Os dons do Espírito Santo

OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

O Espírito Santo confirma-nos com os seus sete dons. Os sete dons exprimem o simbolismo da plenitude do Espírito Santo e também a plenitude da experiência espiritual.
O Espírito Santo confirma-nos com os seus dons para nos configurar a Cristo, ao seu mistério, em ordem a acolher e a testemunhar a salvação pascal e em ordem a inserir-nos de um modo mais profundo também no mistério da pertença à Igreja e da participação nela.
É nesta perspectiva que devem ser vistos os chamados “dons do Espírito Santo”:
não enquanto “exclusivos” da Confirmação, porque o Espírito Santo age mesmo fora deste sacramento, mas devem ser vistos dentro da perspectiva do mistério da nossa iniciação e inserção em Cristo e na Igreja.

Vejamos cada um dos sete dons:

SABEDORIA (SAPIÊNCIA): é o dom de experimentar o sabor, o gosto “conatural” da vida de Deus, da sua vontade (bondade) amorosa, das realidades divinas e a alegria de servir o seu Espírito. A sabedoria das coisas vividas em Deus não resulta de nenhum esforço cerebral mas é dom do Espírito. Os simples «sabem» mais de Deus que os inteligentes...

ENTENDIMENTO (INTELIGÊNCIA): é o dom de compreender e penetrar a Palavra de Deus e alcançar o mistério do amor proclamado, que é Jesus Cristo, e ainda o dom de o actualizar. Trata-se do conhecimento íntimo de Jesus Cristo como mistério de Deus, não só o conhecimento do Cristo histórico, mas trata-se do “ser com Cristo” e da nossa vocação baptismal cristã. Este dom permite o discernimento da presença de Deus...
Entender os apelos de Deus não é uma questão de superioridade intelectual,
mas dom do Espírito àqueles que humildemente procuram a Deus...

CONSELHO: é o dom do discernimento da vontade amorosa de Deus na vida concreta,
dos seus apelos nas várias situações e acontecimentos da vida e do mundo, da descoberta dos valores evangélicos, de modo a viver uma vida santa e agradável a Deus.
É o dom da lucidez da fé para interpretar os acontecimentos.

FORTALEZA: Anima a nossa fidelidade quotidiana. Trata-se do dom da firmeza na opção por Cristo, da fidelidade à identidade cristã, da força para o “confessar” e anunciar,
para crescer na comunhão com Ele e na esperança nEle.
Trata-se também de um dinamismo de crescimento e de esperança em Jesus Cristo.
Perseverar no caminho da fé não é uma questão de temperamento forte mas um dom
àqueles que procuram e encontram em Deus a sua força...

CIÊNCIA (CONHECIMENTO): Trata-se do conhecimento da verdade e do erro.
O Espírito de Deus dá-nos aquilo que a linguagem teológica se chama «sensus fidei»,
uma espécie de «sexto sentido» da fé. Trata-se da ciência comum da vida cristã em ordem a «ler» a vida e a valorá-la à luz da Palavra de Deus. Faz a ligação entre a fé e a Vida.

PIEDADE: É o dom da relação confidente e de confiança alegre com Deus e de uma relação fraterna com os irmãos. O Espírito é Aquele que reza em nós, Aquele que nos dá a experiência da filiação divina. Ele testemunha interiormente em nós e cria em nós aquela à vontade da relação filial com Deus e ao mesmo tempo é Aquele que realiza a comunhão entre nós.

TEMOR DE DEUS: Trata-se da nossa dependência criatural, da nossa adoração de Deus e também das nossas limitações e das nossas fraquezas perante a santidade e a transcendência de Deus.
 Isto suscita no crente o desejo de uma conversão constante e permanente.

OS FRUTOS DO ESPÍRITO SANTO

1.Caridade;
2. Gozo (alegria interior)
3.Paz;
4.Paciência;
5. Benignidade;
6. Bondade;
7.Longanimidade;
8.Mansidão;
9. Fé;
10. Modéstia;
11. Temperança (continência);
12. Castidade.

Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a Vida
e procede do Pai e do Filho
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado.
Ele que falou pelos profetas! (Símbolo Niceno Constantinopolitano)