Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

Um quarto de hora diante do Altíssimo

UM QUARTO DE HORA DIANTE DO ALTÍSSIMO

No diálogo “Um Quarto de Hora diante do Altíssimo”, Sto. António Maria Claret deixa Jesus falar a cada alma pessoalmente: “Não é preciso saberes muito para me agradares, basta que ames a Mim próprio. Fala pois coMigo com a simplicidade com que falarias com o teu amigo mais próximo.

Tens alguma coisa a pedir-Me por alguém?
Diz-me o seu nome e o que Eu poderia fazer agora por ele.
Pede muito! Não hesites em pedir. Fala-Me também com simplicidade e sinceridade dos pobres que queres consolar; dos doentes que vês sofrer; dos desencaminhados que desejas ardentemente que regressem ao caminho certo. Por todos eles, diz-me pelo menos uma palavra.

E para ti, não precisas de alguma graça para ti?
Diz-Me francamente que talvez sejas orgulhoso, egoísta, inconstante, negligente... e pede-Me depois que venha em teu auxílio nos poucos ou muitos esforços que fazes para te libertares disso. Não tenhas vergonha! Há muitos justos, muitos santos no Céu que tiveram exactamente os mesmos defeitos. Mas pediram com humildade... e pouco a pouco foram-se vendo livres deles.
Não hesites também em pedir saúde, bem como uma saída feliz para os teus trabalhos, negócios ou estudos. Tudo isto te posso dar, e dou-te. E desejo que Mo peças, desde que não seja contra a tua santificação, mas que te beneficie e apoie. E de que precisas hoje mesmo? Que posso Eu fazer por ti? Se tu soubesses como desejo tanto ajudar-te!

Tens contigo algum plano?
Então, conta-Me. Que te preocupa? O que pensas? O que desejas? O que posso fazer pelo teu irmão, tua irmã, teus amigos, tua família, teus superiores? O que gostarias que fizesse por eles?
E em relação a Mim: Não desejas que Eu seja glorificado? Não gostarias de poder fazer algum bem aos teus amigos, que talvez ames muito, mas que talvez vivam sem pensarem em Mim?
Diz-Me: O que desperta hoje em especial a tua atenção? O que desejas ardentemente? De que meios dispões para o conseguir? Conta-Me se algum empreendimento te corre mal, e Eu te direi as razões do insucesso. Não gostavas de Me conquistares para ti?

Sentes-te talvez triste ou de mau humor?
Conta-Me com todo o pormenor o que te faz triste. Quem te magoou? Quem feriu o teu amor próprio? Quem te desprezou? Conta-me tudo, e em breve chegarás a ponto de Me dizeres que, seguindo o Meu exemplo, tudo perdoas, tudo esqueces. Como recompensa, receberás a Minha bênção reconfortante. Terás medo, talvez? Sentes na tua alma uma melancolia indefinida, que é na verdade injustificada, mas que apesar disso não acaba, que te destroça o coração? Lança-te na providência dos Meus braços! Eu estou contigo, do teu lado. Vejo tudo, oiço tudo, e nem por um momento te abandono. Sentes a relutância entre as pessoas, que antes gostavam de ti e que se afastam de ti sem que tu lhes tenhas dado o mínimo motivo? Pede por elas e Eu as reconduzirei para junto de ti se elas não forem impedimento para a tua santificação.

E não terás a comunicar-Me alguma alegria?
Porque não Me deixas participar dessa alegria, dado que sou teu amigo? Conta-me aquilo que desde a última visita que Me fizeste confortou o teu coração e te fez sorrir. Talvez tenhas experimentado agradáveis surpresas; talvez tenhas recebido boas notícias, uma carta, um sinal de afecto; talvez tenhas superado uma dificuldade, tenhas saído de uma situação sem saída. Tudo isto é obra Minha. Só tens que me dizer simplesmente: Obrigado, Meu Pai!

Não queres prometer-Me nada?
Leio no fundo do teu coração. É fácil enganar os homens, mas não a Deus. Fala pois comigo com toda a sinceridade. Estás firmemente decidido a nunca mais te expores àquela ocasião de pecado, a renunciar àquele objecto que te prejudica, a deixar de ler aquele livro que provocou a tua imaginação, a deixar de falar com aquela pessoa que perturba a paz da tua alma? Queres voltar a ser gentil, amável e complacente para essa outra pessoa que até agora consideravas hostil porque te tratou mal?
Muito bem, regressa agora à tua ocupação habitual, ao teu trabalho, à tua família, ao teu estudo.
Mas não te esqueças do quarto de hora que ambos passámos aqui. Guarda, na medida em que possas, silêncio, modéstia, recolhimento interior, amor ao próximo. Ama a Minha Mãe, que também é tua.
E volta com um coração ainda mais cheio de amor, ainda mais devoto do Meu espírito. Se o fizeres, cada dia no Meu coração encontrarás novo amor, novos benefícios, novas consolações.”

Regressar