Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

O inferno existe mesmo

O INFERNO EXISTE MESMO

SIM, JESUS DISSE E BASTA!

"O Inferno é o último mal que hão-de sofrer os maus!" (São Pio X)
"Se a morte encontra o homem a dormir, vem como um ladrão, despoja-o, mata-o e lança-o no abismo do inferno; mas, se o encontra vigilante, saúda-o como enviada de Deus, dizendo: O Senhor te espera para as bodas; vem, que te conduzirei ao reino bem-aventurado a que aspirais". (S. Tomás de Vilanova)

Existe verdadeiramente o Inferno?
"Não vos enganeis: de Deus não se zomba" (Gl 6,7)
O INFERNO NÃO EXISTE! Gritam...
- OS LIVRES PENSADORES: "Vocês injuriam a razão humana... No nosso século ainda acreditar no inferno!"
- OS CÉTICOS: "É invenção dos padres católicos para assustar as almas!"
- OS MODERNISTAS ACTUAIS: "Não falemos sobre isso! Vocês vão esvaziar as igrejas traumatizando as crianças e ofendendo o espírito moderno!"
- OS OPTIMISTAS E CATÓLICOS SENTIMENTAIS: "Deus é muito bom, Deus é Amor! O inferno só por um pecado? Não podemos exagerar!" Deus é misericordioso e não condena ninguém...
Não se trata de saber se tu acreditas ou não no inferno.
As coisas são aquilo que são e isto independentemente de nós.
O que importa é saber se o inferno existe. Pois bem!...
 
O INFERNO EXISTE! JESUS DISSE E BASTA!

"Eu sou o Senhor e não mudo" (Ml 3,6) Deus não se pode contradizer e portanto o Espírito Santo não pode inspirar hoje mudanças doutrinais em contradição com o que Ele inspirou anteriormente.
Nosso Senhor Jesus Cristo é Deus e manifestou a sua divindade através dos milagres. Ele mesmo revelou que verdadeiramente existe o inferno. Tanto no Antigo como no Novo Testamento há inúmeras citações acerca deste dogma de fé.
Olhai o Novo Testamento!
Eis o resumo da pregação de São João Baptista.

"O machado já está à raiz das árvores. Toda a árvore, pois, que não dá bom fruto será cortada e lançada ao fogo" (Mt 3,10) "Ele tem a pá na sua mão, limpará bem a sua eira, e recolherá o seu trigo no celeiro, mas queimará a palha num fogo inextinguível" (Mt 3,12)

Pregação de Nosso Senhor sobre o inferno
Quantas vezes Nosso Senhor fala das "trevas exteriores", do lugar onde "haverá choro e ranger de dentes" (Mat 13,42)
Meditemos sobre a descrição do juízo final: "Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demónio e aos seus anjos" (Mt 25,41)

Algumas citações sobre o Inferno nas Sagradas Escrituras

"Mostrar-vos-ei a quem deveis temer: temei àquele que, depois de matar, tem poder de lançar no inferno; sim, eu vo-lo digo: temei a este." (Lc 12,5)

"E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio. Gritou, então: - Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas." (Lc 16,23-24)
"E tu, Cafarnaum, serás elevada até o céu? Não! Serás atirada até o inferno! Porque, se Sodoma tivesse visto os milagres que foram feitos dentro dos teus muros, subsistiria até este dia. Por isso te digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Sodoma do que para ti!" (Mt 11,23-24)
"Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Percorreis mares e terras para fazer um prosélito e, quando o conseguis, fazeis dele um filho do inferno duas vezes pior que vós mesmos." (Mt 23,15)

"Serpentes! Raça de víboras! Como escapareis ao castigo do inferno?" (Mt 23,33)
"Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os precipitou nos abismos tenebrosos do inferno onde os reserva para o julgamento;" (2 Pd 2,4)

"Por isso, se a tua mão ou o teu pé te fazem cair em pecado, corta-os e lança-os longe de ti: é melhor para ti entrares na vida coxo ou manco que, tendo os dois pés e as duas mãos, seres lançado no fogo eterno"(Mt 18,8)

"Se a tua mão for para ti ocasião de queda, corta-a; melhor te é entrares na vida aleijado do que, tendo as duas mãos, ires para a geena, para o fogo inextinguível [onde o seu verme não morre e o fogo não se apaga]. Se o teu pé for para ti ocasião de queda, corta-o fora; melhor te é entrares coxo na vida eterna do que, tendo dois pés, seres lançado à geena do fogo inextinguível [onde o seu verme não morre e o fogo não se apaga]. Se o teu olho for para ti ocasião de queda, arranca-o; melhor te é entrares com um olho de menos no Reino de Deus do que, tendo os dois olhos, seres lançado na geena do fogo, onde o seu verme não morre e o fogo não se apaga." (Mc 9,43-47)

"Mas eu vos digo: todo aquele que se irar contra o seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Raca, será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da geena." (Mt 5,22)

"Se o teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo todo seja lançado na geena. E se a tua mão direita é para ti causa de queda, corta-a e lança-a longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo inteiro seja atirado na geena." (Mt 5,29-30)
"Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena." (Mt 10,28)

"Se o teu olho te leva ao pecado, arranca-o e lança-o longe de ti: é melhor para ti entrares na vida cego de um olho que seres jogado com os teus dois olhos no fogo da geena." (Mt 18,9)

"O inferno é violento" (Ct 8,6)

"Naqueles dias, os homens buscarão a morte e não a conseguirão; desejarão morrer, e a morte fugirá deles" (Ap 9,6)

"Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor não sofrerá dano algum da segunda morte." (Ap 2,11)
"A morte e a morada subterrânea foram lançadas no tanque de fogo. A segunda morte é esta: o tanque de fogo. Todo o que não foi encontrado inscrito no livro da vida foi lançado ao fogo." (Ap 20,14-15)
"Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos os mentirosos terão como quinhão o tanque ardente de fogo e enxofre, a segunda morte." (Ap 21,8)

"O machado já está posto à raiz das árvores. E toda a árvore que não der fruto bom será cortada e lançada ao fogo." (Lc 3,9)

"Ele tem a pá na mão e limpará a sua eira, e recolherá o trigo no seu celeiro, mas queimará as palhas num fogo inextinguível." (Lc 3,17)
"Se alguém não permanecer em mim será lançado fora, como o ramo. Ele secará e hão-de ajuntá-lo e lançá-lo ao fogo, e queimar-se-á." (Jo 15,6)
"Só teremos que esperar um juízo tremendo e o fogo ardente que há-de devorar os rebeldes" (Hb 10,27)

Sobre os condenados:

"Deste modo, serão julgados e condenados todos os que não deram crédito à verdade, mas consentiram no mal." (II Tess 2,12)

"Eles sofrerão como castigo a perdição eterna, longe da face do Senhor, e da sua suprema glória" (II Tess 1,9)
"Os que praticaram o bem irão para a ressurreição da vida, e aqueles que praticaram o mal ressuscitarão para serem condenados." (Jo 5,29)

"O Filho do Homem enviará os seus anjos, que retirarão do seu Reino todos os escândalos e todos os que fazem o mal e os lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes" (Mt 13,41-42)

"Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: - Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demónio e aos seus anjos." (Mt 25,41)

"Os anjos que não tinham guardado a dignidade da sua classe, mas abandonado os seus tronos, ele os guardou com laços eternos nas trevas para o julgamento do Grande Dia." (Jd 1,6)

"Em Sião os pecadores serão aterrados, o medo apoderar-se-á dos ímpios. Quem de nós poderá permanecer perto deste fogo devorador? Quem de nós poderá permanecer perto das chamas eternas?" (Is 33,14)

"Há-de beber também o vinho da cólera divina, o vinho puro deitado no cálice da sua ira. Será atormentado pelo fogo e pelo enxofre diante dos seus santos anjos e do Cordeiro. A fumaça do seu tormento subirá pelos séculos dos séculos. Não terão descanso algum, dia e noite, esses que adoram a Fera e a sua imagem, e todo aquele que acaso tenha recebido o sinal do seu nome." (Ap 14,10-11)

No Catecismo
"Depois da vida presente há outra, ou eternamente feliz para os eleitos no Paraíso, ou eternamente desgraçada para os condenados no Inferno" (Cat. S. Pio X, 245)

"A desgraça dos condenados consiste em serem para sempre privados da visão de Deus, e punidos com tormentos eternos no Inferno." (Cat. S. Pio X, 248)

"Os bens do Paraíso e os males do Inferno, por ora, são só para as almas porque por enquanto só as almas estão no Paraíso, ou no Inferno; mas depois da ressurreição da carne, os homens, na plenitude da sua natureza, isto é, em corpo e alma, serão ou felizes ou infelizes para sempre." (Cat. S. Pio X, 249)
"Os bens do Paraíso para os eleitos, e os males do Inferno para os condenados, serão iguais na substância e na duração eterna; mas na medida, isto é, no grau, serão maiores ou menores, segundo os méritos ou deméritos de cada um." ( Cat. S. Pio X, 250)
"Sim, todos somos obrigados a observar os Mandamentos, porque todos devemos viver segundo a vontade de Deus que nos criou; e basta transgredirmos gravemente um só deles para merecermos o Inferno." (Cat. S. Pio X, 347)

O que os santos disseram sobre o inferno
Disse São João Bosco no livro "O Jovem instruído".

"A alma se fez o mal, será punida com um terrível castigo, no inferno, onde padecerá para sempre o fogo e toda a sorte de tormentos."

"Dois são os lugares que nos estão reservados na outra vida: para os maus, o inferno, onde se sofre todos os tormentos; para os bons, o Paraíso, onde se goza de todos os bens"

Se começardes a viver mal no tempo da juventude, muito facilmente continuareis assim até à morte, e isto vos conduzirá inevitavelmente ao inferno.

Nada atormenta mais os condenados no inferno do que o pensamento de ter passado no ócio aquele tempo, que Deus lhe tinha dado para se salvarem.

Quantos jovens estão no inferno por ter dado ouvidos às más conversas!

Tempo virá em que o riso e o sarcasmo dos malvados se transmudará em pranto no inferno.
Se fosse possível tirar os escândalos do mundo, quantas almas iriam ao Paraíso, as quais, pelo contrário perdem-se eternamente no inferno!

Disse Santo Afonso Maria de Ligório em seu livro "Preparação para a Morte"
Fazei-me antes morrer da morte mais dolorosa do que permitir que de novo perca a vossa graça. Já fui escravo do inferno; agora sou vosso servo, ó Deus de minha alma!

De que lhe valeu a autoridade que possuía, se agora os seus restos mortais estão condenados a apodrecer numa vala e a sua alma arrojada nas chamas do inferno?

Quantos pobres pecadores tiveram a infelicidade de ser surpreendidos pela morte ao recrearem-se com manjares intoxicados e foram precipitados no inferno? Assim como os peixes caem no anzol, assim são colhidos os homens pela morte num momento ruim. (Ecl 9,12). O momento ruim é exactamente aquele em que o pecador ofende a Deus

Os sentimentos destes moribundos, que durante a vida desprezaram a consciência,  assemelham-se aos dos condenados que, sem fruto nem remédio, choram no inferno os seus pecados como causa das suas penas.

A vida presente é uma guerra contínua contra o inferno, na qual sempre corremos o risco de perder a Deus e a nossa alma.
Assim como os que morrem em pecado começam já a sentir no leito mortuário algo das penas do inferno, pelo remorso, pelo terror e pelo desespero

Então os pecadores implorarão o socorro do Senhor, mas sem conversão verdadeira, unicamente com o receio do inferno, em que se vêem próximos a cair. É por este motivo justamente que não poderão provar outros frutos que os da sua má vida. Aquilo que o homem semeou, isto também colherá? (Gl 6,8).

O tempo é um tesouro que só se acha nesta vida, mas não na outra, nem no céu, nem no inferno. É este o grito dos condenados: Oh! se tivéssemos uma hora!?... Por todo o preço comprariam uma hora a fim de reparar a sua ruína; porém, esta hora jamais lhes será dada.

Mas, se te enganares e te perderes, de que te servirá no inferno haveres desfrutado de todos os prazeres do mundo, teres sido rico e cortejado? Perdida a alma, tudo está perdido: honras, divertimentos e riquezas.

Morre-se uma vez, e perdida uma vez a alma, está perdida para sempre. Só resta o pranto eterno com os outros míseros insensatos do inferno, cuja pena e maior tormento consiste em pensar que para eles já não há mais tempo de remediar sua desdita (Jr 8,20).

Qual será, pois, ó meu Deus, a angústia do condenado quando, ao entrar no inferno, se vir sepultado naquele cárcere de tormentos, e, atendendo à sua desgraça, considerar que durante toda a eternidade não há-de chegar remédio algum! Sem dúvida exclamará: Perdi a alma e o paraíso, perdi a Deus; tudo perdi para sempre, e por quê? Por minha culpa!

Oh, nunca acabará!... Passarão mil milhões de anos e de séculos e o inferno que sofreres estará a começar!... Que é um milhar de anos em comparação da eternidade? Menos que um dia já passado... (Sl 89,4)

Não há, pois, termo médio: ou reinar eternamente na glória, ou gemer como escravo no inferno. Ou sempre ser bem-aventurado, num mar de dita inefável, ou ficar para sempre desesperado num abismo de tormentos.

São João Crisóstomo, considerando que aquele rico, qualificado de feliz no mundo, foi logo condenado ao inferno, enquanto que Lázaro, tido como infeliz porque era pobre, foi depois felicíssimo no céu, exclama: "Ó infeliz felicidade, que trouxe ao rico eterna desventura!... Ó feliz desdita, que levou o pobre à felicidade eterna!"

Jeremias disse também que o Senhor nos deu dois caminhos, o da glória e o do inferno (Jr 21,8).
Mas quem se empenha em andar pela senda do inferno, como poderá chegar à glória? É de admirar que, ainda que todos os pecadores queiram salvar-se, eles mesmos se condenam ao inferno, dizendo: espero salvar-me. Mas quem será tão louco - disse Santo Agostinho - que tome veneno moral com esperança de se curar?... No entanto, quantos insensatos se dão a morte a si próprios, pecando, e dizem: "mais tarde pensarei no remédio..." Ó deplorável ilusão, que a tantos tem arrastado ao inferno! Não sejamos tão imprevidentes; consideremos que se trata da eternidade.

Deus castiga o pecado mortal com as penas terríveis do inferno; contudo, este castigo é, segundo dizem todos os teólogos, menor que a pena com que tal pecado deveria ser castigado.
Por outra parte, afirma São Paulo que de "Deus não se pode zombar" (Gl 6,7). E seria zombar de Deus o querer ofendê-lo sempre que quiséssemos e desejar, a seguir, o paraíso. Quem semeia pecados, não pode esperar outra coisa que o eterno castigo no inferno (Gl 6,8). O laço com que o demónio arrasta quase todos os cristãos que se condenam é, sem dúvida, esse engano com que os seduz, dizendo-lhes: Pecai livremente, porque, apesar de todos os pecados, haveis de salvar-vos?

Os ímpios, vivem longos anos em pecado; mas, quando se completa o número que lhes foi fixado, a morte os arrebata e são precipitados no inferno (Jo 21,13).

Disse São Francisco de Sales no Livro "A Filoteia".
Os condenados estão no abismo do inferno, como desventurados habitantes desta cidade de horrores. Padecem dores incalculáveis em todos os seus sentidos e em todo o corpo; pois, assim como empregaram todo o seu ser para pecar, sofreram também em todo ele as penas devidas ao pecado. Desde modo, sofreram os olhos pelos seus olhares pecaminosos, vendo perto de si os demónios em mil figuras hediondas e contemplando com o inferno inteiro. Aí só se ouviram lamentos, desesperos, blasfémias, palavras diabólicas, para punir por estes tormentos os pecados cometidos por meios dos ouvidos. E de modo análogo acontecerá aos demais sentidos.

Além destes tormentos, existem ainda um outro muito maior. É a privação e a perda da glória de Deus, que jamais verão. Por mais ditosa que fosse a vida de Absalão em Jerusalém, ele não deixava de protestar que a infelicidade de não ver por dois anos o seu pai querido lhe era mais intolerável que o tinha sido as penas do exílio. Ó meu Deus, que sofrimento será, pois, e que pesar imenso ser privado eternamente de Vos ver e amar.
Considera sobretudo a eternidade a qual por si só faz o inferno insuportável. Ah! Se o calor de uma febrezinha torna uma breve noite enfadonha, que horrenda não será a noite no inferno, onde a eternidade se ajunta a abundância dos tormentos? É desta eternidade que procede a desesperação eterna, as blasfémias execráveis e os rancores sem fim.

Tu irás para o Inferno?
Certamente se tu não creres ("O que não crer será condenado" Mc 16,16). Certamente, se vives na lama do pecado e não queres voltar atrás através dos sacramentos. Tu que não vives segundo os mandamentos que ignoras Deus, que aceitas sofismas modernos só para adormecer a consciência, tu que tens vergonha da tua Fé e te recusas a reagir, pensa seriamente que "TAL VIDA, TAL MORTE".
Mas, e a bondade de Deus?
Não a vês? Olha para o Crucificado: "Porque Deus amou de tal modo o mundo, que lhe deu o seu Filho Unigénito, para que todo o que crê nele, não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3,16).
Que esperas? Olha para o céu e volta para o teu Pai do Céu.
Fazendo uma boa confissão e começando a viver como um verdadeiro católico. Não te esqueças de conversar com um sacerdote que guarde a tua Fé católica, abandona a vergonha, o respeito humano e volta para Deus. Pois..."Não vos enganeis...DE DEUS NÃO SE ZOMBA"...

Escuta São João Bosco que nos diz:
"Não imiteis aqueles infelizes que se iludem dizendo: "Cometerei este pecado, mas depois me confessarei". Não te enganes a ti mesmo desta forma: Deus amaldiçoa a quem peca na esperança do perdão. Lembra-te que todos os que estão no inferno tinham esperança de se emendar mais tarde e no entanto perderam-se eternamente. Quem sabe se depois terás tempo para te confessares? Quem te garante que não hajas de morrer logo depois do pecado e que a tua alma não seja precipitada no inferno? Além disso, que grande loucura não seria ferir-te a ti mesmo na esperança de que o médico te venha depois curar a ferida? Afasta pois a enganadora ideia de poderes entregar-te a Deus mais tarde; neste mesmo momento detesta e abandona o pecado, que é o maior de todos os males e que, afastando-te do teu fim, te priva de todos os bens.

Oh! grande, oh! terrível momento, do qual depende uma eternidade de glória ou de tormentos! Compreendes bem o que te digo? Quero dizer que daquele momento depende ir para o Céu ou para o inferno; ser para sempre feliz ou para sempre infeliz; para sempre filho de Deus ou para sempre escravo do demónio; para sempre gozar com os anjos com os santos no céu ou gemer e arder para sempre com os condenados no inferno!

Teme grandemente pela tua alma e pensa que do viver bem depende uma boa morte e uma eternidade de glória. Por isso, não adies por mais tempo e prepara-te desde já para fazer uma boa confissão e dispor bem as coisas da tua consciência, prometendo a Nosso Senhor perdoar os teus inimigos, reparar os escândalos dados, santificar os dias de guarda, cumprir os deveres do teu estado.
E agora, põe-te na presença do teu Deus e diz-Lhe de coração: Meu Deus, desde este momento eu me converto a Vós; amo-Vos, quero amar-Vos e servir-Vos até à morte. Virgem Santíssima, minha Mãe, ajudai-me naquele terrível momento. Jesus, José e Maria, espire em paz entre vós a minha alma." (O Jovem Instruído)

E dizei com Santo Afonso e com o Profeta Jeremias: "Livrai-me do inferno, ou melhor: livrai-me do pecado, único mal que pode condenar-me. Ó Maria, rogai por mim e livrai-me do mal horrível de me ver em pecado sem a graça do nosso Deus!"
Senhor, grande é o meu reconhecimento, porque ainda não me condenastes ao inferno, que tantas vezes mereci? (Lm 3,22).

Regressar