Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Mais saúde

A importância da atividade fí­sica para o idoso

 A importância da atividade física para o idoso  

A atividade física regular é necessária para a promoção da saúde

Como para qualquer idade, a atividade física traz sempre benefícios, porque nos dá mais disposição, motivação, raciocínio, destreza, equilíbrio e coordenação, diminui as disfunções cardiovasculares e a osteoporose. A prática de atividade física também ajuda no fortalecimento muscular, na redução da pressão arterial e frequência cardíaca em repouso, além de auxiliar na prevenção de diabetes, depressão, ansiedade e sedentarismo.

Quando o idoso busca a atividade direcionada, tem influência em toda a sua parte física e psicológica, o que lhe dá longevidade e motivação para continuar a viver.

A atividade física regular e a adoção de um estilo de vida ativa são necessários para a promoção da saúde e a qualidade de vida durante o processo de envelhecimento.

Influência da atividade física

Isto pode-se notar na pesquisa feita e colocada no artigo: Influências da prática de atividades físicas na terceira idade: estudo comparativo dos níveis de autonomia para o desempenho nas AVDs (Atividade da vida diária) e AIVDs (Atividades instrumentais da vida diária) entre idosos ativos fisicamente e idosos sedentários. “Os resultados encontrados apontam que os indivíduos sedentários apresentam nível inferior de autonomia para o desempenho nas AVDs e AIVDs quando comparados aos indivíduos ativos fisicamente, tendo maior incidência entre os idosos avançados. Segundo Jacob Filho (2006 pg. 74), “o sedentarismo pode ser, isoladamente, responsável por grave estado de limitação da saúde do idoso, mormente os mais longevos”.

Foi possível avaliar, por meio destes dados, que a prática regular de atividades físicas favorece a manutenção de bons níveis de autonomia na terceira idade. Shephard (2003, pg. 296) afirma que “o envolvimento regular em atividade física pode retardar o período de tempo em que a capacidade funcional declina até ao limiar crítico para a perda de independência”.

Novais et al. (2005, pg. 188) relatam que, “quanto mais ativa é a pessoa, menos limitações ela tem, concluindo que a atividade física é um fator de proteção funcional não só na velhice, mas em todas as idades”. Portanto, a prática de atividade física promove, além da prevenção, a reabilitação da saúde do idoso, pois acrescenta melhoras à aptidão física e, consequentemente, facilita a manutenção de bons níveis de independência e autonomia para as atividades da vida diária (PINHEIRO et al. 2004 apud SIMÃO, 2004).

Rompa com o sedentarismo

O sedentarismo leva não só os idosos ao decréscimo das suas capacidades funcionais, mas todas as pessoas de diversas idades. Quanto mais cedo a pessoa inicia a sua atividade física, mais retardará as limitações físicas do seu dia a dia como equilibrar, andar, sentar e levantar, assim como as outras citadas acima.

Muitos, quando chegam à fase idosa, já não têm mais perspectiva de vida, e ficam à espera do seu último dia. No entanto, a nossa vida foi feita para ser aproveitada até ao último instante, onde temos de dar o máximo de nós, de acordo com a possibilidade de cada um.


Regressar