Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Quaresma-Páscoa

«Senhor, a quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna» Jo 6,68

A Quaresma é o tempo ideal para nos voltarmos a concentrar em Deus, nosso Criador, nosso Salvador, nosso Pai.

Porque nos ama com um amor apaixonado, Jesus Cristo fez-se primeiro humilde e pequeno na manjedoura, antes de se oferecer a nós inteiramente, totalmente, pelo seu holocausto na cruz. Como podemos responder a tanto amor? O que podemos oferecer-lhe em troca? Nós próprios, claro, mas também os nossos sacrifícios que, unindo-se a Jesus na cruz, nos fazem cooperar com o Bem que Ele derramou sobre a terra. O sacrifício é uma oferenda a Deus, uma oferenda tornada sagrada pelo esforço que implica. Claro que o sacrifício exige esforço, mas é um esforço feito por amor, que depois se transforma em grande alegria. Que felicidade podermos participar, mesmo modestamente, no grande impulso da comunhão dos santos através da oferta dos nossos sacrifícios!

É costume escolher dois esforços particulares a serem feitos durante todos estes dias que nos conduzem até à Páscoa. O primeiro diz respeito à vida da alma e pode ser um aprofundamento das orações diárias: tempos de meditação, terço, via sacra, ou outras devoções. O segundo esforço está relacionado com a vida carnal e pode ser visto como uma mortificação do corpo através de um dos nossos cinco sentidos. Se as resoluções forem acompanhadas de perseverança, muito rapidamente o corpo já não se sente mortificado, mas sim liberto de um dos muitos obstáculos que dificultam a vida espiritual.

Que esta Quaresma nos conduza ao verdadeiro caminho de Jesus Cristo. Peçamos à Virgem Maria que nos guie e caminhe connosco durante estes quarenta dias de regeneração.

Regressar