Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

Dia 23

Ontem contemplávamos o mistério da redenção que é reconciliação de todas as coisas com Deus em Jesus Cristo. Hoje, descubramos como o amor nasce da contemplação desse mistério.

Da Carta de S. Paulo aos Romanos (Rom. 8, 28 -35.37-39)
Sabemos que Deus concorre em tudo para o bem daqueles que O amam. Porque àqueles que Ele de antemão conheceu, também os predestinou para serem uma imagem idêntica à do seu Filho, de tal modo que Ele é o primogénito de muitos irmãos. E àqueles que predestinou, também os chamou; e àqueles que chamou, também os justificou; e àqueles que justificou, também os glorificou.
Se Deus está por nós, quem pode estar contra nós? Ele, que nem sequer poupou o seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não havia de nos oferecer tudo juntamente com Ele? Quem irá acusar os eleitos de Deus? Deus é quem nos justifica! Quem irá condená-los? Jesus Cristo, aquele que morreu, mais, que ressuscitou, que está à direita de Deus é quem intercede por nós. Quem poderá separar-nos do amor de Cristo?
A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada? Mas em tudo isso somos mais do que vencedores, graças àquele que nos amou.
Estou convencido de que nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os principados, nem o presente nem o futuro, nem as potestades, nem a altura, nem o abismo, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus que está em Cristo Jesus, Senhor nosso.

1º Mistério; A Anunciação do Anjo a Nossa Senhora
«Sabemos que Deus concorre em tudo para o bem daqueles que O amam.» Este texto que hoje nos acompanha, é um doas grandes hinos de Paulo ao amor incomensurável de Deus. Inicia este hino uma certeza experimentada por Paulo na sua vida apostólica. Nem tudo, no percurso dos cristãos é realidade fácil e simples. Aparecem contratempos, situações e dificuldades por nós imprevistas, que muitas vezes colocam sérias dúvidas a respeito do amor e da bondade de Deus. Não podemos fugir ao mistério do mal presente na nossa vida, um mal que fazemos e que também padecemos. Mas com Paulo, temos a certeza que o mal não tem a última palavra na nossa vida. Pois dos nossos males Deus pode fazer nascer coisas boas, e é assim que Deus faz da nossa historio, tantas vezes repleta de desgraça, uma história de graça, de salvação.

2º Mistério: A Visitação
«Porque àqueles que Ele conheceu, também os predestinou para serem uma imagem idêntica à do seu Filho... E àqueles que predestinou, também os chamou; e àqueles que chamou, também os justificou; e àqueles que justificou, também os glorificou.» Não podemos compreender este texto como se Deus fizesse distinção de pessoas. Paulo resume todo o projecto de Deus para todo aquele que queira acolher o Seu amor. Deus deseja imprimir em nós a Sua imagem que o pecado manchou. É esse o homem novo que somos chamados a fazer nascer em nós. A todo aquele que siga esse caminho, Paulo garante que, desde sempre, Deus o conheceu, predestinou, chamou, justificou e glorificou. Tudo isso é dom gratuito de Deus e não é um mero acontecimento isolado.

3º Mistério: O nascimento de Jesus
«Se Deus está por nós, quem pode estar contra nós? Deus, que nem sequer poupou o seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós? Quem irá condená-los? Jesus Cristo, aquele que morreu, mais, que ressuscitou, que está à direita de Deus é quem intercede por nós?» O amor do Pai e de Jesus por nós são certos e inquestionáveis. Pelo que fez o Pai, por tudo o que foi o mistério pascal do Filho, nada os poderá demover do amor que nos consagram. Por isso, haverá algo que façamos que nos impeça de nos sabermos amados por Deus? Haverá necessidade de mais alguma prova, da parte de Deus do Seu amor? A cruz é última palavra de Deus e do Seu amor, porque, a partir daquele acontecimento, Deus não tem mais nada a dizer-nos que já não nos tenha dito.

4º Mistério: A Apresentação de Jesus no templo
«Quem poderá separar-nos do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada? Mas em tudo isso saímos mais do que vencedores, graças àquele que nos amou.» Apesar de tantos problemas, tantos perigos que aprecem na vida quotidiana do Apóstolo, ele deve e pode confiar na vitória final. A razão fundamental para tal confiança é o imenso e imortal amor de Deus que triunfa e faz triunfar sobre tudo o que é morte, pecado e os mais escuros imponderáveis da vida. Fica o convite a seguir Paulo no caminho da confiança no amor Deus.

5º Mistério: Perda e encontro de Jesus
«Nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os principados, nem o presente nem o futuro, nem as potestades, nem a altura, nem o abismo, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus que está em Cristo Jesus, Senhor nosso.» A vitória de Jesus também é a nossa vitória graças ao amor de Deus. Na lista que Paulo nos apresenta dos possíveis adversários ou causas da nossa separação de Cristo, estão todas aquelas forças que, no tempo de S. Paulo, se pensava dominar o mundo e a história dos homens. Com esta lista retórica, Paulo destaca ainda mais a sua certeza no amor de Deus, por ele e por nós. Que nada nos separe do amor de Deus!

ORAÇÃO FINAL: 28
 
 
 

Regressar