Como posso tornar-me uma pessoa madura na fé?

 

Como posso tornar-me uma pessoa madura na fé? 

 

Os 30 “quês” de uma pessoa madura na fé

 

Estamos num mundo muito pluralista, por isso precisamos de nos tornar verdadeiros especialistas em matéria de fé e conversão. Se não for assim, os cristãos “mais ou menos” não vão resistir. Daí, então, a necessidade de um amadurecimento real e concreto na fé.

 

Em comunhão com a evangelização, é preciso levar os outros ao encontro pessoal com Jesus, pois só assim nos vamos tornando maduros na fé, que nada mais é do que sermos crianças nas mãos de Deus. Livres da “maturidade” somente humana que questiona tudo, vamos a caminho de sermos “verdadeiros cristãos com coluna vertebral”, como expressou João Paulo II.

 

Textos bases para um aprofundamento e um exame de consciência a respeito da nossa fé: 1 Cor 3,1-9; Heb 5,12-14; Ef 4,11-15.

 

Como ser uma pessoa madura na fé?

 

A pessoa que tem uma fé vivida de forma madura com Deus:

 

1 –  Escolhe inteiramente Deus;

 2 – Sabe discernir a vontade d’Ele;

 3 – Faz a vontade d’Ele até ao fim;

 4 – Vive o Evangelho sem perguntas;

 5 – É livre no Senhor;

 6 – Sabe obedecer;

 7 – Sabe reconhecer os sinais dos tempos;

 8 – Vive uma individualidade, não um individualismo;

 9 – É capaz de viver a alteridade;

 10 – Vive uma fé com obras.

 

Amor e compaixão ao próximo

 

A pessoa que tem uma fé vivida de forma madura com o próximo:

 

1 – Pergunta sem duvidar do próximo;

 2 – Vive a fé com o próximo;

 3 – Consegue adaptar-se ao diferente;

 4 – Alegra-se com o crescimento do próximo;

 5 – Reconhece o outro, por este ser também um filho de Deus;

 6 – Sabe o seu papel na sociedade;

 7 – Contagia o próximo com a santidade;

 8 – Tem como única competição amar mais o próximo;

 9 – Ama com caridade;

 10 – É original na fé e na opinião.

 

Ser fiel consigo

 

A pessoa que tem uma fé vivida de forma madura consigo:

 

1 – Tem autonomia na fé;

 2 – É perseverante mesmo no sofrimento;

 3 – Agarra-se, compromete-se;

 4 – É especialista no que faz;

 5 – É como “para-raios” na intercessão;

 6 – Conhece a própria verdade;

 7 – Assume as experiências vividas;

 8 – Sabe receber elogios e também críticas;

 9 – Sabe falar e também escutar;

 10 – Deixa-se trabalhar no temperamento pelo Espírito de Deus.