Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Jovens com Valor

De médico a sacerdote, Pere Tarrés Claret

De médico a sacerdote, Pere Tarrés Claret 

Médico espanhol de origem catalã que se fez sacerdote, apóstolo e formador de jovens:
Já desde jovem estudante e médico «percorreu os caminhos da santidade», e como sacerdote «dedicou-se a uma intensa actividade pastoral e trabalhou, em particular, na formação da juventude da Acção Católica.
Também assessor eclesiástico da associação, Pere Tarrés Claret foi «um grande educador, diz quem o conheceu, que sabia ensinar a amar», reconhece a Acção Católica Italiana.
Originário da cidade de Manresa, onde nasceu a 30 de Maio de 1905, Pere Tarrés Claret era filho de um casal fiel e exemplar formado por Francesc (mecânico de profissão) e Carme. Ele tinha mais duas irmãs.
De carácter alegre e aberto, amante da natureza e contemplativo - descreve a Santa Sé -, Pere habitualmente ajudava numa farmácia cujo dono o animou a prosseguir os estudos, que tinha cursado com os escolápios e os jesuítas.
Graças a bolsas de estudo pôde entrar na Faculdade de Medicina da Universidade de Barcelona. Enquanto residia nesta cidade, participou no Oratório de São Felipe Néri.
Foi membro da Federação de Jovens Cristãos da Catalunha com grande zelo apostólico e tanto na Federação como na Acção Católica desempenhou cargos simultaneamente.
«Para Pere o segredo da vida espiritual dos militantes está na devoção eucarística e no amor filial à Mãe de Deus», afirma a biografia distribuída pela Santa Sé. Com 22 anos, e com aprovação do seu director espiritual, Pere fez voto de castidade.
Em 1928, depois de ter concluído a carreira de Medicina, estabeleceu-se definitivamente em Barcelona. Com o seu colega, o doutor Gerardo Manresa, fundou o sanatório-clínica de Nossa Senhora da Mercê nessa mesma cidade.
Manteve-se «exemplar na caridade e na vida de piedade» durante o exercício da sua profissão médica. Pere jamais perdeu esta «alegria contagiosa» que lhe permitia tratar com respeitosa familiaridade os enfermos».
Durante o agitado período da guerra civil espanhola, refugiado em Barcelona, levava a comunhão escondida atendendo heroicamente numerosos feridos, e não perdeu a ocasião de manifestar a sua fé.
Em Janeiro de 1939 voltou a sua casa e ingressou no Seminário de Barcelona nesse mesmo ano. Foi ordenado sacerdote a 30 de Maio de 1942.
Múltiplas actividades pastorais lhe foram encomendadas em pouco mais de oito anos de presbítero. Entre estas, foi vice-assistente diocesano em Barcelona dos jovens da AC e assistente do centro paroquial das mulheres e das jovens da AC da paróquia de São Vicente de Sarriá.
«Nas diferentes obras apostólicas a ele encarregadas não faltaram dificuldades que o fizessem sofrer, mas ele soube responder com atitudes evangélicas de caridade, prudência e fortaleza, semeando desde a cruz a terra do seu apostolado», aponta a Santa Sé.
Em 1945 escreveu no seu Diário que se sentia «submerso no oceano do apostolado, como havia sonhado por tanto tempo, com o mesmo fogo e entusiasmo que, desde leigo, sentiu pela Federação» de Jovens Cristãos.
Diagnosticado de um linfossarcoma linfoblástico, viveu a sua enfermidade com uma atitude de total abandono em Deus e oferecendo a sua vida pela salvação dos sacerdotes.
Passados três meses, a 31 de Agosto de 1950 Pere Tarrés Claret morreu na clínica que havia fundado.

 

 

Regressar