Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

A Família

Que passagens bíblicas ler aos filhos antes de dormir?

As crianças gostam muito de histórias, especialmente à noite. Por quê então não ler para eles de vez em quando passagens da Bíblia, em vez dos contos de sempre?

Entre todos os livros, entre todas as histórias, a Bíblia ocupa um lugar muito especial pois ela é a Palavra de Deus.

Que histórias contar?

A Bíblia, como sabemos, é uma verdadeira biblioteca: 73 livros, incluindo relatos históricos, poemas, orações, cartas. Nós próprios temos dificuldade em encontrar o nosso caminho e alguns livros às vezes parecem místicos demais! Por isso, podemos começar com histórias que, cheias de imagens e reviravoltas, chamam a atenção das crianças, como por exemplo a história de Abraão, a de Moisés ou a de David. Não precisamos de nos preocupar em dar interpretações ou explicações. Precisamos simplesmente de narrar, para familiarizar a criança com a história do Povo de Deus.

Vamos contando um “episódio” de cada vez, deixando a criança curiosa com o que vem depois. Não é preciso respeitar uma ordem cronológica, pois a Bíblia não é um simples livro de histórias. Se a criança quiser ouvir novamente uma passagem que já conhece bem, em vez de passar para a próxima, respeitemos o seu desejo. É assim que passamos a conhecer a Bíblia, “ruminando”, lendo e relendo as mesmas passagens.

Não esquecer os quatro Evangelhos

Podemos escolher alguns episódios da vida de Jesus que permitem que a criança entenda que Jesus era um homem como nós, mas sem pecado. Contemos também parábolas. Às vezes até parece que são adaptadas às crianças pela sua maneira vívida de apresentar a verdade. Na realidade, muitas delas são difíceis porque a mensagem essencial não está clara à primeira vista. No entanto, histórias como a ovelha perdida, o filho pródigo ou o bom pastor ajudarão a criança a descobrir o amor de Deus.

Os milagres nem sempre são fáceis de contar, porque a criança provavelmente ficará deslumbrada sem conseguir entender o significado do milagre. O milagre é um sinal do Reino de Deus presente no meio de nós. Ou seja, o principal é o amor de Deus que nos salva, não esta ou aquela cura espectacular. Deus não é um mágico, ele é muito mais e muito melhor: é um Pai, todo-poderoso em amor.

Respeite o máximo possível o texto original, mesmo que pareça difícil para eles. E aí vamos favorecendo uma “escuta interna” da criança e para isso, devemos evitar adicionar os nossos próprios comentários. Não esqueçamos que “Deus se revela aos pequenos, mais do que aos sábios e aos eruditos”. Ao ouvir a Palavra, as crianças descobrem muitas vezes tesouros que permanecem escondidos para nós.

Leia e medite com as passagens da Bíblia antes de as ler às crianças

Sempre que possível, antes de contar uma passagem da escritura, comecemos por lê-la nós mesmos, no texto original. Em seguida, devemos meditar e “ruminar” a palavra em oração. Porque a Bíblia é uma palavra viva. Quanto mais vivermos pela palavra de Deus, mais saberemos contar a Bíblia de forma “viva”, ou seja, como a palavra de Deus que vive no meio de nós.

Não importa que não entendamos tudo, não importa se ignoramos todo ou quase todo o contexto em que um determinado livro foi escrito ou as últimas descobertas exegéticas a respeito dele. Os dois pontos importantes quando contamos ou lemos a Bíblia às crianças é que ela é uma palavra viva para nós e que a recebemos na “Tradição viva de toda a Igreja”. Por outras palavras, procuremos entendê-la e interpretá-la, não a partir das nossas próprias impressões, mas à luz do que a Igreja nos diz.

Não lemos a Bíblia para nossos filhos para que eles “aprendam coisas”, mas para que eles descubram com que amor Deus os ama. O objectivo não é fazê-los descobrir a Bíblia, mas fazê-los descobrir Deus. É por isso que não saberíamos ler a Bíblia se ela não nos fosse dada pela Igreja, não saberíamos lê-la sem “vivê-la” através da oração, dos sacramentos e do amor concreto de Cristo e dos nossos irmãos.

Christine Ponsard

Regressar