Ave Maria Imaculada... Rezai o Terço todos os dias... Mãe da Eucaristia, rogai por nós...Rainha da JAM, rogai por nós... Vinde, Espirito Santo... Jesus, Maria, eu amo-Vos, salvai almas!

Curiosidades

A internet como instrumento de união

 

A internet como instrumento de união 

 

A internet deve promover o diálogo entre pais e filhos e não o isolamento.

 

Assim como na educação dos filhos não adianta dizer o “não” pelo “não” sem dizer o porquê, é importante deixar um caminho aberto ao diálogo e criar neles a consciência crítica. É preciso fazer pontes e não muros.

Na nossa casa, desde que os filhos eram pequenos, quisemos educá-los criando neles a consciência crítica. Quando eram pequenos nós usávamos a expressão: “Isto é de Deus? Este filme, este jogo e este programa de TV são de Deus?” Queríamos que eles criassem critérios para conseguir discernir a respeito de coisas pequenas a princípio, para que, com o passar do tempo ou quando estivessem longe dos nossos olhos, já tivessem valores internalizados sobre o que é bom, justo e verdadeiro diante de Deus e dos homens.

Deixo aqui alguns conselhos para navegar pela rede mundial de computadores e para ajudar nesta realidade de hoje que é ter a internet dentro de casa:

– Dedica, com o teu filho, uma parte do teu tempo para aprenderem juntos a usar a internet. Vais-te surpreender como isso pode ser divertido.

– Antes de permitir que a internet entre em tua casa, estabeleçam juntos as regras para navegar (por exemplo, o tempo para ficar conectado) e verifiquem sempre juntos se estas regras estão a ser respeitadas. Deste modo vais educar o teu filho a usar adequadamente este instrumento.

– Se considerares oportuno, principalmente com os filhos pequenos, activa sistemas de protecção e filtros. Mas lembra-te de que isto não os protege contra riscos e não substitui a tua intervenção educativa. A melhor protecção para o teu filho é criar nele a consciência crítica.

– Não adianta evitar instalar o computador no quarto do teu filho. Ele pode navegar com dispositivos móveis, em lugares públicos que têm Wi-Fi ou na casa de amigos. O importante é criar constantemente oportunidades para falar sobre como usar os recursos da rede, quais sites ele está acessando e com quem está relacionado.

– Valoriza os bons sites e o material que eles oferecem. Estimula o teu filho a informá-lo se encontrou sites inconvenientes e dá-lhe os parabéns por te ter informado a este respeito. Evita reacções irritadas para não o assustar.

– Ensina-o a usar responsavelmente a internet: Facebook, Twiter, sites de download de músicas, YouTube e jogos online. Ser responsável quer dizer: respeitar os outros, não publicar fotos ou vídeos ofensivos, publicar mensagens positivas e socialmente úteis, participar de iniciativas de solidariedade, respeitar os direitos quando estão reservados.

– O teu filho deve saber algumas coisas fundamentais, como: aceitar como “amigos” só pessoas conhecidas, não participar em discussões de adultos e com adultos, informar os pais se alguém pede que ele use a webcam para se comunicar com ele.

– Oriente o filho a não dar nenhuma informação pessoal pela internet (nome, endereço, números de documentos, número do telefone, e-mail ou foto) sem a tua explícita permissão. Não permitas que o teu filho se encontre com pessoas que ele conhece apenas pela internet, a não ser que ele vá acompanhado de uma pessoa da tua confiança.

– Ensina o teu filho a diversificar as actividades e o tempo livre: encontrar amigos e brincar ao ar livre.

– Estimula o diálogo sincero com o teu filho no que diz respeito à rede mundial de computadores, informa-te sobre os seus interesses e os sites que ele visita habitualmente. A melhor protecção é a boa relação familiar.

Regressar