ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA MEDALHA MILAGROSA

Imagem vazia padrãoNossa Senhora das Graças, Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças, ou Nossa Senhora da Medalha Milagrosa teve duas aparições no ano de 1830.

Na primeira delas, no dia 18 de Julho, escolhe sua mensageira, Santa Catarina Labouré, religiosa, das Filhas da Caridade, em Paris. Orando num altar, Catarina ouve o conselho da sua Mãe Santíssima:

“Vinde aos pés deste altar: aqui as graças serão derramadas sobre todas as pessoas que as pedirem com confiança. Elas serão derramadas sobre os grandes e os pequenos”.

Nesse mesmo ano, em 27 de Novembro, Nossa Senhora aparece no mesmo altar àquela irmã. Nesta data Catarina recebe o encargo de propagar a devoção à medalha milagrosa que a própria Virgem Maria estabeleceu.

…As mãos da Senhora, carregadas das graças sugeridas pelos Imagem vazia padrãoraios, abaixaram-se e estenderam-se como se vê na medalha, e a vidente ouviu: “Estes raios, são símbolos das graças que eu derramo sobre aqueles que as suplicam. Fazei cunhar uma medalha com a minha figura de um lado, e do outro, o M do meu nome, encimado por uma cruz, tendo em baixo dois corações, um coroado de espinhos e o outro, atravessado por uma lança. Todos os que a usarem com fé, receberão grandes graças. Catarina, foi ao seu confessor, e contou-lhe tudo…”

Súplica a Nossa Senhora das Graças:

Ó Imaculada Virgem Mãe de Deus e nossa Mãe, ao contemplar-vos de braços abertos derramando graças sobre os que vo-las pedem, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão, inúmeras vezes manifestada pela Medalha Milagrosa, embora reconhecendo a nossa indignidade por causa das nossas inúmeras culpas, acercamo-nos dos vossos pés para vos expor, durante esta oração, as nossas mais prementes necessidades (momento de silêncio e de pedir a graça desejada).
Concedei, pois, ó Virgem da Medalha Milagrosa, este favor que confiantes vos solicitamos, para maior Glória de Deus, engrandecimento do vosso nome, e o bem das nossas almas. E para melhor servirmos ao vosso Divino Filho, inspirai-nos profundo ódio ao pecado e dai-nos coragem de nos afirmarmos sempre como verdadeiros cristãos. Amém

Oração Final:

Santíssima Virgem, eu creio e confesso a vossa Santa e Imaculada Conceição, pura e sem mancha. Ó puríssima Virgem Maria, pela vossa Conceição Imaculada e gloriosa prerrogativa de Mãe de Deus, alcançai-me do vosso amado filho a humildade, a caridade, a obediência, a pureza de coração, de corpo e de espírito, a perseverança na prática do bem, a castidade, uma santa vida e uma boa morte. Amém.

A NOSSA SENHORA DA GRAÇA

«Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!» Tu és bendita entre todas as mulheres! Bem-aventurada Tu que creste! O Todo-Poderoso fez por Ti maravilhas! A maravilha da tua maternidade divina! A maravilha da tua imaculada Conceição! A maravilha do teu «sim»! Tu foste associada intimamente a todas as obras da nossa Redenção, associada à Cruz do nosso Salvador; o teu coração foi trespassado, ao lado do Seu Coração. E agora, na glória de teu Filho, Tu não cessas de interceder por nós, pobres pecadores. Tu velas pela Igreja, de que és a Mãe. Tu velas sobre cada um dos teus filhos. Tu obténs de Deus, para nós, todas essas graças que simbolizam os raios de luz que irradiam das tuas mãos abertas. Com a única condição de que tenhamos a ousadia de t'as pedir, que nos aproximemos de Ti com a confiança, e a simplicidade de uma criança. E é assim que Tu nos conduzes a Teu Filho Jesus.

João Paulo II na Capela da Medalha Milagrosa - Paris - Maio de 1980

 

Testemunho pessoal:

Eu tinha catorze anos de idade, quando comecei a sentir um cansaço e dores no peito, quase não conseguia respirar. Fui levado pela minha mãe a um bom médico que logo diagnosticou que estava com um problema no pulmão, que envolvia também o coração. Ele pediu para que internasse o menino e indicou um pneumologista, que disse: é um quadro de pericardite com derramamento da água da pleura no coração. O caso era sério e fiquei internado uma semana no hospital, fiz uma punção, que nunca vou esquecer pelo tamanho da agulha e pela dor, pensei que ia morrer. Melhorei, mas fui internado novamente com uma recaída, quando recebi pela mão da minha mãe uma medalha milagrosa de Nossa Senhora das Graças, e que foi colocada no pijama do hospital. Muitas vezes durante o dia eu beijava-a e rezava: Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós! A partir da intervenção de Nossa Senhora das Graças melhorei e nunca mais tive nada no pulmão.

“Todas as pessoas que usarem a Medalha receberão grandes graças”.