Novena da Medalha Milagrosa

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós

A medalha milagrosa
Usar medalhas não é uma superstição. No Concílio de Trento, em 1563, a Igreja fixou o bom uso de medalhas, imagens, escapulários, lembrando aos cristãos que é preciso que fique bem claro que, quando veneramos as imagens de Cristo, da Virgem e dos Santos, não significa que colocamos a nossa fé nas imagens, mas que veneramos as pessoas que elas representam.

Não devemos considerar a medalha de Nossa Senhora das Graças um talismã ou um amuleto com poderes mágicos. Ela ajuda-nos a conservar o amor da Virgem vivo no nosso coração e no nosso espírito, estimulando-nos a demonstrar o nosso reconhecimento através da fé e de um comportamento digno de um filho de Nossa Senhora.
A mensagem da medalha é clara: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.” Ela revela-nos a Imaculada Conceição de Maria e a sua cooperação na salvação concedida por seu divino Filho, bem como a sua maternidade universal. (Do Devocionário a Nossa Senhora das Graças)

 

Novena da Medalha Milagrosa

Sinal da cruz

Acto de contrição
Senhor meu, Jesus Cristo, Deus e Homem verdadeiro, Criador e Redentor meu. Por serdes Vós quem sois, sumamente bom e digno de ser amado sobre todas as coisas, e porque Vos amo e estimo, pesa-me, Senhor, por Vos ter ofendido, e pesa-me também por ter perdido o Céu e merecido o Inferno.

Mas proponho firmemente, com o auxílio de Vossa divina graça e pela poderosa intercessão de Vossa Mãe Santíssima, emendar-me e nunca mais Vos tornar a ofender.
Espero alcançar o perdão das minhas culpas, por Vossa infinita misericórdia. Assim seja.

Rezar três vezes: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!”

1º dia – Primeira aparição

Contemplemos a Virgem Imaculada na sua primeira aparição a Santa Catarina Labouré.
A piedosa noviça, guiada pelo seu Anjo da Guarda, é apresentada à Imaculada Senhora. Consideremos a sua inefável alegria.
Seremos também felizes como Santa Catarina se trabalharmos com ardor na nossa santificação.
Gozaremos as delícias do Paraíso se nos privarmos dos gozos terrenos.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Oração final
Santíssima Virgem, eu reconheço e confesso a vossa Santa e Imaculada Conceição, pura e sem mancha.
Ó puríssima Virgem Maria, pela vossa Conceição Imaculada e gloriosa prerrogativa de Mãe de Deus, alcançai-me do vosso amado Filho a humildade, a caridade, a obediência, a castidade, a santa pureza de coração, de corpo e espírito, a perseverança na prática do bem, uma santa vida, uma boa morte e a graça de (pede-se uma graça), que peço com toda a confiança. Amém.

2º dia – Lágrimas de Maria
Contemplemos Maria a chorar sobre as calamidades que viriam sobre o mundo, pensando que o Coração de seu filho seria ultrajado na cruz, escarnecido e os seus filhos predilectos perseguidos.
Confiemos na Virgem compassiva e também participaremos do fruto das suas lágrimas.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Rezar a oração final

3º dia – Protecção de Maria
Contemplemos Nossa Imaculada Mãe dizendo nas suas aparições a Santa Catarina: “Eu mesma estarei convosco: não vos perco de vista e vos concederei abundantes graças.”
Sede para mim, Virgem Imaculada, o escudo e a defesa em todas as necessidades.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Rezar a oração final

4º dia – Segunda aparição
Estando Santa Catarina Labouré em oração, a 27 de Novembro de 1830, apareceu-lhe a Virgem Maria, formosíssima, esmagando a cabeça da serpente infernal.

Nesta aparição vemos o seu desejo imenso de nos proteger sempre contra o inimigo da nossa salvação. Invoquemos a Imaculada Mãe com confiança e amor!

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Rezar a oração final

5º dia – As mãos de Maria
Contemplemos hoje Maria desprendendo das suas mãos raios luminosos.
Estes raios, disse Ela, são a figura das graças “que derramo sobre todos aqueles que mas pedem e aos que trazem com fé a minha medalha”.
Não desperdicemos tantas graças! Peçamos com fervor, humildade e perseverança e Maria Imaculada no-las alcançará.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Rezar a oração final

6º dia – Terceira aparição
Contemplemos Maria aparecendo a Santa Catarina, radiante de luz, cheia de bondade, rodeada de estrelas, mandando cunhar uma medalha e prometendo muitas graças a todos que a trouxerem com devoção e amor.

Guardemos fervorosamente a Santa Medalha, e como um escudo nos protegerá dos perigos.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!”

Rezar a oração final

7º dia
Ó Virgem Milagrosa, Rainha Excelsa Imaculada Senhora, sede a minha advogada, o meu refúgio e asilo nesta Terra, a minha fortaleza e a defesa na vida e na morte, o meu consolo e a minha glória no Céu.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Rezar a oração final

8º dia
Ó Virgem Imaculada da Medalha Milagrosa, fazei com que esses raios luminosos que irradiam das vossas mãos virginais iluminem a minha inteligência para melhor conhecer o bem e abram no meu coração vivos sentimentos de fé, esperança e caridade.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Rezar a oração final

9º dia
Ó Mãe Imaculada, fazei com que a cruz da vossa medalha brilhe sempre diante doa meus olhos, suavize as penas da vida presente e me conduza à vida eterna.

Rezar três Ave-Marias, seguida cada uma da invocação: “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!”

Rezar a oração final