Alentejano salta de paraquedas

+ O Joãozinho entra em casa a correr e mostra ao pai um canivete novo que achou na rua.

- Mas tens a certeza que foi perdido? - Pergunta o pai.

- Foi perdido foi, que eu bem vi o homem andar à procura dele.

 

+ Joãozinho chega a casa e entrega ao pai o recibo da mensalidade escolar. - Meu Deus! Como é caro estudar nesse colégio. E o menino: - E olhe, pai, eu sou o que menos estuda da minha classe!

 

 

+ Só me apetece morrer

Num consultório médico, queixa-se a doente:
- Ai, senhor doutor, sinto-me tão doente, tenho tantas dores, que só me apetece morrer!

Diz o médico:
- Então, fez muito bem ter cá vindo…

 

 

+ Problemas na perna esquerda

Um velhote foi ao médico por causa de umas dores, diz o médico:
- O problema que o senhor tem na perna esquerda é próprio da idade.

Responde o doente:
- Não pode ser, senhor doutor!

Refila o médico:
- Não pode ser?! O senhor dúvida do meu diagnóstico?

E diz o doente:
- Pois duvido, a perna direita tem a mesma idade e está boa!

 

 

+ Resultado de uma alimentação saudável

Uma senhora pega no telefone, liga para o Centro de Saúde e pede para falar com o Médico de Família. O médico do outro lado:
- Sim? Fala o Dr. Mata Sereno. Faça favor de dizer.

Diz a mulher:
- Senhor doutor, eu sou a mulher do seu doente, o Anastácio das Dores, a quem aconselhou uma
alimentação saudável, nomeadamente evitar os farináceos, as carnes vermelhas, os peixes salgados, as bebidas alcoólicas, o café e o tabaco. Lembra-se?!

Responde o médico:
- Ah, perfeitamente, minha senhora! E então, o seu marido tem levado esse conselho à risca?

Diz a mulher:
- Há três meses que ele o iniciou…

- Óptimo! E que tal? – Pergunta o médico.

Informa a mulher:
- O funeral dele é amanhã…

 

 

+ Calças sujas

O marido:

- Afinal, ainda não limpaste as minhas calças como te pedi!

A mulher:

- Ora essa! Porque é que dizes isso?!

O marido:

- Porque, num dos bolsos, ainda lá está uma nota de dez euros…

 

+ O AGRICULTOR E OS PORCOS

Um agricultor tinha muitos porcos. Certo dia, alguém apareceu e perguntou ao homem:

- O que é que dá de comer aos seus porcos?

Responde o agricultor:

- Ora, dou-lhes restos. Porquê?

Respondeu o outro indivíduo:

- Porque eu sou da Associação para a Protecção dos Animais. O senhor não alimenta os seus animais como deve ser, de modo que vou ter que o autuar.

Passados uns dias, outra pessoa aparece e pergunta ao homem:

- O que é que dá de comer aos seus porcos?

O agricultor, com medo de ser novamente autuado, decidiu por outra resposta:

- Eu?! Eu trato-os muito bem! Dou-lhes salmão, caviar… Porquê?

- Porque eu sou das Nações Unidas. Sabe, não é justo os seus porcos comerem tão bem quando há tanta gente a morrer de fome por esse mundo fora. Vou ter que o autuar.- Respondeu o homem.

O agricultor fica mesmo aborrecido. Passados mais uns dias, aparece outra pessoa que faz novamente a mesma pergunta:

- O que é que você dá de comer aos seus porcos?

O agricultor hesita um bocado e finalmente diz:

- Olhe… Não lhes dou nada… Entrego cinco euros a cada e cada um vai comer o que quiser!

 

 

+ ALENTEJANO SALTA DE PARAQUEDAS

O avião militar subiu até à altitude conveniente para o efeito. O capitão paraquedista chamou então o recruta alentejano que ia saltar pela primeira vez de paraquedas. E o capitão explicou-lhe:

- É tudo muito simples. Vejo que já estás equipado com o paraquedas nas costas. Então, quando a porta lateral do avião for aberta, tu aproximas-te dela, abres as pernas e os braços, contas até dez, pausadamente, e atiras-te para o espaço. Quando fores no ar, contas até cinco e puxas a argola direita que está no equipamento. Se, por acaso, essa argola não accionar a abertura do paraquedas, tens uma argola de emergência, no lado esquerdo. Puxa-a! Depois, quando chegares ao solo, no círculo assinalado, estará uma bicicleta que montarás para chegares ao quartel.

O alentejano aguardou, então, pelo momento próprio e, à ordem de saltar, voou para o espaço. Contou até dez e depois puxou a argola da direita. Nada! O paraquedas não abriu! Rapidamente, puxou a argola do lado esquerdo… e nada! O paraquedas continuou fechado!

Já em queda livre, diz o pobre do alentejano:

- Querem ver que, agora, também não está lá a bicicleta?!

 

 

+ O BÊBADO E A PALESTRA

Um bêbado é abordado às 3 da manhã pela polícia:

O polícia pergunta:

- Para onde vai nesse estado, a esta hora?

O bêbado responde:

- Vou a uma palestra sobre o abuso do álcool e os seus efeitos letais para o organismo, o mau exemplo, as consequências nefastas para a família, bem como o problema que causa na economia familiar e a irresponsabilidade absoluta.

O polícia olha sem acreditar e diz?

- A sério? E quem vai dar uma palestra às 3 horasda madrugada?

- E quem pode ser? … A minha mulher… logo que chegar a casa.

 

+ SENHORA QUER VENDER O SEU CARRO VELHO

Depois de ganhar um carro, uma senhora quer vender o seu carro velho, mas tem dificuldades porque o mostrador acusa 250 000 Km. Após muito refletir, decide pedir conselho a uma amiga. A amiga disse-lhe:

- Estás pronta para fazer algo ilegal?

- Sim! - ela - Quero vendê-lo, custe o que custar!

- Então, vai ter com o meu amigo Toni que é mecânico. E ele coloca o contador de quilometragem em 50.000 Km.

A senhora foi ter com o Toni, que colocou o contador de quilometragem em 50.000 Km. Alguns dias mais tarde, encontram-se, e a amiga pergunta-lhe:

- Então conseguiste vender o carro?
- E ela:
- Estás doida? Agora que ele só tem 50.000 Km, eu fico com ele!

 

+ COMO É QUE COMEÇA A GUERRA

- Papá: como é que começa a guerra?

- Olha: supõe que a Espanha, por exemplo, apreendia um barco dos nossos...

- Ó homem! Não ensines uma coisa dessas à criança. A Espanha nunca nos fazia isso. De mais a mais, estamos de ótimas relações.

- Mas isto é só uma suposição...

- Mas é uma suposição parva. Não tem jeito nenhum.

- Ó mulher, cala-te. Isto é só como exemplo...

- Cala-te tu, que tu é que estás a dizer asneiras.

- Fazes-me perder a paciência, diabo!

- O quê? Estás a ameaçar? Julgas que me metes medo?

- Ó mulher... eu...

- Pronto, papá! Pronto! Já sei como é que começa a guerra.

 

 

+ PAGA OU VAIS A PÉ

Um turista pretende alugar um barco para dar um passeio pelo lago Tiberíades.
Pergunta o preço à hora.

- Mil euros - responde o empregado.

- O quê?! Mil euros! Mas isso é incrivelmente caro! - insurge-se o turista.

- Não se esqueça de que este não é um lago qualquer. Este é o lago Tiberíades, o lago que o próprio Jesus Cristo atravessou a pé.

- Não me espanta nada! Com estes preços!

 

+ Mulheres em grupo

Um grupo de mulheres reuniu-se num seminário sobre como melhorar a sua vida conjugal.

Em fase introdutória, foi-lhes questionado: "Quais de vós ainda amam os seus maridos?”

– Todas levantaram a mão!

De seguida foram inquiridas sobre qual a última vez que teriam dito aos seus maridos que o amavam.

– Algumas responderam "Hoje”, outras; "Ontem”; a maioria não se recordava!

Por fim fizeram um teste e pediram-lhes que todas pegassem no respectivo telemóvel e enviassem um sms aos seus maridos a dizer "Amo-te muito, Querido.”

Depois foi-lhes pedido que mostrassem as respostas dos respectivos Maridos.

Estas foram algumas das respostas:

– Mãe dos meus filhos! Tu estás bem?

– Que foi? Bateste com o carro outra vez?

– Que fizeste agora? Desta vez não te perdoo!

– Que queres dizer?

– Não andes com rodeios, diz-me só de quanto precisas.

– Estarei a sonhar?

– Se não me dizes para quem era este sms, juro que te mato!

E a melhor de todas:

– Quem és?

 

+ A VELA

Um casal não conseguia ter filhos, e sabendo que o padre da paróquia ia a Roma, pediu-lhe que rezasse pela sua conceção.

O padre disse-lhes:

- Não se preocupem. Logo que chegue a Roma vou acender uma vela por vós.

Três anos depois, o padre regressa à paróquia e vai visitar o casal.

E encontra a mulher com três filhos pequenos, dois dos quais gémeos, e já grávida novamente.

Diz ele:

- Mas que maravilha! Finalmente conseguiram ter filhos! Onde está o seu marido? Quero dar-lhe os parabéns!

- Foi a Roma!

- A Roma?

- Sim, foi ver se apaga a vela!

 

 

+ Velhota sem inimigos!

No fim da missa de domingo, o padre dirigiu-se aos seus fiéis, perguntando:

- Quantos de vocês já conseguiram perdoar a todos os vossos inimigos?

Quase todos na assembleia levantaram a mão. Insatisfeito, o padre repetiu a mesma pergunta. Todos responderam desta vez, excepto uma velhinha, a D. Guiomar.

- A senhora não está disposta a perdoar a todos os seus inimigos, perguntou o padre?

- Eu não tenho inimigos, Sr. Padre, respondeu a D. Guiomar, muito bem disposta e com um sorriso no rosto.

- Mas, D. Guiomar, continuou o padre, isto é muito raro, quantos anos tem a senhora?

- Fiz 100 anos no mês passado, responde a senhora.

A assembleia levantou-se e aplaudiu!

- A senhora pode vir aqui à frente contar-nos como conseguiu chegar aos 100 anos sem ter inimigos?

A D. Guiomar foi, vagarosamente, lá à frente, virou-se para a assembleia e disse, orgulhosamente:

- Já morreram todos!