Hipertensão arterial

 

Hipertensão arterial

 

Hipertensão arterial, uma doença que não pode ser negligenciada

 

A hipertensão arterial, mais conhecida como “pressão alta”, pode ser encarada como uma doença ou como uma situação que pode levar à coerência de moléstias cardiovasculares. Não deve ser vista apenas como um simples resultado elevado da medida da pressão arterial. Na grande maioria das vezes, não provoca sintomas. Outras vezes, os sintomas são gerais (podem ocorrer em qualquer doença), como dores de cabeça, tonturas, mal-estar.

Este é o grande perigo, pois a pessoa pode viver durante muito tempo com a pressão elevada e praticamente sem sintomas. Infelizmente, o primeiro sintoma pode ser o acidente vascular cerebral, o infarto do miocárdio ou até mesmo a morte, resultando em seu codinome: a assassina silenciosa.

É muito importante entender que, quem sofre de hipertensão arterial terá de fazer o controle durante toda a vida. A maioria das pessoas (95%) não consegue descobrir a sua causa.

 

Abandonar os remédios prescritos pelos médicos é uma atitude extremamente perigosa

Muitas vezes, os doentes abandonam a terapêutica medicamentosa que que o médico recomendou, por acharem que não estão a sentir nada ou por se considerarem curados.

Outros fazem autotestes com a suspensão da medicação “só para ver se estão curados” ou “para saber se realmente precisam de tomar remédio para a pressão”. Nunca façam essas experiências, porque lhe podem sair caro demais.

Uma médica atendeu uma senhora no seu consultório, que vinha numa cadeira de rodas e não conseguia falar nada. Apenas balbuciava algo que não se podia entender. Aquela senhora tinha tido um acidente vascular cerebral em consequência de uma crise hipertensiva, porque tinha suspendido a medicação anti-hipertensiva. Este tipo de acidente é muito triste. É o preço que se paga por acreditar que, por não sentir nada, se pode suspender a medicação.