Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós... Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Página Eucarística

Actualização do Mistério da Fé

Um dia antes da sua morte na cruz, Jesus quis celebrar uma Ceia de despedida com os apóstolos. Depois de lavar os pés aos discípulos, celebrou a primeira Missa. Pegou num pão e disse: “Tomai e comei todos vós: isto é o meu corpo”. Partiu o pão e distribuiu-o a cada apóstolo. Depois pegou num cálice com vinho e disse: “Tomai e bebei. Este é o cálice do meu sangue, sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós”. E completou: “Fazei isto em memória de mim”. Foi assim que os apóstolos receberam pela primeira vez a Eucaristia. E foi assim também que Jesus deu aos apóstolos o poder para celebrarem a Missa em sua memória (cf Lc 22,14-20).

A Missa, portanto, é o louvor mais importante que prestamos a Deus, por isso devemos participar desta celebração com muito amor, respeito e devoção.

Assistir à Missa apenas não basta para que nos alimentemos com o "Pão do Céu" que nos é oferecido. É preciso que participemos deste banquete, que nos aproximemos de Jesus e aprendamos com Ele a realizar a parte que nos cabe na concretização do Reino de Deus ainda nesta terra. Foi para isto que Jesus veio ao mundo: para nos ensinar a colaborar com Ele na construção de um mundo melhor - o Reino de Deus. A salvação foi-nos dada, mas Deus conta com a nossa colaboração. Por isso precisamos de nos alimentar deste banquete sagrado, para bem realizarmos a nossa tarefa.

Muita gente diz que não tem necessidade de ir à Missa, porque já reza em casa e louva ali o Senhor. Rezar em casa é excelente, mas para complementar a oração que fazemos em comunidade. Jesus diz: “onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estou no meio deles” (Mt 28,20). Assim, em torno da mesa eucarística encontra-se toda uma comunidade reunida para professar a fé no Salvador de todos nós.

Durante muito tempo o povo implorava a Deus que mandasse ao mundo um Salvador que tornasse a vida melhor. Quando um doente sofre dores agudas necessita da ajuda de terceiros para amenizar de alguma forma o seu sofrimento. Essa ajuda tanto pode vir de longe, quando alguém telefona, estimulando o doente com palavras confortadoras, ou então enviando dinheiro; ou vir de perto, quando alguém chega à presença do doente e lhe presta pessoalmente os cuidados necessários à recuperação da sua saúde.

Deus poderia muito bem ter operado a salvação de outra forma. Mas, o Pai amou tanto a humanidade, que não quis salvá-la de longe, mas enviou Jesus para amenizar bem de perto o sofrimento humano. O povo naquela época esperava por um Messias dominador, mas Deus enviou ao mundo um Messias humilde e servidor. Jesus é o Messias que se coloca ao serviço do povo para salvar, redimir, ensinar o caminho da vida através do amor que dá sentido a tudo o que acontece, inclusive aos sofrimentos que fazem parte da vida humana.

Para amenizar as nossas dores, Jesus fez-se humano como nós, entrou na nossa humanidade para nos salvar de perto. Foi solidário connosco, experimentando sofrimentos que Ele não merecia, pois nunca cometeu pecado. O sofrimento de cada um de nós é meramente humano, mas o sofrimento de Jesus além de humano é divino. Ele é o Filho de Deus que sofre e nos pode salvar, porque compreende a dimensão da nossa miséria. Fazendo-se servo, Jesus por amor a nós ofereceu-se para morrer em nosso lugar.

A Eucaristia é o memorial da Paixão, Morte e Ressurreição do nosso Salvador. A cada celebração deste Mistério da Fé, nós o actualizamos e aumentamos a nossa fé. Sem esta actualização constante, a nossa fé pode diminuir. A participação na Eucaristia, se não nos aumenta a fé, ao menos conserva a que já temos. É assim que somos alimentados com o “Pão descido do Céu” e adquirimos força para continuarmos a caminhar, sem desanimarmos diante das adversidades do nosso tempo.

O Filho de Deus fez-se humano como cada um de nós. Conheceu bem de perto os nossos anseios, necessidades, dificuldades, dúvidas, medos. Sofreu e morreu por nós, mas para continuar sempre ao nosso lado, ressuscitou e faz-se presente no Sacramento da Eucaristia. Não deixemos de prestar a Jesus todo o louvor que Ele merece. Reunamo-nos com frequência em torno da mesa eucarística e habituemo-nos também a adora o Santíssimo Sacramento, para agradecer a Deus os benefícios recebidos, implorar o perdão dos pecados, pedir graças e favores.


Regressar