Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

Objectos religiosos e objectos benzidos

O valor dos objetos religiosos e dos objetos benzidos

Na luta contra Satanás são usados frequentemente objetos benzidos. Por quê?

Além de problemas espirituais específicos, temos que manter sempre dentro de casa imagens, estátuas ou capelinhas abençoadas com objetos religiosos, como sinal de que pertencemos a Deus, porque são uma lembrança constante da nossa consagração à Trindade por meio do batismo.

Mas eles são importantes também porque dão testemunho visível para quem mora connosco e para quem visita a nossa casa. E, é claro, é bom usar objetos benzidos e trazê-los sempre connosco, no bolso, ao pescoço. Um deles pode ser a medalha de São Bento. São Bento não era padre nem exorcista, era um simples monge, mas tinha um grande poder contra os demónios. Por quê? Porque tinha uma grandíssima fé, que é a verdadeira "arma letal" contra o nosso inimigo, o diabo.

Mas há outros objectos religiosos: o escapulário, as medalhas abençoadas, as imagens de santos, as relíquias deles... Mas tudo isto, é importante ressaltar, não nos pode levar à superstição, que é um pecado grave em si mesma. Se estes objetos não tiverem o respaldo de uma fé concreta, feita de caridade ativa, eles não têm valor nenhum.

Há uma passagem na Bíblia que confirma esta prática piedosa: "Deus operava prodígios incomuns pelas mãos de Paulo, a ponto de colocarem sobre os doentes lenços que tinham estado em contacto com ele e as enfermidades cessarem, além de fugirem os espíritos malignos" (Atos 19,11-12).

O diabo tem uma repulsa natural por qualquer objeto sagrado e pelos instrumentos do dia a dia que foram abençoados: máquinas, ferramentas, etc., porque foram tirados do alcance do seu poder.

Por isso é uma boa tradição abençoar as casas, carros, animais, os alimentos, etc.

Regressar