Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

Queridos Pais

Imagem vazia padrão

 

 

 

      Queridos Pais 

É para vós a primeira carta que escrevo, depois de casada e de estar instalada no meu lar.
É para vós que dirijo todo o meu reconhecimento pela felicidade que hoje desfruto junto do meu marido.
Obrigada, meus Pais, por terem dispensado o vosso tempo, os vossos cuidados a esta filha que, graças a vós, cresceu forte e sã e se tornou capaz de lutar, trabalhar e amar.
Obrigada, meus Pais, pela formação do meu espírito e do meu coração. Obrigada pelos vossos exemplos e por me terem formado à vossa imagem.
Obrigada, meus Pais, pelo carinho, compreensão e interesse que demonstraram ter na altura em que iniciei o meu namoro e no decorrer dele. Muitos pais fingem ignorar que as filhas namoram, por comodismo e para não lhes darem confiança, mas a mim nunca me faltaram os vossos conselhos tão amigos, nunca me faltou a vossa companhia em passeios e divertimentos, onde não seria correcto ir sozinha. Nunca necessitei de andar a namorar pelas esquinas e jardins, porque a nossa casa sempre se abriu para o meu namoro tão sério e puro. Não esquecerei jamais as palavras que um dia me disseram: «A mais bela festa para os pais é a orientação dos filhos». Com que carinho vós procuráveis orientar-me! Como vós sabíeis observar, reflectir e pôr-vos no meu lugar, descer até mim, para julgardes os meus actos. A juventude é ardente e breve como a primavera, mas vós conseguistes transpor, suavemente, a porta da minha alma, ler nos seus cantos mais escondidos e refrear sempre os meus ímpetos; hoje posso dar graças a Deus por nunca ter havido no meu namoro qualquer palavra ou atitude menos dignas.
Obrigada, meus Pais, pela ajuda que me deram, em todos os sentidos, na preparação para o grande sacramento do matrimónio.
Obrigada, meus Pais, por me terem deixado casar com o rapaz que eu amava e de se terem, em seguida, apagado, apesar de ser duro, tremendamente duro dar uma filha sem nada pedir, nem sequer confidências.
Obrigada, meus Pais, por nos conservarem aberta a porta da vossa, querida casa que nunca poderei esquecer e onde, tenho a certeza acharei sempre refúgio e compreensão nas horas difíceis, que, talvez, o Senhor me envie.
Pela felicidade que me proporcionaram e pela formação que me deram sede benditos, meus Pais!
Um abraço da vossa filha
Maria

 

 

Regressar