╔ errado usar o Teršo ao pescošo?

É errado usar o Terço ao pescoço?

         É comum ouvirmos a pergunta se é errado ou não usar o Terço ao pescoço. Muita gente com um aparente zelo pelo Terço, pela devoção e pelo seu bom uso, condena o uso deste santo objeto devocional no pescoço. Dizem eles que o Terço foi feito para se rezar e não para se usar como enfeite. Por um lado até está certo dizer isto, pois que adianta trazer ao pescoço as “bolinhas”, se depois elas não estão nas nossas mãos, e as Ave-Marias nos nossos lábios? Só que nós não conhecemos o coração de ninguém, ou seja, somente Deus que é omnisciente, omnipresente e omnipotente é que sabe se a determinada hora do dia aquela pessoa que traz o Terço ao pescoço o reza ou não.

         Para analisarmos se é errado ou não, devemos ir por um caminho que só a pessoa que o usa poderá responder: qual a intenção de coração? Se o uso do Terço no pescoço for para honrar a Santíssima Virgem Maria, para mostrar que devemos recorrer ao Terço, aí não é pecado. Mas se o uso for apenas por moda, vaidade, reduzindo o Santo Terço a um simples acessório para colocar no pescoço por pura vaidade, aí já é errado e até pecado.

Isto vale também para quem coloca o Terço no retrovisor do carro. É errado? Será que quem coloca o Terço no retrovisor quer honrar a Santíssima Virgem, ou está a querer usar o Terço como amuleto para dar sorte, evitar acidentes, etc.? Tanto é que há pessoas que têm o Terço pendurado juntamente com um amuleto, uma bola. Juntam o sagrado com o profano! Uma santa devoção com algo pagão.

         O problema não é propriamente o uso do Terço ao pescoço, mas a intenção. O livro “O Segredo do Terço” escrito por São Luís Maria Grignion de Montfort cita outros santos, como o Beato Alano, fala até mesmo da importância de se usar o Terço ao pescoço:

 “O Bem-aventurado Alano disse que um homem tinha tentado todos os tipos de devoções para se ver livre de um espírito maligno que o possuía, mas sem sucesso. Um dia pensou em usar o Terço em volta do pescoço, o que veio a aliviá-lo consideravelmente. Ele descobriu que sempre que tirava o Terço, o demónio o atormentava cruelmente, então ele resolveu usá-lo dia e noite. Isto fez com que o espírito maligno se afastasse para sempre, porque ele não podia suportar tão terrível corrente. O Bem-Aventurado Alano também testemunhou que ele tinha libertado grande número de pessoas que estavam possessas simplesmente colocando-lhes o Terço em volta de pescoço.” Então, usar o Terço ao pescoço, com devoção, e não com superstição ou como bijuteria, ajuda nas tentações e é uma grande arma contra satanás, ainda mais se não apenas usar o Terço, mas rezar o Terço. Usar o Terço ao pescoço é um escudo contra os dardos inflamados do inferno.

         Um caso citado por São Luís no “O Segredo do Terço”, mas no caso a pessoa não usava o Terço no pescoço, mas na cintura: “Nossa Senhora abençoa não somente aqueles que propagam o Terço, mas ela recompensa copiosamente os que com o seu exemplo atraem os demais a esta devoção. Alfonso, Rei de León e da Galícia, desejando que todos os seus servos honrassem a Santíssima Virgem rezando o Terço, colocava um grande Terço no seu cinto e usava-o sempre, mas infelizmente nunca o rezava. Contudo, o facto de usá-lo, motivava a toda a corte a rezá-lo devotamente. Um dia o rei adoeceu gravemente e quando creram que estava para morrer, ele caiu em êxtase, viu-se a si mesmo perante o trono do julgamento de Nosso SENHOR. Muitos diabos estavam lá a acusá-lo de todos os pecados que tinha cometido e Nosso SENHOR como Juiz Soberano já estava para condená-lo ao Inferno, quando Nossa Senhora apareceu a interceder por ele. Ele pediu uma balança e colocou os seus pecados num dos pratos. No outro prato Nossa Senhora colocou o Terço que ele sempre levava na cintura, juntamente com todos os Terços que foram rezados por causa do seu exemplo. Viu-se que os Terços pesaram mais do que os seus pecados. Ao olhá-lo com grande benignidade, Nossa Senhora disse: ‘Como recompensa por esta pequena honra que me fizeste em usar o meu Terço, eu obtive uma grande graça do meu FILHO. A tua vida será prolongada por mais alguns anos. Vive-os sabiamente, e faz penitência’. Quando o Rei recobrou a sua consciência, exclamou: ‘Bendito seja o Terço da Santíssima Virgem Maria, pelo qual fui liberto da condenação eterna!’ Após recuperar a saúde, passou o resto da sua vida a propagar a devoção do Santo Terço e rezou-o fielmente todos os dias.”

Portanto, se a intenção de usar o Terço ao pescoço, no braço, na cintura, até no retrovisor do carro, for para fazer a Virgem Maria honrada, amada e conhecida, não há problema. Vimos neste caso que apesar do rei não o rezar, só por usar na cintura, deu um bom exemplo, fazendo com que o povo rezasse o Terço. Isto foi agradável a Nossa Senhora. No entanto, não achemos que basta usar o Terço ao pescoço, ou mesmo a medalha milagrosa de Nossa Senhora das Graças, o escapulário, etc., sem mudar de vida, achando que vamos entrar no Céu porque acabamos de ver como nossa Mãe é Misericórdia. Não abusemos da Misericórdia de Deus e de Nossa Senhora. Se persistirmos no pecado, mesmo com consciência, e usarmos das devoções como desculpa para o pecado, estaremos a cometer um pecado de presunção, um pecado contra o Espírito Santo.

No exemplo que São Luis Maria de Montfort nos deu, mostra-nos que a graça que Nossa Senhora deu ao rei foi de ser prolongada a sua vida aqui na terra, para que ele fizesse penitência, e não somente usasse o Terço na cintura, mas que rezasse também. E São Luís diz que ele rezou o Terço TODOS OS DIAS. Talvez Nossa Senhora já tenha livrado da morte muitos de nós, porque trazemos junto ao nosso corpo um Terço, uma medalha, ou um escapulário; talvez Ela tenha prolongado os nossos dias, e esteja à espera que emendemos de vida, que passemos a rezar o Terço diário. S. Tiago vai dizer “sede cumpridores da palavra e não apenas ouvintes; isto equivaleria a vos enganardes a vós mesmos.” (Tiago 1,22) – Ou seja, fazendo uma analogia, podemos também dizer: Sejam devotos do Terço rezando, e não apenas levando-o; isto equivaleria a vos enganardes a vós mesmos. É que muitos caem em pecado por fraqueza, por ignorância, por não saberem a verdade; agora se nós sabemos a verdade, sabemos que temos que mudar de vida, não podemos levar o Terço sem rezá-lo. Seria muita ingratidão para Aquela que já tantas vezes nos livrou da morte repentina e de termos ido para o inferno.

O problema também está no mundo de hoje. Hoje querem tirar tudo quanto é exterior. Não devemos retirar o uso exterior do Terço por causa dos escrúpulos ou mesmo de alguns abusos de outras pessoas. Onde estão as casas com quadros do Sagrado Coração de Jesus e do Imaculado Coração de Maria? Diz São Luís: muitas vezes só caímos em pecado porque não temos nenhum sinal. Ora, se quem usa o Terço ao pescoço vive em pecado mortal, imagine se ele perdesse toda a devoção e arrancasse logo de uma vez... Estaria perdido, pois como em algum momento ele se lembraria de Deus e deixaria o arrependimento entrar no seu coração e procurar um padre para se confessar? Muito cuidado com as condenações, pois nós não conhecemos o coração. Diz São Pio X: “quando não está inteiramente apagada a chama da fé, ainda resta a esperança de que se elimine a corrupção dos costumes; mas, quando à depravação se junta a ignorância da fé, já não resta lugar a remédio, e permanece aberto o caminho da ruína”. A devoção à Santíssima Virgem, em muitos casos, é esta última fagulha da fé. E se a apagarmos, dizendo para os pobres ignorantes que não se deve usar o Terço ao pescoço sem rezá-lo, ele se esquecerá de Deus e de Nossa Senhora por completo, e então estará tudo perdido.

Há pessoas que têm uma devoção a Nossa Senhora, mas que não sabem rezar o terço. A pessoa foi ensinada a tudo, menos a rezar. E então, nós devemos aproveitar e evangelizar essas pessoas, e ensiná-las a rezar. Devemos ir rezar nas suas casas, fazer panfletos ensinando a rezar. Se nós deixarmos a pequena chama que ainda se tem de devoção a Nossa Senhora se apagar, a coisa só tende a piorar.

Que bela missão a nossa se formos propagar o Terço pelo Portugal e pelo mundo. Vamos distribuir Terços, ensinar a rezar, distribuir medalhas milagrosas de Nossa Senhora das Graças, escapulários... Enfim, vamos sair do comodismo de criticar quem usa o Terço, e vamos rezar o Terço para que quem usa tais objetos devocionais se possa converter. Vamos evangelizar. Vamos sair do comodismo maldito que vem das mais profundezas do inferno. Clamemos por um novo vigor, que o Espírito nos ilumine, que nos dê essa graça, de no ventre da Virgem Maria, sejamos gerados novos homens e mulheres propagadores do Terço. Sim, queremos participar deste novo Cenáculo.

Se queres usar o Terço para honrar a Virgem Maria, usa-o sem medo. Não tenhamos medo de sermos chamados fanáticos, loucos, se é por amor à Nossa Mãe não há problema. Honremos Nossa Senhora. Levemos o mundo todo a amar e a honrar à Virgem Maria.

 “Os hereges, todos os que são filhos do mal e claramente possuem selo de reprovação de DEUS, têm horror à Ave Maria. Eles ainda rezam o PAI Nosso, mas nunca a Ave Maria; eles prefeririam colocar uma cobra venenosa em volta dos seus pescoços do que um Escapulário ou um Terço.” (São Luís Maria Grignion de Montfort)