Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Namorar

Vou-me casar! O que fazer?

 Vou-me casar! O que fazer?  

Conselhos do Papa Francisco, para os noivos que se vão casarMuitas mulheres sonham com o dia do seu casamento, pois consideram que, depois de realizarem este sonho, serão muito felizes. Mas como se preparar para este momento? O que fazer?Na exortação pós-sinodal Amoris Laetitia podemos tirar possíveis conselhos do Papa Francisco, para que as noivas vivam bem este momento especial e, assim, descubram o valor e a riqueza do matrimónio.1- Ter a coragem de ser diferente. O Papa Francisco alerta para não se deixar levar pela sociedade do consumo e da aparência. “O que importa é o amor que vos une, fortalecido e santificado pela graça.”2- Dar prioridade ao amor. Não se concentrar nos convites, na roupa nem na festa com os inúmeros detalhes. Por isso, o Papa diz que “os noivos chegam desfalecidos e exaustos ao casamento, em vez de dedicarem o melhor das suas forças a prepararem-se como casal para o grande passo que, juntos, vão dar”.3- Optar por uma festa simples. Porque, diz o Papa, os noivos pensam demasiadamente “nas elevadas despesas da festa, em vez de darem prioridade ao amor mútuo e à sua formalização diante dos outros”. Mais uma vez, o amor deve estar acima de tudo.4- Viver com profundidade a celebração litúrgica. Aqueles que desejam casar precisam de compreender bem cada gesto da celebração, pois o matrimónio cristão é interpretado como sinal do amor do Filho de Deus feito carne, que se uniu com a sua Igreja em aliança de amor.5- Valorizar a promessa que será feita. Por detrás do ‘sim’ que é dado um ao outro, há um “sentido teológico e espiritual, que é o consentimento. O Papa destaca que o consentimento mostra que “liberdade e fidelidade não se opõem uma à outra; mas, apoiam-se reciprocamente. “A honra à palavra dada e a fidelidade à promessa não se podem comprar nem vender. Não podem ser impostas com a força nem guardadas sem sacrifício”.6- Não se preocupar tanto com o dia do casamento. Por causa disso, acontece o esquecimento de um compromisso que dura a vida inteira. O Papa Francisco salienta que “o sacramento não é apenas um momento que depois passa a fazer parte do passado e das recordações, mas exerce a sua influência sobre toda a vida matrimonial, de maneira permanente”.7- Promover a vida e estar aberto a ela. O maior significado procriador da sexualidade matrimonial é a abertura para acolher a vida, dom de Deus. Essa sexualidade expressa-se na linguagem do corpo e dos gestos de amor, vividos na história de um casal. Tudo isto se pode dizer que é uma contínua e ininterrupta liturgia do matrimónio.8- Rezar juntos. É bom chegarem ao matrimónio como pessoas orantes! “Pedir ajuda a Deus para serem fiéis e generosos, perguntando juntos a Deus o que espera deles”.9- Consagrar-se a Maria. O Papa pede para que o amor dos noivos seja consagrado diante de uma imagem de Maria.10- Não perder a oportunidade de acolher Jesus. Foi nas bodas de Caná que Jesus iniciou o seu primeiro sinal ao transformar água em vinho. Acolher Jesus é ter a certeza de que, em todas as situações difíceis que poderão surgir, Ele sempre estará presente para que o “vinho do amor” não venha faltar.

Regressar