Nunca pares de sonhar

Nunca pares de sonhar

 

Havia no alto de uma montanha três árvores. Elas sonhavam com o que iriam ser depois de grandes. A primeira, vendo as estrelas disse: eu quero ser o baú mais precioso do mundo e viver cheia de tesouros.

A segunda, vendo um riacho suspirou: eu quero ser um navio bem grande para transportar reis e rainhas. A terceira olhou para o vale e disse: quero crescer e ficar aqui no alto da montanha; quero crescer tanto que as pessoas ao olharem para mim, levantem os olhos e pensem em Deus.

Muitos anos se passaram, as árvores cresceram. Surgiram três lenhadores que, sem saber do sonho das árvores, cortaram as três. A primeira árvore acabou por se transformar num cocho de animais, coberto de feno. A segunda virou um barco de pesca transportando pessoas e peixes todos os dias. A terceira foi cortada em vigas e deixada num depósito. Desiludidas as três árvores lamentaram os seus destinos.

Mas, numa certa noite, com o céu cheio de estrelas, uma jovem mulher colocou o seu bebé recém-nascido naquele cocho. De repente, a árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo. A segunda, certo dia, transportou um homem que acabou por dormir no barco. E, quando uma tempestade quase afundou o barco, o homem levantou-se e disse PAZ! E, imediatamente, as águas acalmaram-se. E a árvore transformada em barco entendeu que transportava o rei dos céus e da terra.

Tempos mais tarde, numa Sexta-feira, a árvore espantou-se quando as vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela. A árvore sentiu-se horrível vendo o sofrimento daquele homem. Mas logo entendeu que aquele homem salvou a humanidade e as pessoas lembrar-se-iam de Deus ao olharem para a cruz.

 

O exemplo das árvores é sinal que é preciso sonhar e ter fé. SEMPRE!

Não importa o tamanho dos sonhos que tenhas, sonha muito e sempre. Mesmo que os teus sonhos não se realizem exactamente como desejaste, fica a saber que eles se concretizarão da maneira que Deus entendeu ser a melhor para ti.