Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Namorar

As fases do namoro

 

As fases do namoro  

A grande maioria das pessoas, quando imaginam um namoro, consideram como essencial para o êxito desse relacionamento o constante sentimento de paixão. Tanto para iniciar como para o manter, essa emoção é valorizada demais, como maior referência para que a pessoa oriente as suas futuras decisões em comprometer-se “para sempre” com o outro ou desligar-se dele.

Embora saibamos que o intuito do namoro é dispor-se a conhecer e amar uma pessoa especial para eternizar um compromisso com ela, outros aspectos devem pautar o relacionamento amoroso. Comumente, ouvimos de casais, que resolveram terminar o namoro, os comentários: “O amor acabou!”, “Incompatibilidade de génios!”, “Não era para ser!”, “Tantas diferenças tornaram impossível continuarmos”.

Tudo isto porque, depois de um tempo, as emoções do início diminuem e não vemos a chance de, a partir daí, incluir, no relacionamento, as dimensões mais elevadas como a disposição da vontade e da doação ao outro.

Por que é que as pessoas se vêem tão atraídas por alguém, e em vez de conseguirem cultivar cada vez mais o que de bonito havia nos seus corações, terminam por colher decepção? O que faz o amor acabar? O que torna tão pesado lidarmos com as diferenças?

É certo que não existe uma “fórmula do amor” ou uma cartilha de como fazer. Talvez por isso, ficamos tão atrelados e norteados somente pelos sentimentos.

Felizmente, o ser humano tem vocação ao amor e por isso é capacitado para superar, a dois, as dificuldades para se realizarem. Só que isto não acontece de imediato, mas por uma gradualidade. É processual. Vamos aprendendo a amar a outra pessoa, por isso podemos pensar nessa caminhada em estágios.

A primeira fase é a do “sentimento”. A segunda fase será do “conhecer”. Terceira fase: “decisão”. A quarta fase será a de “unir os corações”. E a última fase é o “noivado”.

Mas, não basta saber da existência das fases, é preciso aprofundar, estudar, conhecer o significado de cada uma delas e analisar mediante estes conceitos. Só assim, envolvendo-se e comprometendo-se com aquilo que comporta um namoro virtuoso é que estas etapas indicarão um caminho, um roteiro, de como atingir e superar cada nível. Por estas fases poderemos identificar manias e erros mais comuns em namoros, além de possíveis falhas no seu último relacionamento, principalmente, tu te perceberás capaz de ultrapassar barreiras, verás que pelo respeito e amor é possível vencer os desafios do casal e transformá-los em decisão e felicidade.

Regressar