Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Espiritualidade

Efeito retroactivo da oração

EFEITO RETROACTIVO DA ORAÇÃO

 

O Sr.‘Thompson era um americano furiosamente ímpio.

Não permitiu que as filhas fossem baptizadas, nem na religião católica, nem na protestante. Uma delas, chamada Mythle morreu sem que o pai a deixasse receber o baptismo.

Passados anos, Thompson converteu-se à religião católica.

Fê-lo com toda a alma, tomando-se cristão fervoroso.

Agora, que tinha fé, pensava:

— Onde estará a minha filha Mythle?

No céu não está certamente porque morreu sem baptismo. E a culpa foi minha e só minha. Este pensamento atormentava-o sempre, como terrível pesadelo.

Um dia foi desabafar a sua mágoa com o Padre Hayes, que mais tarde seria Cardeal Arcebispo de Nova Iorque.

        O que poderei fazer, meu Padre, pela minha filha?

        Rezar a Deus por ela.

        Mas, de que lhe pode servir a minha oração, se morreu sem baptismo?

        Peça a Deus pela menina e deixe o resto nas mãos de Deus.

        Mas que pode fazer o próprio Deus por ela, se tudo pertence ao passado e o passado não tem remédio? Se à hora da morte a minha filha não se salvou, nem o próprio Deus a vai agora meter no céu.

        Mas, o Senhor não sabe que para Deus não há passado nem futuro?

        Então, se pedir agora pela minha filha, ela salvar-se-á?

        Eu não disse tal coisa — respondeu o Padre Hayes. Afirmo que Deus, para quem até o futuro é presente, vendo a oração que o Senhor agora faz pela sua filha, pode ter ouvido essa oração e ter salvado a menina.

Por outras palavras: Deus pode ter atendido a oração que já sabia que o Senhor havia de fazer.

Thompson foi-se embora muito consolado com esta explicação.

Durante anos bombardeou o céu com orações para que a sua filhinha se tivesse salvado.

Certo dia aparece radiante de alegria em casa do Padre Hayes.

        Padre, — exclama muito feliz — Deus ouviu a minha oração. A minha filhinha salvou-se e está no céu.

Pensou o sacerdote que o pobre homem tivesse perdido o juízo, mas logo se convenceu que estava a falar a sério.

  • Imagine, Padre, que Betsy, uma velha criada católica irlandesa, que durante largos anos serviu em minha casa, me veio ontem visitar.

  • E então?

  • Quando soube que eu me tinha convertido ao catolicismo, abraçou-me e beijou-me de alegria.

  • Como Deus é bom! — disse ela. Rezei muitos anos pela sua conversão e, enfim, tive o gosto de ver o meu pedido satisfeito.

    No meio da conversa contei-lhe a minha aflição pela minha filhinha ter morrido sem baptismo.

  • Qual filhinha? — perguntou a criada.

  • Mytle, de quem você gostava tanto.

  • Quem é que lhe disse que Mytle morreu sem baptismo?

  • Eu proibi até ao último momento que lho administrassem.

  • Mas eu não fiz caso das suas proibições. Era o que faltava! Sem que o Senhor soubesse, levei-a a baptizar à Paróquia.

  • Como? Será verdade? — pergunta o velho pai?

  • Tão verdade como eu estar aqui. Se quer tirar as dúvidas, vamos à Paróquia e ali poderá ver o registo de baptismo de Maria Mytle.

    O Senhor Thompson lá foi. E agora mostrava ao Padre Hayes a certidão de baptismo da filhinha. A sua oração tinha tido efeito para trás, no tempo. Deus, atendendo às suas futuras súplicas, fez que acriada levasse a menina a baptizar.

     

    Muitos séculos antes da vinda de Cristo à terra, Deus perdoava os pecados dos homens atendendo à paixão e morte que o seu Divino Filho tinha de sofrer por nosso amor.

    Também agora pode atender às orações que já sabe que daqui a muito tempo, Lhe hão-de ser dirigidas.

Regressar