O que não dizer a uma pessoa com cancro

 

O que não dizer a uma pessoa com cancro 

 

Ninguém nasce forte para sofrer, mas escolhe não enfraquecer diante do cancro, porque escolhe a vida

O que não dizer a uma pessoa com cancro? “Cabelo, é o menos!”, “O que sentiste mesmo? Acho que estou a sentir o mesmo. Morro de medo de ter o que tu tens!”, “Deus sabe o que faz. Eu não suportaria, é porque tu és forte!”, “Deus dá o frio conforme o cobertor!”

Estas frases não são nada consoladoras! Portanto, se uma pessoa que conheces descobrir que tem cancro, por favor, tira estas palavras da tua lista quando fores conversar com ela. Especialmente, se for uma mulher.

Começo pela frase sobre o cabelo. Sinto muito, mas cabelo não é o de menos! Para a mulher, muito mais do que apenas estética, o cabelo representa boa parte da identidade feminina, e algumas têm uma história com as suas madeixas; então, perdê-las, de um dia para o outro, não é tarefa simples, mas não é impossível também.

Resolvi disfarçar

Lembro-me de que, quando soube que ia passar pela quimioterapia, fiquei a pensar o que faria com os meus cabelos. Na época, tinha-o até ao meio das costas e aloirados, como eu tanto gostava! O meu esposo levou-me ao salão e, delicadamente, convenceu-me de que eu ficaria linda com um cabelo mais curto. Foi uma experiência estranha, mas, ao fim, senti-me bem. Porém, aquele corte duraria pouco. A quimioterapia logo começaria.

Ganhei da minha mãe uma peruca moderna, daquelas que colam na cabeça e imitam couro cabeludo. Com ela, eu passaria pela multidão e me livraria dos olhares de piedade do tipo: “Pobre rapariga, tão jovem e com cancro!” Resolvi “disfarçar-me”.

Um dia antes da primeira sessão, raspei a cabeça, para depois colocar a peruca. Foi divertido ver a cara de espanto do meu marido, vendo-me careca. E eu disse: “O que foi? Nunca viste?” Pergunta óbvia! E ele (para meu total espanto) disse: “Agora, tenho a certeza de uma coisa: tu és realmente linda, porque, mesmo careca, ficas bonita. Como pode?”. Achei tão engraçado aquilo! Ele era mesmo apaixonado por mim! E eu fiquei ainda mais por ele.

O que dizer nessa hora?

Não é tarefa simples para uma mulher perder os cabelos, eles não são “o de menos”. Por isso, sugiro que, ao presenciares alguém perder os cabelos, especialmente uma mulher, lembra-te de que, só ela sabe o que isso significa para ela.

Frases do tipo “Como queres que eu a ajude a sentir-se melhor?” ou “O que acreditas que vai combinar contigo? Uma peruca ou um lenço? Queres experimentar antes?”, podem fazer mais efeito. Se não souberes o que dizer, o silêncio não é sinónimo de vazio, ele pode dizer mais do que palavras.

As outras frases que citei acima, referem-se naturalmente ao facto de que, quando uma pessoa passa por um cancro, se torna um “para-raio” de informações sobre a doença. As pessoas têm medo de ter o que tiveste e algumas querem, com uma ideia hipotética de controlar a própria vida, saber detalhes do que aconteceu para prevenir a doença em si mesmo. Até certo ponto, isto é bom, e eu mesma tenho a alegria em ajudar e alertar as mulheres. O mau é sempre o exagero, quando olham para ti e fazem o sinal da cruz, com medo.

Elas esquecem-se de que o sofrimento é inerente ao ser humano, e que, no dia anterior ao meu diagnóstico, eu também lia nas revistas as histórias de mulheres com cancro e, igualmente, não imaginava que um dia seria uma delas. Creio que falta a alguns, mais naturalidade à percepção de que somos mortais.

A escolha diante do sofrimento

Dizer “Eu não suportaria”; “É porque tu és forte”, é um verdadeiro engano! Ninguém gosta de sofrer e ninguém se programa para isso, mas quando o sofrimento bate à nossa porta, temos de fazer uma escolha: deixamos que ele defina quem somos, esmagando-nos e vitimando-nos ou decidimos que ele só reforçará o que temos de melhor, e aproveitaremos a vida após esta experiência de uma maneira muito mais sábia e interessante. Então, ninguém nasce forte para sofrer, mas escolhe não se enfraquecer diante das dores, porque escolhe a vida.

Lembro-me de que, as frases que mais me faziam bem eram: “Comunguei por ti hoje na Missa!” ou “Lá em casa, um mistério do Terço é em tua intenção”. Que bom! Ouvir isto era como um bálsamo. Primeiro, porque a força da oração é capaz de nos sustentar em situações humanamente impossíveis de suportar; segundo, porque saber que alguém se lembrou de nós numa oração, mesmo com tantas outras intenções na sua vida, é prova de que realmente, ela se importa connosco, e isso faz com que nos sintamos amadas; e o amor cura.

O sofrimento assusta a todos nós

Apesar de ter citado estas frases, entendo perfeitamente que o sofrimento assusta a todos nós. Quantas vezes, diante de uma pessoa que sofria, fiquei sem palavras e até disse balelas! Então, ouvi frases felizes e infelizes durante o meu tratamento, mas não trago nenhum rancor, porque olhei para mim mesma e vi que não estou preparada para lidar com o sofrimento alheio. Assim, não tenho o direito de exigir de ninguém as melhores palavras. Hoje, quando lembro algumas situações, até me divirto e tento me rever quando me aproximo de algum sofredor. Mas, de qualquer forma, fica a partilha da minha experiência.