Datas marianas a recordar
Image

1 DE JANEIRO Santa Maria Mãe de Deus
Dia mundial da paz. A mais antiga festa mariana era celebrada a 26 de Dezembro já no decurso do século V em Bizâncio como «memória da Genetriz de Deus». Em Roma é mudada para o 1.º de Janeiro, oitava do Natal, com o nome de Natalis Sanctae Mariae. O dia da Paz foi instituído por Paulo VI, em 1968.

2 DE FEVEREIROApresentação do Senhor
A festa deriva de uma tradição do século IV e é introduzida na Igreja de Roma durante o século VII com o título Purificatio Sanctae Mariae (Purificação de Maria). O uso das velas acesas (candelária) parece que se deve atribuir a motivos contingentes: a procissão desde o Foro Romano até Santa Maria Maior realizava-se, de facto, de noite.

11 DE FEVEREIRONossa Senhora de Lourdes
Nossa Senhora aparece dezoito vezes (de 11 de Fevereiro a 16 de Julho de 1858) a Bernardette Soubirous na gruta de Massabiele (Lourdes). A memória foi introduzida no calendário romano por Pio X, em 1907.

25 DE MARÇOAnunciação do Senhor
Foi introduzida em Roma por monges bizantinos no século VII e assumiu o título de «Anunciação de Maria». A data, que recai nove meses antes do Natal, exprime a referência ao nascimento do Salvador: celebra por isso mesmo o Verbo que Se torna «Filho de Maria» e a Virgem que Se torna «Mãe de Deus».

13 DE MAIONossa Senhora de Fátima
No ano de 1917, quando o mundo se debatia ainda nas violências e atrocidades da guerra, a Virgem Maria apareceu seis vezes em Fátima a três Pastorinhos: Lúcia, Jacinta e Francisco. Por meio deles, a Santa Mãe de Deus recomendou insistentemente aos homens a firmeza da fé e o espírito de oração, penitência e reparação. O culto de Nossa Senhora de Fátima, depois de ter sido aprovado pelo Bispo da diocese de Leiria e, mais tarde, confirmado pela Autoridade Apostólica, foi especialmente honrado com a peregrinação do Papa Paulo VI ao local das aparições no ano de 1967, e de João Paulo II no ano de 1982.

24 DE MAIOMaria Auxiliadora dos Cristãos
No emaranhado suceder-se dos acontecimentos humanos, o povo cristão muitas vezes experimentou na sua história o auxílio concreto da Virgem Maria, sobretudo nos momentos particularmente difíceis da vida da Igreja. Daí nasceu o costume de invocar a Mãe de Deus também com o título de "Auxiliadora dos Cristãos". A data da festa foi fixada em 24 de Maio, porque foi neste dia que o Papa Pio VII, milagrosamente libertado da prisão, voltou para Roma, em 1814.

31 DE MAIOVisitação de Nossa Senhora
Os Franciscanos, em 1263, introduziram esta festa fixando-a em 2 de Julho.
Bonifácio IX, em 1401, inseriu-a no calendário da Igreja universal. O novo ordenamento litúrgico colocou-a no lugar da festa de Maria Rainha, antecipando-a à solenidade que comemora o nascimento de João Baptista.

16 DE JULHONossa Senhora do Carmo
Foram os Carmelitas (surgidos durante o século XII no monte Carmelo, na Palestina) que introduziram nos finais do século XIV esta memória, depois acolhida, em 1726, no calendário romano.

5 DE AGOSTODedicação da Basílica de Santa Maior
O Papa Libério (352-366) mandou construir uma basílica na colina Esquilino, em Roma; o Papa Sisto III, depois do concílio de Éfeso (431) que definiu a maternidade divina de Maria, dedicou-a à Virgem. A basílica de Santa Maria Maior é o mais importante templo mariano do Ocidente.

15 DE AGOSTOAssunção da Virgem Santa Maria
Esta solenidade deriva de uma liturgia local de Jerusalém, ligada a uma igreja em que se pensava que estivesse a sepultura de Maria. No século VI foi introduzida na liturgia bizantina e, um século depois, em Roma. A definição dogmática da assunção corpórea de Maria ao céu foi proclamada em 1950.

22 DE AGOSTOVirgem Santa Maria, Rainha
Introduzida por Pio XII, em 1954, celebra-se a 31 de Maio. Depois foi transferida para a antiga oitava da Assunção.

8 DE SETEMBRONatividade da Virgem Santa Maria
A origem desta festa deve procurar-se no Oriente, onde se celebrava desde o século V a dedicação de uma igreja da natividade de Maria. Em Roma foi introduzida juntamente com a Apresentação do Senhor, a Anunciação e a Assunção, no século VII.

15 DE SETEMBRONossa Senhora das Dores
A devoção às sete dores de Maria, surgida na Idade Média, deu origem a esta memória, que foi posteriormente difundida pelos Servos de Maria e alargada a toda a Igreja por Pio VII, em 1814.
Colocada logo a seguir à festa da Exaltação da Santa Cruz (14 de Setembro), recorda a presença de Maria aos pés da Cruz.

7 DE OUTUBRONossa Senhora do Rosário
Foi introduzida por Pio V em acção de graças pela vitória contra os turcos na batalha naval de Lepanto (7 de Outubro de 1571), e tornou-se festividade da Igreja universal, em 1716, por obra de Clemente XI.

21 DE NOVEMBROApresentação da Virgem Santa Maria
A festa era celebrada em todo o império bizantino em recordação da «ida de Maria ao templo», acontecimento de que fala o proto-evangelho de Tiago. A origem apócrifa desta festa retardou a sua extensão no Ocidente, onde começou a ser celebrada em Avinhão, no tempo do Papa Gregório IX, em 1373. Sisto V, em 1585, inseriu-a definitivamente no calendário romano.

8 DE DEZEMBROImaculada Conceição da Virgem Santa Maria
A primeira testemunha de uma festa da «conceição de Santa Ana, mãe da Genetriz de Deus», que se celebrava em Bizâncio a 9 de Dezembro, é o hinógrafo André de Creta, falecido em 740. Tendo chegado ao Ocidente, já no século IX era celebrada a 8 de Dezembro. Foi inserida no calendário romano por decisão de Sisto IV, em 1476. Em 1854 Pio IX proclamou o dogma da Conceição Imaculada da Bem-Aventurada Virgem Maria.