Estás triste? Vê como sair da tristeza

Estás triste? Vê como sair da tristeza

 

O inimigo serve-se da tristeza para tentar os bons até nas suas boas obras; como se esforça para levar os maus a alegrarem-se das suas más acções; e como ela não nos pode seduzir ao mal senão fazendo-o parecer agradável, assim também não nos pode apartar do bem senão fazendo-o parecer incómodo.

Pode-se dizer que, o inimigo, sendo ele mesmo acabrunhado duma tristeza desesperadora por toda a eternidade, quer que todos os homens sejam tristes como ele.

A má tristeza perturba a alma, inquieta-a, inspira temores desregrados, tira o gosto da oração, traz ao espírito uma sonolência de morte, impede-a de tirar proveito dos bons conselhos, de tomar resoluções e de ter o ânimo e a força de fazer qualquer coisa.

Numa palavra ela produz nas almas as mesmas impressões que o frio excessivo nos corpos, que se tornam hirtos e incapazes de se mover.

Se fores algum dia, Filoteia, acabrunhada por essa má tristeza, lembra-te destas regras: Se alguém de vós está triste, diz S. Tiago, pois que ele reze.

E a oração é um remédio salutar contra a tristeza, porque eleva o nosso espírito a Deus, que é a nossa alegria e consolação.

Emprega nas tuas orações estas palavras e afectos que inspiram maior confiança em Deus e o seu amor:

Ó Deus de misericórdia! Ó Deus infinitamente bom! Meu benigníssimo Salvador! Ó Deus do meu coração, minha alegria e minha esperança! Ó esposo da minha alma! Ó Dilecto do meu coração!

Fonte: Da “Filoteia” de São Francisco de Sales