viva esta Aliança, esta comunhão,
recebendo-Te como o verdadeiro alimento da vida eterna...
O fogo que jamais se apagará, a sarça ardente que me consumirá de amor,
E me levará aos pastos verdejantes da eternidade...
Acolhe-me Senhor, redime-me, Senhor...
Dá-me a graça de chorar por mim mesmo
e arrepender-me quando a fraqueza e o pecado
me afastarem de Ti...
Cura o meu coração, concede-me o Teu mais profundo
amor aos menos favorecidos, a acolher os necessitados
e a amar a Tua Divina Palavra...
Proteja a minha família, os meus amigos e o mundo inteiro,
Das guerras, das epidemias, do pecado e da violência...
Que eu possa amar a Tua Igreja
e trabalhar para que ela seja mais santa e mais amada,
mas uma e mais testemunha da Tua Santidade..
Obrigado, Senhor , permanece sempre comigo e,
mesmo que atravesse o Vale da morte,
não temerei mal algum,
pois as Tuas promessas me sustentarão.
Amém !

Regressar