Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Namorar

Namoro em Deus: é possível?

Namoro em Deus: é possível?

Um dia resolvemos ir a Fátima consagrar o nosso namoro a Nossa Senhora, e como estava a haver a Adoração ao Santíssimo Sacramento, fomos agradecer ao Senhor ter-nos juntado como amigos. Consagrámo-nos a Ele e pudemos experimentar na sua presença, o que é um beijo santo (sem a sedução e segundas intenções que o mundo ensina). No fim da adoração, o sentimento que tínhamos era de responsabilidade pelo que Deus nos estava a confiar com o namoro: o nosso testemunho de santidade x castidade.

Por necessidade de ofício tivemos que nos separar durante cinco meses. Cinco meses distantes um do outro, mas pudemos experimentar nesse tempo a alegria de namorar a três: eu, o Pedro e Jesus Sacramentado e foi um tempo rico porque a mão de Nossa Senhora conduzia-nos também. Os nossos sentimentos cresciam e o nosso amor criou raízes por causa da distância. Após cinco meses, o Pedro voltou e todas as vezes que nos encontramos, valorizamos estes momentos, conversando muito e rezando juntos. Respeitamo-nos e somos responsáveis um pelo outro. Conseguimos reconhecer que somos a ajuda adequada um para o outro e percebemos quanto nos completamos.

Tudo isto é graça de Deus e nós não somos a excepção. Somos a regra, ou seja: Deus quer estar à frente na concretização do estado de vida de todas as pessoas. Ele quer conduzir porque faz tudo com perfeição e na hora certa. E para sermos fiéis no casamento, é preciso a fidelidade hoje em tudo: ser casto hoje, ser santo hoje, ser comprometido hoje... e haverá frutos para colher amanhã.

Regressar