Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

Recordando o dia da Mãe

e, em seu louvor, fica aqui um conto de Bombeck.


Um dia, Deus decidiu criar... a Mãe.
Andava a dar voltas ao projecto há mais de uma semana, quando aparece um Anjo que lhe diz:
- Então esse modelito está a fazer-Te perder tempo, não?
E Ele:
- É verdade. Mas já leste os requisitos da fabricação? Deve ser lavável e transparente, mas não de plástico; ter cento e oitenta peças móveis, todas recicláveis e, além disso, um coração de ouro; ter a cabeça no seu sítio e uns lábios capazes de dar um beijo que cure tudo... desde a ferida no joelho... até um fracasso amoroso... e, ainda, seis pares de mãos
- Seis pares?
- Sim, para as tarefas que a aguardam. Mas o mais difícil – disse Deus – não são as mãos, mas os três pares de olhos que a mãe deve ter.
- Tantos?
Deus concordou.
- Um par de olhos para ver detrás da porta fechada, quando pergunta: “que estais a tramar aí dentro, filhos?” Outro atrás da cabeça para “ver” o que não pode ver, mas que uma mãe não deve ignorar. E outro par para dizer em silêncio ao filho que se meteu em maus caminhos:
“Compreendo-te, filho. Apesar de tudo continuo a gostar de ti”.
- Senhor – disse o Anjo, pondo-lhe gentilmente um braço sobre os ombros – vamos descansar. Amanhã será outro dia
– Não posso, respondeu o Senhor. Está quase acabada.
Fabriquei um modelo que se cura sozinha se cai doente, que sabe preparar a comida para seis pessoas só com meio quilo de carne picada e que é capaz de manter quieto no banho um rapaz de cinco anos.
O Anjo deu uma volta lenta ao redor do modelo de mãe, contemplando-a com curiosidade.
- Acho-a demasiado delicada, disse, estalando a língua contra o céu-da-boca.
- Mas resistente! - replicou o Senhor com aprumo. Tu não fazes ideia do que é capaz de suportar uma mãe.
- Mas... será capaz de pensar?
- Estás a ofendê-la a ela e a Mim ao duvidar. Não só terá inteligência, como saberá fazer um uso estupendo da mesma e descobrir razões que acabam por te convencer.
Então o Anjo aproximou-se do modelo de mãe e passou-lhe um dedo pela face.
- Há uma avaria, uma fuga! Perde algo…
- Não há avaria nem fuga nenhuma, corrigiu o Senhor. Trata-se de uma lágrima.
- E isto para que serve?
- Serve para exprimir alegria, tristeza, saudade, dor, desengano... e até orgulho por um filho que tem êxito.
- Tu és um génio! Exclamou o Anjo.
Com um piscar de melancolia e de humor acrescentou Deus em voz baixa:
- Para ser sincero, não fui eu que inventei as lágrimas... Mas ficam bem.




Regressar