Carta a Deus escrita por uma jovem estudante

Gratidão, conversão, oração, felicidade

Image

Deus, se eu soubesse como começar, tudo o resto seria fácil; mas hoje parece-me muito difícil, embora saiba que, se eu começar a carta assim, acabarei por Te contar muitas coisas. Bom, Tu já sabes por onde vou, e conheces-me. Antes de continuar, quero dar-Te graças porque estás sempre à minha espera e eu sei que gostas de mim. No meio deste mundo tão maravilhoso, é bom saber que gostas de mim!... Não me relaciono muito contigo, mas sabes que o desejo. Penso que ninguém tem o exclusivo da verdade, mas todos juntos (todos os homens juntos), se procurarmos com sinceridade, alcançá-la-emos, porque cada pessoa possui um pouco da verdade. Só Tu tens a verdade, porque Tu és a verdade.
Estou certa de que quem julga ter a verdade ainda tem muito que aprender. A minha busca solitária é importante, porque me encontro um pouco mais a mim própria; no entanto, essa mesma busca leva-me a partilhar com os outros. Julgo que, por vezes, o nosso grupo não funciona, embora seja o meio que temos para Te procurar e construir a comunidade. Devemos prosseguir todos juntos, ajudando-nos e respeitando-nos nas parcelas de verdade que tenhamos, e pensando:
«Talvez a sua verdade não seja a minha, mas ajuda-me».
Jesus Cristo, sabes que sou sincera e gostaria de partilhar mais a minha vida contigo, gostaria de Te escutar mais ou, simplesmente, de estar contigo e de saber que Tu estás comigo. Se Eu não soubesse que Te tenho, não saberia que fazer. Sou tão feliz desde que descobri que Tu és a verdade!
Tb no meu grupo, desde que digo o que sinto, me chamam louca, mas se isso é ser louca, viva a loucura! Em minha casa tento superar a minha preguiça, apesar de ser muito preguiçosa.
Não quero esquecer-me de Te dizer que estou muito feliz, porque agora também sinto amor. Sim, sinto amor por todas as pessoas e também pelas que me são mais próximas. Devo pedir-Te perdão pela minha atitude para com os outros e por muito mais coisas que Tu já sabes, porque as viste no meu coração.
Eu quero mudar por Ti, não para me atar a Ti, mas porque Tu me tornas livre, me tornas tão livre! Que maravilha, Jesus Cristo!
Sabes mais uma coisa? Quero ser barro para que Tu me modeles. Se alguma me afastar de Ti, lembra-te que eu Te disse que quero mudar, quero que Tu as o oleiro, que modele o meu coração.
Agora despeço-me; mas, como hei-de despedir-me de Ti, se vais continuar no coração, se todos os meus instantes são teus? Não, não posso despedir-me; Te quero dizer, mesmo que pareça muito romântico: amo-Te, e este «amo-Te» ai mudar a minha vida. Obrigada por Me escutares. Perdoa os borrões, são como da minha vida; então, perdoa a minha vida. Até breve, Senhor.
PATRÍCIA