Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

O papel do cristão no exercício da cidadania

O papel do cristão no exercício da cidadania

O Catecismo da Igreja Católica expressa com clareza o papel do cidadão, especialmente como cristão, enquanto membro de uma sociedade: é dever dos cidadãos colaborar com os poderes civis para o bem da sociedade, num espírito de verdade, de justiça, de solidariedade e de liberdade.

Não deve haver distinção entre o compromisso espiritual e social do cristão, e a sua acção social deve ser inspirada em Jesus Cristo.

O cristão faz o mesmo trabalho do assistente social no campo social, mas enquanto o assistente faz uma transformação - quando não é movido pela fé - o cristão faz uma transfiguração porque é algo que vai além de todas as formas. Toda a nossa acção cristã no mundo que é feita em sintonia e a partir de Cristo é uma acção transfiguradora, tem uma diferença essencial.

Toda a nossa acção é ungida por Cristo. Onde está um cristão agindo, está o corpo de Cristo presente naquela história.

 

Contribuição do cristão

A principal forma do cristão contribuir para o desenvolvimento do país é ter um olhar crítico sobre as autoridades. Isto significa ajudá-las a fazerem as políticas e tomarem decisões à luz do Evangelho, com o olhar de Cristo, ou seja, para os mais pobres.

Ajudar as autoridades a criarem políticas sociais a partir dos últimos da sociedade, da periferia. Toda a política a partir dos pobres inclui também os ricos. Toda a política que nasce a partir dos ricos, exclui os pobres.

Apesar do compromisso social, a primeira missão da Igreja não é desta ordem, nem política, mas de ordem religiosa. O principal compromisso da Igreja é com a fé, no entanto, esta deve ser traduzida em obras concretas.

Regressar