Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

Masturbação: como enfrentar este problema

 

Masturbação: como enfrentar este problema

 

É grande a luta do jovem cristão contra o vício da masturbação.

A sua prática é bastante comum entre os rapazes e as raparigas; é um dos principais problemas enfrentados pelos jovens cristãos.

Mas fica a saber que a masturbação não é indício de distúrbio de personalidade ou de problema mental. É um problema muito antigo na humanidade; já o “Livro dos Mortos”, dos egípcios, a condenava por volta do ano 1550 antes de Cristo. Pelo código moral dos antigos judeus era considerado pecado grave.

Há homens casados que continuam a masturbar-se, embora tenham uma vida sexual regular com a esposa. Isto mostra que o vício da juventude continuou e prejudica o casamento.

Embora as aulas de “educação sexual”, muitas vezes, ensinem que esta prática é normal, e até necessária, na verdade, é contra a natureza e contra a lei de Deus. Infelizmente, nessas aulas e manuais sobre o assunto, os alunos são aconselhados a não terem sentimentos de culpa, angústia ou ansiedade ao fazê-lo, e ensinam que não é prejudicial à saúde. Isto não é verdade; muitos médicos afirmam que ela é prejudicial ao jovem tanto física como psicologicamente.

A Igreja ensina que é um ato desordenado. Embora defendida por muitos como “algo normal”, a Igreja ensina que não: “Na linha de uma tradição constante, tanto o magistério da Igreja como o senso moral dos fiéis afirmam sem hesitação que a masturbação é um ato intrínseco e gravemente desordenado”. “Qualquer que seja o motivo, o uso deliberado da faculdade sexual fora das relações conjugais normais contradiz a sua finalidade” (Catecismo da Igreja Católica §2352).

Então, o jovem e a jovem cristãos, devem lutar contra a masturbação, com calma, sem desespero e sem desânimo, sabendo que vão vencer esta luta com Deus, na hora certa. Para isso, algumas atitudes são importantes:

1 - Ter calma diante do problema. Tu não és nenhum desequilibrado sexual, nem impuro. Tu não és uma aberração porque te masturbas. Enfrenta o problema com calma e com fé.

2 - Corta todos os estimulantes do vício. Deita fora todas as revistas pornográficas, livros e filmes eróticos que costumas ver. E não fiques a olhar para o corpo das raparigas ou dos rapazes alimentando a tua mente com desejos eróticos. Deixa de assistir aos programas de TV que cada vez mais deitam pólvora no teu sangue. A TV é hoje um dos piores venenos para o jovem que luta contra a masturbação. E foge dos “sites” eróticos da Internet.

3 - Faz um bom uso das tuas horas de folga. Aproveita o tempo para ler um bom livro, praticar desporto, sair com os amigos, caminhar, etc.. Não fiques sem fazer nada, especialmente na cama, pois “mente vazia é oficina do diabo”.

4 - Não desanimes nem desesperes. Luta diariamente contra a masturbação, mas se caíres, levanta-te imediatamente, pede perdão a Deus de imediato e retoma o propósito de não pecar. Não fiques a pisar na sua alma e condenando-te.

Diz: “Está bem, errei, caí, aceito a minha queda humildemente, porque sou fraco; vou conseguir com a ajuda de Deus superar isto. Vou continuar a lutar até me libertar definitivamente, mesmo que eu caia um milhão de vezes; não desistirei e não me desesperarei.”

Deus ama, jovem, a nossa luta contra o pecado; a nossa vitória diante dele, é mais a nossa perseverança na luta do que propriamente a vitória completa. Confessa-te; sempre que caíres, não tenhas receio, o sacerdote compreenderá. Já ouviu isto muitas vezes.

5 - Alimenta a tua alma com a oração, a Palavra de Deus e os sacramentos da Igreja. Há um ditado que diz: “Mosca não assenta em prato quente”. Se mantiveres a tua alma aquecida com o calor do Espírito Santo, as moscas da tentação não o perturbarão. Mas se o prato esfriar... Após uma queda no campo do sexo, fica claro que faltou “vigilância e oração” para não pecar. Muitas vezes, abusamos da nossa fraqueza e expomo-nos diante do perigo... e caímos.

Há um outro provérbio que diz: “A ocasião faz o ladrão”, ou ainda: “Quem ama o perigo nele perecerá”. Na verdade, teremos de pedir mais perdão a Deus porque não vigiamos e não oramos por ter caído no pecado propriamente. E lembra-te: a luta é mais importante do que a vitória. Sobretudo, luta contra este pecado por amor a Jesus que morreu por nós na Cruz; oferece-Lhe esta luta dura; pede a Sua graça e não deixes de te consagrar todos os dias a Nossa Senhora.

Regressar