No Horto, com Jesus
NO HORTO, COM JESUS        

Nesta noite de quinta-feira, é no Horto que marco encontro convosco, contigo, e contigo também. Esta é uma noite que podereis tornar de muito amor, se estiverdes dispostos a abdicar das vossas comodidades, para ficar comigo.         Quantas vezes, estas mesmas comodidades estão para vós em primeiro lugar!

Pergunto-vos como podeis ficar sossegados em casa, ir tranquilamente para distracções, nesta noite, justamente nesta noite em que preciso de vós, da vossa companhia, da vossa oração, porque é a noite em que muito mal se faz pelo mundo.         

As noites dessa quinta-feira, sexta-feira e sábado são as noites da prática de maiores pecados, mas a de quinta-feira é a que recorda a minha noite de Amor e, por isso, é a noite escolhida pelo meu inimigo, para mais Me ultrajar.        

Que sabeis disso? Nada, vós nada sabeis, porque, para saberdes alguma coisa, era preciso terdes tomado parte nessas cerimónias de sacrilégio.        

Não sabeis e não queiras saber senão que nas noites de quinta-feira o mal está mais activo e procura ultrajar-me directamente, ainda mais que nos outros dias e nas outras noites.        

À quinta-feira, enquanto dormes, sou cruelmente ofendido em cerimónias feitas expressamente com esse fim e com o fim de procurar elevar o próprio mal e cultuá-lo.         

É por isso que vos peço que, nesta noite, entreis comigo no Horto e Me façais companhia, que procureis com o vosso amor reparar os ultrajes efectuados em lugares que talvez sejam perto do lugar onde estais.        

Não vos admireis ue vos peça companhia no Horto e, como tal, vos faça recuar no tempo, Meus filhos, Eu sou o Senhor do tempo. Para Mim não há tempo. O tempo só existe para vós.        

É verdade que ressuscitei e estou no Céu, mas isso não quer dizer que vivais em contínua alegria enquanto o pecado se expande, enquanto as forças do mal estão activas, muito mais activas do que aqueles que dizem amar-Me.        

 Se ressuscitei é porque morri. E morri no meio de dores que não podeis sequer imaginar. Não teria ressuscitado se não tivesse morrido, e então não teríeis agora uma Ressurreição para vos alegrar.          

Passei pela morte, mas antes passei pelo Horto, onde vi tudo o que iria sofrer e a forma como, através dos séculos seria correspondido. Por isso é no Horto que espero a vossa companhia e a vossa reparação.         

O Horto é um lugar onde não disse muitas coisas, porque não tinha companhia a quem dizer, porque o sofrimento Me fazia repetir sempre as mesmas palavras, e porque aqui é um lugar de oração intensa, e a oração quanto mais intensa, mais silenciosa se torna.        

Não vos iludais, meus filhos, com orações muito bonitas, e não penseis que não sabeis rezar, porque não sois capazes de ter belas palavras para os vossos irmãos ouvirem. Reparai! A oração é para mim e não para os vossos irmãos, e Eu não preciso de ouvir os vossos corações.        

Embora vos seja útil a oração em voz alta, para unir mais os irmãos entre si e para levantar o ânimo e orientar a oração de alguns, tudo isso tem o seu tempo próprio.        

Quando vos chamo ao Horto, para junto de Mim, quero apenas o vosso coração, sem dispersões exteriores. Não importa a ninguém se sabeis rezar bem ou não. Importa que estejais comigo, que o vosso coração fale comigo, que Me olheis só a Mim.        

Nesses momentos também estou convosco, e o Meu Coração comunica-se ao vosso coração sem palavras.