Na morte de um amigo

NA MORTE DE UM AMIGO

 

Tu sabes, Senhor,

quanta dor e tristeza sinto dentro de mim!

Porquê a morte, porquê?

Ninguém me sabe responder, ninguém me pode consolar.

Nada compreendo, nada sei dizer...

 

Acolhe, Senhor, este meu amigo morto;

recebe-o na festa da vida

onde Tu és, para sempre,

a medida plena de cada homem.

Também Tu experimentaste o que hoje estou a viver.

Também Tu choraste

com as irmãs de Lázaro, com a viúva de Naim.

Deixa-me hoje chorar contigo...

 

Também Tu morreste em plena força da vida,

cravado numa cruz, condenado pelo ódio;

mataram-Te a Ti que passaste fazendo o bem…

 

Neste momento de dor e amargura,

quero contemplar-Te morto

e aprender de Ti.

Morreste porque amaste sem medida,

morreste para ressuscitar

vencendo a morte para sempre.

Com a Tua morte, Senhor,

abriste-nos o caminho da Vida.

 

Agora sei que a morte

não é a palavra definitiva…

O último, o definitivo

é a Vida contigo para sempre!

 

Acolhe, Senhor, este meu amigo morto;

recebe-o na festa da vida

onde Tu és, para sempre,

a medida plena de cada homem.