Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Página Eucarística

A Senhora da Eucaristia

A Senhora da Eucaristia

Devemos olhar para Maria como a Senhora da Eucaristia, a Mãe da Eucaristia, a Senhora do Santíssimo Sacramento, a Mãe do Pão do Céu. De facto, Aquele que temos no altar e que nos disse; «Tomai e comei, isto é o meu Corpo», «Tomai e bebei, este é o cálice do meu Sangue», é o Filho dilecto de Maria de Nazaré, é carne da sua carne e sangue do seu sangue, é o fruto bendito do ventre virginal de Maria.

O Jesus que celebrou a Ceia, que morreu na Cruz e que ressuscitou no Domingo de Páscoa, é o mesmo que Maria gerou no seu seio, deu à luz no Natal, apresentou no Templo, educou, ajudou a crescer. Filho de Deus e Filho de Maria, Aquele que disse de Si mesmo «Eu sou o Pão Vivo descido do Céu»; «Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue, permanece em Mim e Eu nele», nasceu de Maria Santíssima. Neste sentido, podemos afirmar que a Eucaristia é dom de Maria, é dádiva da Mãe da Eucaristia,

A Sagrada Escritura e a Tradição da vida e da fé da Igreja não apresentam em nenhum texto nem em tradição oral, que Maria estivesse no Cenáculo, instituição da Eucaristia. Por outro lado, sabemos que Nossa Senhora esteve presente na comunidade primitiva e viveu com os apóstolos e os discípulos que, segundo os Actos dos Apóstolos, se reuniam para celebrar a Eucaristia, a que chamavam «a fracção do pão».

 Podemos supor, imaginar, que Maria Santíssima participou muitas vezes na «fracção do pão». E se participou, faz-nos bem pensar com que sentimentos, com que amor, com que fé, com que devoção, com que oração Maria teria participado na Eucaristia. E se Ela comungou, se recebeu o seu Filho bem amado na Eucaristia, fechou-se o círculo, ou seja, voltou a Maria Aquele que Ela gerou pelo poder do Espírito Santo, Aquele que d'Ela saiu, no parto virginal, no presépio de Belém.

O acto sagrado que se renova no altar, a Ceia, é actualização do mistério pascal, ou seja, é presença da morte e da ressurreição de Jesus. Ora essa morte, esse sacrifício redentor, no alto da cruz, é o momento máximo do amor de Jesus ao Pai e aos homens, é o momento máximo da sua entrega e do seu sacrifício, da sua plena obediência.

E é importante pensar que esse momento de Jesus correspondeu ao «sim», ao «fiat» pleno de Nossa Senhora. É junto à cruz que Ela oferece o Filho e Se oferece com Ele, que renova o seu «sim» dum modo mais pleno e mais amoroso, e tudo isso, em mistério de amor realizado pelo Espírito Santo, está presente em cada Eucaristia. É por todas estas razões que São João Paulo II escreveu na encíclica «A Eucaristia, vida da Igreja»: «Há uma profunda semelhança entre o fiat pronunciado por Maria, em resposta ao Anjo, e o amén que cada fiel pronuncia quando recebe o Corpo do Senhor». Ou quando afirma:

«No mistério da Visitação, quando leva no seu ventre o Verbo encarnado, de certo modo ela serve de "sacrário" - o primeiro "sacrário" da história -, para o Filho de Deus…».

E o Papa perguntava: «O olhar extasiado de Maria, quando contemplava o rosto de Cristo recém-nascido e O estreitava nos seus braços, não é o modelo inatingível de amor em que se devem inspirar as nossas comunhões eucarísticas?». Maria é modelo das nossas comunhões e das nossas adorações. O seu Magnificat é modelo do nosso.

Senhora da Eucaristia, faz-nos amar o sacramento do amor pascal, a Ceia Santíssima, como aquilo que é mais essencial na nossa vida cristã, o centro e a fonte da nossa santidade e de toda a vida da Igreja.

Senhora da Eucaristia, dá-nos a graça de comungar com disposições semelhantes às tuas, de contemplar Jesus Eucaristia, ao jeito do teu olhar e da tua contemplação amorosa e repleta de fé.

Senhora da Eucaristia, faz-nos viver centrados no sacramento do amor, faz que a nossa vida se torne uma Eucaristia viva, faz que a celebremos com amor e devoção, faz-nos homens e mulheres de Eucaristia.

Senhora da Eucaristia, ajuda-nos a levar o pensamento e o coração ao sacrário, qual pólo de atracção, que nos galvanize e nos dê sede de amar Jesus, de estar, com Ele, de Lhe fazer companhia,

Senhora da Eucaristia, faz que a Igreja descubra cada vez mais e sem cessar as riquezas insondáveis da Ceia de Jesus, teu Filho, e aprenda com essa «escola de caridade» a servir e a amar.

Senhora da Eucaristia, Mãe do Pão do Céu, Senhora do Santíssimo Sacramento, faz-nos desenvolver o culto eucarístico fora da celebração, para estarmos mais unidos a Jesus em atitude de reparação e de desagravo,

Senhora da Eucaristia, dá-nos fome do Pão do Céu, dá-nos essa sede mística de Jesus, teu Filho, para que vivamos n'Ele e com Ele, em intimidade de amor eucarístico, em festa de amor alegre e jubiloso.

Regressar