Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

A tua sexualidade é um dom

A tua sexualidade é um dom 

 

O ser humano é chamado ao amor e ao dom de si

Deus, ao criar o homem, o fez na sua totalidade, individualidade e definido sexualmente. A sexualidade, sendo dom de Deus, não pode ser vista como algo separado do homem, mas essencial para a salvação. Por isso, preciso de assumir a minha sexualidade como identidade de mim mesmo. Se Deus me fez homem, não posso ser outra coisa e, se tu és mulher não podes ser outra coisa a não ser mulher. O dom de Deus não pode ser estragado pelo homem, pelo contrário, deve ser assumido.

Tu és imagem e semelhança de Deus. Deus caprichou ao fazer-te! Não podemos deixar o mundo estragar a nossa identidade e sexualidade, dizendo que, para sermos felizes, precisaremos de assumir outra identidade e acharmos isso normal. Tu só serás inteiramente feliz, sendo o que és desde o nascimento, homem ou mulher; fora disso não és dom de Deus.

 “O ser humano é chamado ao amor e ao dom de si, na sua unidade corpórea-espiritual. Feminilidade e masculinidade são dons complementares, (…) a sexualidade humana é parte integrante da capacidade concreta de amor que, Deus inscreveu no homem e na mulher. «A sexualidade é um componente fundamental da personalidade, um modo de ser, de se manifestar, de comunicar com os outros, de sentir, de expressar e de viver o amor humano». Esta capacidade de amor, como dom de si, tem uma «encarnação» no carácter esponsal do corpo, no qual se inscreve a masculinidade e a feminilidade da pessoa. «O corpo humano, com o seu sexo, e a sua masculinidade e feminilidade, visto no próprio mistério da criação, não é somente fonte de fecundidade e de procriação, como em toda a ordem natural, mas encerra desde ‘o princípio’ o atributo ‘esponsal’, isto é, a capacidade de exprimir o amor precisamente, pelo qual o ‘homem/pessoa’ se torna dom e – mediante este dom – actua o próprio sentido do seu ser e existir». Qualquer forma de amor será sempre marcada por esta caracterização masculina e feminina” (Conselho Pontifício para a Família, Sexualidade Humana, n.10).

Hoje, os homens estão a perder a sua individualidade e a assumir uma identidade falsa, contrária àquela que Deus fez, um grande factor que tem contribuído para tal são os media. Eles têm ditado “regras”, dizendo o que nós devemos “ser” para sermos felizes. As novelas e tantas outras coisas, têm falado contra o plano de Deus às nossas vidas e, assim, leva-nos a “esquecer” que somos imagem e semelhança d’Ele.

Tu és lindo(a), não sejas aquilo que o mundo tem dito para seres! Mas, assume a tua sexualidade e genitalidade como Deus fez. O mundo tem diz para não te reprimires e assumir uma sexualidade que vai contra a natureza, contra o plano de Deus para a tua vida.

Em muitos casos, pessoas foram feridas na sua sexualidade e genitalidade, por parentes, abusos, por violências; e isto, de um certo modo, leva muitos a assumirem uma identidade sexual que não é a sua. As pessoas, por vezes, não têm culpa, porque foram feridas desde crianças, carregam os seus traumas durante toda a vida, e não buscam ajuda ou cura das suas marcas e feridas.

Qual o remédio para tudo isto?

O remédio é assumir que estás ferido e buscar ajuda.

Certa vez, um jovem veio conversar comigo, aparentemente estava muito bem, mas, quando falou da sua sexualidade, contou que: ainda criança, foi abusado sexualmente por um primo. E esta situação, fazia-o sentir atracção sexual por outros rapazes, mas isso, não o tinha levado ao acto sexual. Em oração, fui pedindo a Deus que o curasse de todo o trauma na sexualidade. Fizemos dias de oração de cura interior, e Deus curou-o e libertou-o, porque ele assumiu a sua fraqueza e procurou ajuda.

 “A sexualidade humana é, portanto, um bem: parte daquele dom criado que Deus viu ser «muito bom» quando criou a pessoa humana à sua imagem e semelhança e «homem e mulher os criou» (Gen 1,27). Enquanto modalidade de: se relacionar e se abrir aos outros; a sexualidade tem como fim intrínseco o amor, mais precisamente o amor como doação e acolhimento, como dar e receber. «A sexualidade deve ser orientada, elevada e integrada pelo amor, que é o único a torná-la verdadeiramente humana»” (Conselho Pontifício para a Família, Sexualidade Humana, n.11).

O que falta para tu procurares ajuda e assumires que foste ferido (a) na tua sexualidade? Deus quer curar-te e libertar-te. Para que, assim, tu sejas inteiramente d’Ele e possas viver a liberdade na tua sexualidade.

Regressar