Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

O Carnaval

Carnaval: O céu e o inferno querem-te

Carnaval: O céu e o inferno querem-te 
O céu e o inferno disputam-te neste tempo de Carnaval. A verdade é exactamente esta, não só no tempo de Carnaval, mas em todos os tempos. Onde a arte se confunde com o pecado e o pecado se confunde com a arte.
O diabo é um viciado em querer imitar o que Deus faz. Deus faz algo muito bonito e ele quer fazer caricatura daquilo, e faz tão bem parecido que muitas vezes nos engana.

Já tentaste ler um texto sem pontuação, sem acentuação, sem vírgulas, sem acentos, sem ponto final? Fica sem sentido, começamos a ler e não sabemos para onde o escritor foi, se ele afirma, exclama, interroga. Mas quando colocamos as vírgulas, os pontos, enfim a acentuação, nas palavras e nas frases, pronto, o texto começou logo a ter sentido. E assim é connosco, a nossa vida começa a ter sentido.

O texto da nossa vida passou a ter sentido. Óptimo. Porém, este texto que é a nossa vida também tem um contexto familiar, profissional e sentimental. E nestes dias de Carnaval corre-se um grande perigo de perder de novo o sentido da vida, porque nos encontramos num outro contexto, onde o inferno quer penetrar em ti misturando com a beleza plástica do Carnaval, com situações concretas de pecado. São os contextos ou o contexto onde a nossa vida passa a ser inserida por uns quatro ou cinco dias de Carnaval.

Quem está em Deus só ganha. Ganha graça sobre graça, apesar de todas as tribulações, agitações, as doenças, os desempregos, as dificuldades. Quem está em Deus só vai somando graças, somando experiências, realizações, pessoas, amizades, e vai somando gratidão, realizações comunitárias, e vamos somando e somando durante o ano. E quando chegamos a este período, corremos o grave risco de perder tudo o que juntamos e recebemos de Deus.

A Palavra de Deus traz-nos um versículo muito importante: Romanos 8,8 muito conhecido entre nós: ‘Os que vivem segundo a carne não podem agradar a Deus’. E o que nós vemos no Carnaval são pessoas que vivem dias de carne. Sabias que o Carnaval era uma festa cristã? Onde ‘carnevale’ quer dizer ‘vale comer carne’?
Os primeiros cristãos que iriam entrar no período de 40 dias sem comer carne, relembrando os 40 anos no deserto, faziam uma festa, onde valia a pena porque ficariam 40 dias seguintes sem comer carne. Uma festa antiquíssima.

Os não cristãos, invejosos, começaram a criar uma nova festa. Não uma festa que precedia um período de penitência e sim uma festa qualquer onde o ‘Carnavale’ começou a ser secularizada.

Cabe a nós decidirmos para que lado vamos pender. A quem nós iremos ouvir: a Deus ou ao seu inimigo, o Diabo?
E para falar a verdade nós sabemos discernir o que é melhor para nós. Nós temos inteligência, sabedoria que é dom de Deus, temos a malícia, a esperteza para fazermos o bom discernimento do que é bom e ruim para nós, e às vezes a voz da consciência, que muitas vezes é a voz de Deus avisando para não fazer aquilo, ou isso.

Optamos por Deus, mas naquele momento ouvimos a voz de Deus e não damos atenção. Acabamos por fazer o que a carne nos pede, o décimo mandamento começa a ser infringido e a carne fica em evidência.

’Pudor, é manter secreto aquilo que é precioso’. E o que mais vemos nesta época são filhos e filhas de Deus nus, nas propagandas de TV, mulheres templos do Espírito Santo de Deus, exibindo a sua carne.
Nós que somos cristãos, conscientes, radicais, temos raízes, temos a Eucaristia, Corpo e Sangue de Cristo. Nós fazemos a opção de louvar e adorar, de ouvir a voz do Senhor. Alimentamo-nos de um Pão vivo, e para cada um de nós Deus tem um plano. E muitos não querem saber deste plano, que para alguns, ao longo destes dias se perdeu.

Quero partilhar esta Palavra que está em Romanos 8, 18 – 24: ‘Tenho para mim que os sofrimentos da presente vida não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada. Por isso, a criação aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus. Pois a criação foi sujeita à vaidade - não voluntariamente, mas por vontade daquele que a sujeitou - todavia com a esperança de ser também ela libertada do cativeiro da corrupção, para participar da gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Pois sabemos que toda a criação geme e sofre como que dores de parto até o presente dia. Não só ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, gememos em nós mesmos, aguardando a adopção, a redenção do nosso corpo. Porque pela esperança é que fomos salvos.’

A natureza, a criação anseia, espera ansiosamente pela revelação dos filhos de Deus, tu és filho (filha) de Deus! Chegou a nossa hora! Tu optaste por Jesus Cristo. E escolheste muito bem. Porém, lembra-te: haverá sempre confrontos entre o bem e o mal.

Acorda e dá um bom dia ao Espírito Santo e diz: Hoje vou fazer isto e isto.
Como o irei fazer?
Porque todos os dias são dias de escolha.
Que em cada dia sejas vencedor.



Regressar