Sinais da Vocação Sacerdotal e Religiosa

A questão, agora, é a seguinte: Vamos falar de um jovem que pensa ingressar na vida sacerdotal ou religiosa. Que critérios (sinais, meios) deve usar para saber se está ou não preparado para deixar a sua família e passar para o seminário?

1. Querer: Apenas gostar, admirar, achar bonito não é suficiente. Estar em dúvida também não é suficiente. Precisa de estar decidido a seguir esta vida, embora saiba que no futuro, principalmente com os novos conhecimentos que irá adquirir, poderá mudar de ideia. A decisão definitiva só a terá de tomar 6 meses antes da ordenação sacerdotal e, para aqueles que querem ser Irmãos, antes dos votos perpétuos.

2. Esta tua opção deve ser por motivos válidos.

São motivos válidos – Consagrar-se a Deus. Seguir o exemplo de Jesus Cristo. Sentir-se identificado com o carisma da Congregação. Estar preocupado com a construção do Reino de Deus, com a evangelização. Estar preocupado com os pobres, com a justiça, com os problemas sociais.

São motivos falsos – Querer libertar-se da família. Buscar a salvação eterna. Desilusão num namoro. Não és tu mesmo que queres, mas é outra pessoa que quer que tu abraces esta vida, por exemplo, a tua avó, alguém que fez uma promessa... Apenas um entusiasmo de momento. Se há um ponto em que não podes de forma alguma ser precipitado é este da vocação! Tem calma…

3. Ter boa saúde física e mental: Precisa ter uma saúde suficiente para viver a vida comunitária e exercer as tarefas da Congregação.

4. Maturidade afectiva: Deve ter um desenvolvimento normal tanto na área afectiva como sexual.

5. Maturidade humana: Deve ter amor ao trabalho, ao estudo e vida social normal.

6. Vida cristã: Deve estar ligado à sua Comunidade. Participar da Missa ou Culto Dominical; se possível, desempenhar algum serviço ou ministério na Comunidade, por exemplo, catequese, grupo de jovens, música, liturgia, etc. Se um jovem desligado da Igreja entra no seminário, não aguenta muito tempo e sai.
Isto porque a vida no seminário é muito ligada com as coisas de Deus, forçando-o a uma mudança muito grande de vida. Ao passo que se ele já vive assim em casa, quando vier para o seminário haverá uma continuidade normal na sua vida. Também o empenhamento na Igreja serve de teste para ver se se dá bem mesmo com este caminho que quer seguir. Outro aspecto importante da vida cristã é o gosto pela oração, pelo diálogo com Deus. Quem não gosta de rezar e de lidar com as coisas de Deus não persevera no seminário. Como poderá perseverar, fazendo aquilo de que não gosta? Seria como alguém querer ser pintor de prédios e não suportar a altura, ou querer ser médico e não suportar ver sangue. Temos ainda outro ponto importantíssimo que é a disponibilidade nas mãos de Deus, como Maria: ''Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim conforme a tua palavra'' (Lc 1,38).

Importante – Se achas que não preenches um dos requisitos acima, não desanimes, pois podes mudar, crescer e adquirir aos poucos estas qualidades. Eu estou para te ajudar a crescer na vocação, através do acompanhamento vocacional. Também ninguém vai exigir que já tenhas adquirido todas estas qualidades. Basta que demonstres que queres e tens capacidade de as adquiri no futuro.
''Deus é testemunho de que eu vos amo a todos com a ternura de Cristo Jesus. E é isto que eu peço; que o vosso amor cresça cada vez mais, em conhecimento e sensibilidade, a fim de poderdes discernir o que mais convém, para que sejais puros e irrepreensíveis no dia de Cristo'' (Fl 1,8-10).