Beata Maria Deluil Martiny (1841-1884)
Cerca de 120 anos atrás, em algumas revelações particulares, Jesus começou a confiar às pessoas consagradas nos mosteiros e no mundo o Seu plano para a renovação do sacerdócio. Ele confiou a algumas mães espirituais a chamada ‘obra para os sacerdotes’. Uma das precursoras desta obra é a beata Maria Deluil Martiny. Sobre este seu grande íntimo desejo ela disse: “Oferecer-se pelas almas é belo e grande! Mas oferecer-se pelas almas dos sacerdotes... é tão belo e grande que seria preciso ter mil vidas e mil corações! ... Daria de bom grado a minha vida para que Cristo pudesse encontrar nos sacerdotes aquilo que deles se espera! A daria de bom grado mesmo se um só pudesse realizar perfeitamente o plano divino nele!”. De facto, aos 43 anos, ela selou com o martírio a sua maternidade espiritual. As suas últimas palavras foram: “É para a obra, a obra para os sacerdotes!”.