Mensagem

O Santíssimo
Sacramento
Louvado Seja
A Todo o Momento

 
Início seta Alguns Santos seta Santa Faustina
Santa Faustina Imprimir e-mail

 Image

Era filha duma família muito pobre, trabalhava no campo, e no convento onde entrou exercia as tarefas de cozinheira, jardineira e porteira.
Mas foi beatificada em 1994 e canonizada no dia 30/4/2000, com o nome de Santa Maria Faustina do Santíssimo Sacramento.

A Irmã Faustina Kowalska nasceu em 1905 na Polónia. Era filha duma família muito pobre, trabalhava no campo, e no convento onde entrou, exercia as tarefas de cozinheira, jardineira e porteira.
Aos vinte anos ingressou na Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia.
Jesus Cristo escolheu esta simples e humilde religiosa para apóstola da Mi¬sericórdia de Deus.
Depois de muitas tribulações, no dia 18 de Abril de 1993, no Domingo de Pascoela, João Paulo II, na cerimónia da beatificação, dizia: «Saúdo-te, Irmã Faustina. Foste escolhida por Cristo para recordar aos homens o grande mistério da Misericórdia Divina».
No dia da sua canonização, dizia:
«Santa Faustina, obtém-nos a graça de perceber a profundidade da misericórdia divina, ajuda-nos a torná-la experiência viva e a testemunhá-la aos irmãos! A tua mensagem leve à conversão os pecadores, amenize as rivalidades e os ódios, abra os homens e as nações à prática da fraternidade. Hoje fazemos nossa a tua súplica de confiante abandono e dizemos com firme esperança: «Jesus Cristo, confio em Ti!»

 

DOMINGO DA DIVINA MISERICORDIA

A Igreja celebra o domingo da Divina misericórdia, “Um convite perene para o mundo cristão enfrentar, com confiança na benevolência divina, as dificuldades e as provas que esperam o género humano nos anos futuros”.
O Papa João Paulo II estabeleceu em 23/05/2000 a festa da Divina Misericórdia no segundo domingo da Páscoa, com o nome oficial: «Segundo domingo de Páscoa ou da Divina Misericórdia».

APARIÇÃO – Em 22/2/1931, Jesus apareceu à jovem Irmã Faustina, em Cracóvia, Polónia e trouxe-lhe uma maravilhosa mensagem de Misericórdia para toda a Humanidade.

Image 

Escreveu a Ir Faustina:
"À noite, quando eu estava na minha cela, percebi a presença do Senhor Jesus vestido de uma túnica branca. Uma mão estava levantada para abençoar, a outra pousava na altura do peito. Da abertura da túnica no peito saíam dois grandes raios, um vermelho e outro pálido. Eu olhei intensamente para o Senhor; a minha alma estava cheia de espanto, mas também de grande alegria. Depois de algum tempo, Jesus disse-me: Pinta uma imagem de acordo com o que vês, com a inscrição, “Jesus, eu confio em Vós.” Prometo que a alma que venerar esta Imagem não perecerá.”
Depois, Nosso Senhor explicou-me o significado dos dois raios: "Representam o Sangue e a Água. O raio pálido representa a Água, que justifica as almas; o raio vermelho representa o Sangue, que é a vida das almas. Ambos os raios saíram das entranhas da minha Misericórdia quando, na Cruz, o Meu Coração agonizante foi aberto pela lança...Estes raios defendem as almas da ira do meu Pai. Feliz aquele que viver sob a protecção deles, porque não será atingido pelo braço da Justiça de Deus."

A FESTA – Como sinal do Seu amor misericordioso, Jesus pediu que fosse celebrada a Festa da Divina Misericórdia por toda a Igreja, no 1º domingo a seguir à Páscoa: "Desejo que a Festa de Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia estão abertas as entranhas da minha Misericórdia. Derramo todo o mar de graças nas almas que se aproximarem da fonte da minha Misericórdia.
A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e castigos.
Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças.
Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que os seus pecados sejam como escarlate. A minha Misericórdia é tão grande que por toda a eternidade não a aprofundará nenhuma mente, nem humana, nem angélica. Tudo o que existe saiu das entranhas da minha Misericórdia. Toda a alma reflectirá em relação a Mim, por toda a eternidade, todo o meu Amor e a minha Misericórdia. A Festa da Misericórdia saiu das minhas entranhas. A humanidade não terá paz enquanto não voltar à fonte da minha Misericórdia." (Diário no.699)

O TERÇO – Sobre uma visão em 13/9/1935, a Ir Faustina escreve: "Vi um anjo, o executor da cólera de Deus...a ponto de atingir a terra...Comecei a pedir muito a Deus pelo mundo, com palavras que ouvia interiormente. À medida em que assim rezava, vi que o Anjo ficava desamparado, e não mais podia executar a justa punição..."
No dia seguinte, uma voz interior ensinou-me esta oração nas contas do rosário:
Primeiro reza um Pai Nosso, uma Avé-Maria e o Credo.

Nas contas grandes diz estas palavras: “Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e Sangue, Alma e Divindade do vosso muito amado Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos pecados de todo mundo.”

Nas contas pequenas: Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e de todo mundo.
Conclui dizendo três vezes: “Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e de todo mundo.”
"Pela recitação deste Terço agrada-me dar tudo o que Me pedem. Quando o recitarem os pecadores empedernidos, encherei as suas almas de paz, e a hora da morte deles será feliz.
Escreve isto para as almas atribuladas: Quando a alma vê e reconhece a gravidade dos seus pecados, quando se desvenda diante dos seus olhos todo o abismo da miséria em que mergulhou, que não desespere, mas se lance com confiança nos braços da minha Misericórdia, como uma criança nos braços da mãe querida. Estas almas têm sobre o meu Coração misericordioso um direito de precedência. Diz que nenhuma alma que tenha recorrido à minha Misericórdia se decepcionou nem experimentou vexame..."
"....Quando rezarem este Terço junto aos agonizantes, Eu me colocarei entre o Pai e a alma agonizante, não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso".

O Sacramento da Confissão
Filha, quando vieres ao pé dessa fonte da Minha Misericórdia, que é a Santa Confissão, verte sempre na tua alma o Sangue e a Água q saíram do Meu Coração, e enobrece-a. De cada vez que te aproximares da Santa Confissão, mergulha toda na Minha Misericórdia com grande confiança, para que possa derramar na tua alma a abundância da Minha Graça. Quando vieres à Confissão, deves saber que sou Eu mesmo quem espera por ti no confessionário; oculto-Me no sacerdote, mas sou Eu próprio quem actua na alma. É aí que a miséria da alma se encontra com o deus da Misericórdia. Diz ainda às almas que dessa fonte da Misericórdia apenas colhem Graças com o vaso da confiança. E, se for grande a confiança delas, a Minha generosidade não terá limites. As torrentes da Minha Graça inundam as almas humildes. Os orgulhosos hão-de permanecer na penúria e na miséria, porquanto a graça se afasta deles em direcção aos humildes. (D 1602).
Diz ás almas onde devem procurar consolos, isto é, no Tribunal da Misericórdia, em que se dão os Meus maiores prodígios, q se renovam sem cessar.
Para obter este prodígio não é necessário empreender longa peregrinação, nem realizar exteriormente grande cerimonial; basta aproximarem-se, com fé, dos pés do Meu representante e confessar-lhe a miséria própria: o milagre da Misericórdia de Deus manifestar-se-á em toda a plenitude. Ainda que a alma esteja em decomposição – como um cadáver, e ainda que humanamente já não haja possibilidade de restauração e tudo se encontre perdido, as coisas não são assim para Deus. A maravilha da Misericórdia de Deus fará ressurgir a alma para uma vida plena. Ó pobres, que não aproveitais este milagre da Misericórdia de Deus! Clamareis em vão, pois então já será tarde demais! (D 1448).

A Santa Comunhão
Desejo unir-Me às almas humanas; a Minha delícia é unir-Me a elas. Sabe, Minha filha q quando venho pela Sagrada Comunhão ao coração do homem, tenho as mãos cheias de toda a espécie de graças e desejo entregá-las às almas, mas elas nem Me prestam atenção; deixam-Me sozinho e ocupam-se com outras coisas. Oh, quão triste fico por não reconhecerem o Amor!”(D 1385).
Como Me é doloroso q as almas se unam tão pouco a Mim na Santa Comunhão!
Eu espero as almas mas elas são indiferentes Comigo. Amo-as tanto e com tanta ternura! Quero enche-las de graças e elas não as querem aceitar. Tratam-me como coisa morta, no entanto o Meu Coração está cheio de amor e de misericórdia.
A Minha delícia é vir aos corações das almas religiosas na Sagrada Comunhão. (D 1683).
Repara, abandonei o trono do Céu para Me unir a ti. Se o que estás a ver é apenas uma pequena parcela e a tua alma já desfalece de amor, então em que assombro ficará o teu coração, quando Me contemplares em toda a Glória? Porém quero dizer-te que essa vida eterna deve iniciar-se já aqui na Terra pela Sagrada Comunhão. Cada Comunhão torna-te mais capaz de conviver com Deus por toda a eternidade. (D 1810).

A HORA
Em 1933, a Ir Faustina teve uma impressionante visão: "Vi uma grande luz, e nela Deus Pai. Entre esta luz e a Terra vi Jesus pregado na Cruz de tal maneira que Deus, querendo olhar para a Terra, tinha que olhar através das chagas de Jesus.
E compreendi que somente por causa de Jesus é que Deus abençoa a Terra."
Jesus disse: "Às 3h da tarde implora a Minha Misericórdia, especialmente pelos pecadores, e, ao menos por breve tempo, reflecte sobre a Minha Paixão, especialmente sobre o abandono em que Me encontrei no momento da agonia. Esta é a hora de grande Misericórdia para o mundo inteiro. Nessa hora nada negarei à alma que Me pedir em nome da Minha Paixão." (Diário no. 1320)
"Lembro-te, Minha filha, que todas as vezes que ouvires o bater do relógio, às três horas da tarde, deves mergulhar toda na Minha misericórdia, adorando-a e glorificando-a. Invoca a sua omnipotência em favor do mundo inteiro e especialmente dos pobres pecadores, porque nesse momento ela está largamente aberta para cada alma. Nessa hora, conseguirás tudo para ti e para os outros. Naquela hora, o mundo inteiro recebeu uma grande graça: a Misericórdia venceu a Justiça.
Procura rezar nessa hora a Via-Sacra, na medida em que te permitirem os teus deveres, e se não puderes rezar a Via-Sacra, entra ao menos por um momento na capela, e adora o meu Coração, que está cheio de Misericórdia no SSmº. Sacramento. Se não puderes ir à capela, recolhe-te em oração onde estiveres, ainda que seja por breve momento." (Diário, nº 1572)
São poucas as almas que contemplam a Minha Paixão com um verdadeiro afecto. Concedo as graças mais abundantes às almas que meditam piedosamente sobre a Minha Paixão."(Diário, no. 737)
Uma invocação para dizer às 3h da tarde: "Ó Sangue e Água que brotaste do Coração de Jesus como fonte de Misericórdia insondável para nós, eu confio em Vós." (Diário nº 187).

Jesus estabeleceu três condições indispensáveis para atender às orações feitas na Hora da Misericórdia:
* a oração deve ser dirigida a Jesus;
• deve ser feita às três horas da tarde;
• deve apelar ao valor e aos méritos da Paixão do Senhor.

É preciso acrescentar-lhes mais outras três condições:
* O objecto da oração deve ser compatível com a vontade divina;
* Que a oração seja confiante, perseverante, e repetida sempre que necessário;
* A Hora da Misericórdia exige a prática do amor activo ao próximo.

Image 

NOVENA À DIVINA MISERICÓRDIA
Jesus solicitou à Ir Faustina que recitasse a Novena em preparação à Festa da Divina Misericórdia (iniciando a Novena na Sexta-feira Santa para conclui-la na vigília do segundo domingo de Páscoa) para a conversão de todo o mundo, de modo que toda a alma conheça a Misericórdia do Senhor e glorifique a sua infinita bondade.
Esta novena não é direccionada, exclusivamente, às nossas necessidades particulares. Cada dia da novena inicia-se com uma intenção ditada por Jesus.
Jesus fala à irmã Faustina sobre a novena: "Desejo que durante estes nove dias (da sexta-feira Santa ao sábado que precede o primeiro Domingo após a Páscoa, ou seja, o segundo Domingo de Páscoa) tu conduzas as almas à fonte da minha Misericórdia, afim de que recebam força, alívio e todas as graças a elas necessárias nas fadigas da vida, mas especialmente na hora da morte." "Em cada dia conduzirás ao meu coração um diferente grupo de almas e as imergirás no oceano da minha Misericórdia. Eu introduzirei todas as almas na casa do meu Pai. Realizarás esta tarefa nesta vida e na futura. Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha Misericórdia." (nº 1209) "Todos os dias pedirás ao meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças p/ estas almas."

As diferentes almas pelas quais se reza em cada dia da novena são:
1.Toda a humanidade, especialmente os pecadores
2. As almas de padres e religiosos
3. Todas as almas piedosas e fiéis
4. Aquelas que não acreditam em Jesus e aquelas que ainda não O conhecem
5. As almas dos irmãos separados
6. As almas mansas e humildes e as almas das crianças
7. As almas que especialmente veneram e glorificam a Misericórdia de Jesus
8. As almas detidas no Purgatório
9. As almas tíbias

(A Novena é rezada acompanhada do Terço da Divina Misericórdia)

Primeiro dia – Hoje traz-Me a humanidade inteira, especialmente todos os pecadores e mergulha-os no oceano da minha Misericórdia. Com isso Me consolarás na amarga tristeza em que Me afunda a perda das almas.
Misericordiosíssimo Jesus, de quem é próprio ter compaixão de nós e nos perdoar, não olheis os nossos pecados, mas a confiança que depositamos na Vossa infinita bondade. Acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e nunca nos deixeis sair dele. Nós vo-lo pedimos pelo amor que Vos une ao Pai e ao Espírito Santo.
Eterno Pai, olhai com misericórdia para toda a humanidade, encerrada no Coração compassivo de Jesus, mas especialmente para os pobres pecadores. Pela Sua dolorosa Paixão, mostrai-nos a vossa Misericórdia, para que glorifiquemos a omnipotência da vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amem. Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

Segundo dia – Hoje traz-Me as almas dos sacerdotes e religiosos e mergulha-as na minha insondável Misericórdia. Elas deram-Me força para suportar a amarga Paixão. Por elas, como por canais, corre para a humanidade a minha Misericórdia.
Misericordiosíssimo Jesus, de quem provém tudo o que é bom, aumentai em nós a graça, para que pratiquemos dignas obras de misericórdia, a fim de que aqueles que olham para nós, glorifiquem o Pai da Misericórdia que está no Céu.
Eterno Pai, dirigi o olhar da vossa Misericórdia para a porção eleita da vossa vinha: para as almas dos sacerdotes e religiosos. Concedei-lhes o poder da vossa bênção e, pelos sentimentos do Coração de vosso Filho, no qual estão encerradas, dai-lhes a força da v/ luz, para que possam guiar os outros nos caminhos da salvação e juntamente com eles cantar a glória da vossa insondável Misericórdia, por toda a eternidade. Amén. Pai, Ave, Glória.

Terceiro dia – Hoje traz-Me todas as almas piedosas e fiéis e mergulha-as no oceano da minha Misericórdia. Estas almas consolaram-Me na Via-sacra; foram aquela gota de consolações no meio do mar de amarguras.
Misericordiosíssimo Jesus, que concedeis prodigamente a todos as graças do tesouro da vossa Misericórdia, acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e não nos deixeis sair dele pelos séculos; suplicamo-Vos pelo amor inconcebível de que está inflamado o vosso Coração para com o Pai Celestial.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas fiéis, como a herança do vosso Filho. Pela sua dolorosa Paixão concedei-lhes a vossa bênção e cercai-as da vossa incessante protecção, para que não percam o amor e o tesouro da santa fé, mas com toda a multidão dos Anjos e dos Santos glorifiquem a vossa imensa Misericórdia, por toda a eternidade. Amén. Pai, Ave-Maria, Glória.

Quarto dia – Hoje traz-Me os pagãos e aqueles q ainda não Me conhecem e nos quais pensei na minha amarga Paixão. O seu futuro zelo consolou o meu Coração. Mergulha-os no mar da minha Misericórdia.
Misericordiosíssimo Jesus, que sois a luz de todo o mundo, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos pagãos que ainda não Vos conhecem. Que os raios da vossa graça os iluminem para que também eles, juntamente connosco, glorifiquem as maravilhas da vossa Misericórdia e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos pagãos e daqueles que ainda não Vos conhecem e que estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Atraí-as à luz do Evangelho. Essas almas não sabem que grande felicidade é amar-Vos. Fazei com que também elas glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém. Pai, Ave, Glória.

Quinto dia – Hoje traz-Me as almas dos Cristãos separados da Unidade da Igreja e mergulha-as no mar da minha Misericórdia. Na minha amarga Paixão dilaceravam o meu Corpo e o meu Coração, isto é, a minha Igreja. Quando voltarem à unidade da Igreja, cicatrizam-se as minhas Chagas e desta maneira eles aliviam a minha Paixão.
Misericordiosíssimo Jesus que sois a própria Bondade, Vós não negais a luz àqueles que Vos pedem, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos nossos irmãos separados, e atraí-os pela vossa luz à unidade da Igreja e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração, mas fazei com que também eles glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos nossos irmãos separados que esbanjaram os vossos bens e abusaram das vossas graças, permanecendo teimosamente nos seus erros. Não olheis para os seus erros, mas para o amor do vosso Filho e para a sua amarga Paixão, que suportou por eles, pois também eles estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Fazei com que também eles glorifiquem a vossa Misericórdia por toda a eternidade. Amém. Pai, Ave, Glória.

Sexto dia – Hoje traz-Me as almas mansas, assim como as almas das criancinhas, e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas são as mais semelhantes ao meu Coração. Elas reconfortaram-Me na minha amarga Paixão da minha agonia. Eu as vi quais anjos terrestres que futuramente iriam velar junto dos meus altares. Sobre elas derramo torrentes de graças. Só a alma humilde é capaz de aceitar a minha graça; às almas humildes favoreço com a minha confiança.
Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes: "Aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração", aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas mansas e humildes e as almas das criancinhas. Estas almas encantam o Céu todo e são a especial predilecção do Pai Celestial, são como um ramalhete diante do trono de Deus, com cujo perfume o próprio Deus se deleita. Estas almas têm a mansão permanente no Coração compassivo de Jesus e cantam sem cessar um hino de amor e misericórdia pelos séculos.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas mansas e humildes e para as almas das criancinhas, que estão encerradas na mansão compassiva do Coração de Jesus. Estas almas são as mais semelhantes ao vosso Filho; o perfume destas almas eleva-se da Terra e alcança o vosso trono. Pai de Misericórdia e de toda a bondade, suplico-Vos pelo amor e predilecção que tendes para com estas almas, abençoai o mundo todo, para que todas as almas cantem juntamente a glória à vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amén. Pai, Ave, Glória

Sétimo dia – Hoje traz-Me as almas que veneram e glorificam de maneira especial a minha Misericórdia e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas foram as que mais sofreram por causa da minha Paixão e penetraram mais profundamente no meu espírito. Elas são a imagem viva do meu Coração compassivo. Estas almas brilharão com especial fulgor na vida futura. Nenhuma delas irá ao fogo do Inferno; defenderei cada uma delas de maneira especial na hora da morte.
Misericordiosíssimo Jesus, cujo Coração é o próprio amor, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas que honram e glorificam de maneira especial a grandeza da vossa Misericórdia. Estas almas tornadas poderosas pela força do próprio Deus, avançam entre penas e adversidades, confiando na vossa Misericórdia. Estas almas estão unidas com Jesus e carregam sobre os seus ombros a humanidade toda. Elas não serão julgadas severamente, mas a vossa Misericórdia as envolverá no momento da morte.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas q glorificam e honram o vosso maior atributo, isto é, a vossa inescrutável Misericórdia; elas estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Estas almas são o Evangelho vivo e as suas mãos estão cheias de obras de misericórdia; as suas almas repletas de alegria cantam um hino de misericórdia ao Altíssimo. Suplico-Vos, ó Deus, mostrai-lhes a vossa Misericórdia segundo a esperança e confiança que em Vós colocaram. Que se cumpra nelas a promessa de Jesus, q disse: "As almas q veneram a minha insondável Misericórdia, Eu mesmo as defenderei durante a vida, especialmente na hora da morte, como a minha glória." Amém. Pai, Ave, Glória.

Oitavo dia – Hoje traz-Me as almas que se encontram na prisão do Purgatório e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia; que as torrentes do meu Sangue refresquem o seu ardor. Todas estas almas são muito amadas por Mim, pagam as dívidas à minha Justiça. Está ao teu alcance trazer-lhes alívio. Tira do tesouro da minha Igreja todas as indulgências e oferece-as por elas. Oh, se conhecesses o seu tormento, incessantemente oferecerias por elas a esmola do espírito e pagarias as suas dívidas à minha Justiça.
Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes que quereis misericórdia, eis que trago à mansão do vosso compassivo Coração as almas do Purgatório, almas que Vos são muito queridas e que no entanto devem dar reparação à vossa Justiça; que as torrentes de Sangue e Água q brotaram do vosso Coração apaguem as chamas do fogo do Purgatório, para que também ali seja glorificado o poder da vossa Misericórdia.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que sofrem no Purgatório e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Suplico-Vos que, pela dolorosa Paixão de Jesus, vosso Filho, e por toda a amargura de que estava inundada a sua Alma santíssima, mostreis a vossa Misericórdia às almas que se encontram sob o olhar da v/Justiça; não olheis para elas de outra forma senão através das Chagas de Jesus, vosso Filho muito amado, porque nós cremos que a vossa bondade e Misericórdia são incomensuráveis. Amém. Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

Nono dia – Hoje traz-Me as almas tíbias e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia. Estas almas ferem mais dolorosamente o meu Coração. Foi da alma tíbia que a minha Alma sentiu repugnância no Horto. Elas levaram-Me a dizer: Pai, afasta de Mim este cálice, se assim for a vossa vontade. Para elas, a última tábua de salvação é recorrer à minha Misericórdia.
Ó compassivo Jesus, que sois a própria Compaixão, trago à mansão do vosso compassivo Coração as almas tíbias; que se aqueçam no fogo do vosso amor puro estas almas geladas, que, semelhantes a cadáveres, Vos enchem de tanta repugnância. Ó Jesus, muito compassivo, usai a omnipotência da vossa Misericórdia e atraí-as até ao fogo do vosso amor e concedei-lhes o amor santo, porque Vós tudo podeis. Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas tíbias e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Pai de Misericórdia, suplico-Vos pela amargura da Paixão do vosso Filho e pela sua agonia de três horas na Cruz, permiti que também elas glorifiquem o abismo da vossa Misericórdia... Amém. Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.

"Ó incompreensível e insondável
Misericórdia de Deus,
Quem Te pode adorar
e exaltar de modo digno?
Ó máximo símbolo
de Deus Omnipotente,
Tu és a doce esperança
dos pecadores"
(Diário, 951, ed. it. 2001, pág. 341).

 

Atraídos pela misericórdia 

Quanta misericórdia trazemos em nós. Quantas misérias habitam em nós. Há um lugar onde podemos mergulhar, onde podemos entregar as nossas misérias: na imensa misericórdia de Jesus.
Nós somos pecadores, porque o pecado original deixou marcas em nós. Já fomos salvos por Jesus, Ele abriu-nos as portas do céu, mas o pecado original deixou as suas consequências. Assim como um tuberculoso nunca pode doar sangue, porque a doença deixou marcas, assim o pecado original deixou as suas marcas em cada um de nós.

As pessoas pecam porque são pecadoras

A miséria humana e a misericórdia de Deus atraem-se como dois pólos de um imã. Tu, miserável pecador, és atraído pela misericórdia porque foste criado para o céu, tu és de Deus. A misericórdia atrai-te com tamanha força, que um dia tu entras no coração misericordioso de Deus, e assim te encontras com Jesus-misericórdia.
Misericórdia=miséria mais coração. A tua miséria mais o coração de Deus, isto é misericórdia. Só o coração de Deus é capaz de receber todas as tuas misérias.


O bom ladrão, foi bom porque "roubou" o céu 

Ele, reconhecendo Jesus como Filho de Deus, alcançou a misericórdia divina e ganhou o céu.
Hoje, Deus chama pessoas simples, como tu e eu, para sermos propagadores da sua misericórdia. Se proclamares a misericórdia com a tua vida, por onde passares, Deus vai colocar pessoas que serão instrumentos da misericórdia para os teus. Sê um instrumento da misericórdia! Se queres misericórdia, busca-a com todo o teu coração e com todas as tuas forças. Entra no trono da graça, conquistado no Calvário, que é a misericórdia de Jesus!
 

Reflexos da misericórdia
 

Santa Faustina é conhecida como "a secretária de Jesus Misericordioso”. Deus sabe quem chama, quem é capaz de desaparecer para que a sua glória seja conhecida; quem é capaz de suportar muitos sofrimentos e humilhações para que muitas almas sejam salvas.
No meio deste ordinário da vida, de quem estava na portaria atendendo aos que chegavam ao convento, aos que iam pedir alimento, aos malfeitores, Jesus ia dizendo a esta serva o que queria que ela fizesse, como queria que ela intercedesse pela salvação das almas. Devemos esta festa ao "sim" de Santa Faustina. Esta devoção nunca se teria espalhado, se ela não tivesse aceitado os desafios. É ou não é maravilhoso contemplarmos a quem Deus chama? Deus chama aqueles que Ele quer.
 

Jesus acolhe os pecadores 

Qual era o relacionamento que Jesus tinha com os pecadores? (Lc 15,1s)
É isto que Jesus quer que tu entendas, nesta Festa da Misericórdia. O relacionamento que Ele deseja ter contigo, para que te sintas acolhido. Ele não quer que te sintas como aquela mulher que tinha sido apanhada em adultério, e aqueles homens já a haviam condenado e traziam em suas mãos o instrumento de condenação, as pedras. Aqueles homens não tinham entendido nada do que Jesus dizia: "Eu não quero o sacrifício, Eu quero a misericórdia".
O que Jesus deseja nesta festa é desarmar o teu coração, pois quem não tem pecados que atire a primeira pedra. Jesus pergunta-te, hoje, nesta festa, o mesmo que perguntou àquela mulher: "Mulher, ninguém te condenou?" Para Jesus não interessa o teu pecado, o teu passado, que muitas vezes é usado como que para segurar pedras nas mãos, condenando a ti mesmo. Mas Jesus diz: "Eu não te condeno!"
É preciso que entendas que Deus não te condena, Ele não te vê como os outros te vêem. Ou até mesmo como tu te vês, onde, muitas vezes, tu tens medo de te ver ao espelho, ver e lembrar o que fizeste. Por isso, neste dia, o Senhor deseja que a Festa da Misericórdia seja um refúgio, um abrigo, assim como Ele foi um abrigo para aquela mulher pecadora. É este abrigo que Jesus deseja ser para ti.
Ao lado da cruz de Jesus havia dois malfeitores, duas pessoas, e ao lado da cruz está também a minha e a tua cruz. Mas o Senhor quer de ti e de mim uma resposta, mas nós também temos que abrir o nosso coração.
Aqueles dois ladrões mostram qual a atitude que devemos tomar diante do Senhor: decidir agir como aquele bom ladrão ou como aquele ladrão que rejeita a misericórdia. Jesus hoje quer fazer contigo o que fez com aquele homem: "Hoje, estarás comigo no paraíso". 

A primeira pessoa a entrar no céu com Jesus

foi um ladrão arrependido 

Eis o que Jesus quer que tu entendas, na Festa da Misericórdia. O céu está aberto para ti. Ele diz: "Hoje, experimentarás a misericórdia de Deus". E só te cabe acolher a misericórdia que Ele te está a oferecer.
Talvez tenhas deixado de te confessar, porque queres ficar forte primeiro, porque não queres cometer o mesmo pecado. Mas precisas de entender que isso não vai acontecer, porque nós somos fracos, e tu precisas de entender que és fraco. Só podemos vencer pela graça de Deus, é Ele quem nos dá a graça. Nós devemos lutar, mas a graça de vencer é Jesus quem no-la dá.
Entende: Ele ama-te como és, assim como Ele foi atrás da ovelha perdida, Ele espera-te todos os dias no confessionário.
"Jesus diz às almas onde devem procurar consolo: no tribunal da misericórdia".
Ainda que a tua alma esteja em decomposição, como um cadáver, ou que as pessoas te digam: "Tu nunca mais mudas". Talvez tenhas assumido esta postura, estejas a atirar pedras contra ti mesmo. Deus diz-te: "Eu não olho para esta situação desta maneira".
Por isso Deus olhando para aquele ladrão diz: "Ainda hoje, estarás comigo no paraíso". E a ti diz-te: "Hoje, verás o milagre da minha misericórdia".
O milagre da misericórdia de Deus me fará ressurgir para uma vida plena, para a felicidade. Eu poderei experimentar o perdão e a paz que me é oferecida, porque hoje o céu abre-se para mim.
Hoje, o Senhor deseja dar a indulgência plenária. E Ele só pede uma atitude da nossa parte: que nos confessemos hoje.
A misericórdia vai me salvar, é a misericórdia que me vai restaurar!
Deixa de te sentir a pior pessoa deste mundo, mas sente-te a pessoa mais amada, ainda que não consigas ser tão forte, quanto desejarias ser. Não te sintas desamparado. A misericórdia vai te ressuscitar.
Eu não posso confiar em mim, por isso eu preciso dizer: "Jesus, eu confio em vós!"
Mesmo os santos experimentaram momentos de fraqueza, por isso não te detenhas nas pequenas coisas, porque o diabo faz-nos pensar que o que é uma formiguinha seja visto como algo muito maior para te desesperar.
 

A minha experiência com a Divina Misericórdia 

Uma senhora conta a sua experiência com a divina misericórdia e convida-te a participar na Festa da Misericórdia. "A minha experiência com a divina misericórdia deu-se através do terço da misericórdia. Durante muito tempo, eu rezei o terço, mas a devoção aprofundou realmente quando entrei em contacto com um sacerdote. Aí eu pude mergulhar profundamente na devoção e entender que o centro desta devoção está na confiança. O centro da devoção não está no terço da misericórdia, mas está na confiança. Ao longo destes anos pude ver quantos milagres Jesus realizou através do terço da misericórdia. Percebi que era necessário, cada vez mais, levar ao povo esta devoção do final dos tempos. Jesus disse a Santa Faustina que esta era a 'última tábua de salvação' que Ele dá à humanidade. Poder contagiar muitas pessoas com a experiência da divina misericórdia é uma graça. Hoje, graças a Deus, sinto-me uma serva. A pessoa que chega ao final do dia e contempla tudo aquilo que aconteceu, alegra-se, pois sabe que o que fez não é da sua obrigação. Quem realiza é Jesus, o que eu quero é cada vez mais ser um 'microfone' da misericórdia, para levar muitas pessoas a esta experiência de encontro pessoal com Jesus misericordioso. A minha devoção cresceu muito através da experiência do cancro que tive, e na luta contra a depressão que sofri por causa do tratamento da doença. Esta devoção tem sido o sustento da minha vida, da minha vocação e de tudo o que vivo. Acima de tudo, percebo que a devoção da Divina Misericórdia me transformou muito. Muitas coisas que existiam em mim, erros e misérias, que eu não via, e se tornaram visíveis. Tenho travado uma luta para ser melhor e para aceitar as minhas misérias, os meus pecados e deixá-los aos pés da misericórdia de Jesus. Vive este momento de fé e deixa aos pés de Jesus, os teus pecados, os teus erros, a tua história, talvez, marcada pelo sofrimento, para começares uma vida nova. Vive este momento de confiança, de fé e abre o teu coração a todas as graças que Jesus tem para ti.


Três maneiras de praticar as obras de misericórdia 

Jesus indicou-nos três maneiras de praticar as obras de misericórdia: a acção, a palavra e a oração.

Santa Faustina fala sobre isto no seu diário: “Existe uma tríplice forma de praticar a misericórdia: a palavra misericordiosa – pelo perdão e pelo consolo; em segundo lugar, onde não é possível pela palavra, oração – e isto também é misericórdia; em terceiro, obras de misericórdia” (D. 1158).
As palavras de Jesus são misericordiosas, palavras que levam consolo e perdão. A oração é uma grande arma que Deus colocou nas nossas mãos. Podemos e devemos dobrar os joelhos para rezar pela paz no mundo, por exemplo. Não podemos ir ao Afeganistão para aliviar o sofrimento dos nossos irmãos atingidos pela violência da guerra, mas podemos rezar por eles. E rezando tocaremos o coração do nosso Deus que terá compaixão daquele povo, trazendo-lhes a paz. Todos são chamados á misericórdia. “Escrevo-o para muitas almas que às vezes se preocupam por não possuírem bens materiais, para com eles praticar a misericórdia. Tem um mérito muito maior a misericórdia do espírito, para a qual não é preciso ter autorização nem armazém e que é acessível a todos. Se a alma não praticar a misericórdia de um ou de outro modo, não alcançará a Minha misericórdia no dia do Juízo. Oh! Se as almas soubessem armazenar os tesouros eternos, não seriam julgadas, antecipado o Meu julgamento com obras de misericórdia” (D. 1317).

 

Como praticar a Misericórdia com o próximo

A devoção à Divina Misericórdia respira com dois pulmões: o primeiro é o da confiança, o segundo, o das Obras de Misericórdia.

De facto, Jesus disse a Santa Faustina: “Se por teu intermédio peço aos homens o culto à Minha misericórdia, por tua vez deves ser a primeira a distinguir-te pela confiança na Minha misericórdia. Estou exigindo de ti actos de misericórdia, que devem decorrer do teu amor para Comigo. Deves mostrar-te misericordiosa com os outros, sempre e em qualquer lugar. Tu não te podes omitir, desculpar-te ou justificar-te. Eu indico-te três maneiras de praticar a misericórdia para com o próximo: a primeira é a acção, a segunda, a palavra e a terceira, a oração.Nestes três graus está a plenitude da misericórdia, pois constituem uma prova irrefutável do amor por Mim. É deste modo que a alma glorifica e honra a Minha misericórdia” (D. 742). 

O testemunho dum pai de 13 filhos, nas Filipinas 

Uma manhã de Março de 1993, foi levado ao hospital escorrendo sangue. Quatro especialistas declararam que a possibilidade de vida era uma entre um milhão. Apesar de estar nos cuidados intensivos, o sangue não parava de sair pela boca. O electrocardiograma começou a emitir um sinal vermelho. E começaram a fazer os preparativos para o funeral e os familiares mandaram desligar a máquina a que estava ligado.O doente a dado momento viu uma luz brilhante e reconheceu alguém que estava à sua frente. Era Jesus! Jesus mostrou-lhe toda a sua vida num ecran gigante, desde a sua mais tenra infância. Quando este homem tinha cometido pecados graves, a película andava mais lenta, como se Jesus quisesse mostrar-lhe que o que tinha feito, estava mal. O homem tentava fechar os olhos, mas mesmo assim estava sempre a ver... Cada pecado o feria e lhe pesava. Pelo contrário, sentia-se leve como um pássaro vendo o bem que tinha feito por exemplo aos pobres... Então Jesus disse-lhe que devia voltar à terra porque tinha ainda muitas coisas por fazer. Entretanto o homem continuava nos cuidados intensivos...De repente voltou a si. Sentia-se tão bem que ele mesmo tirou os tubos e aparatos que ligavam o seu corpo. O pessoal médico ao vê-lo entrou em estado de choque, e começaram a fazer novos exames. O chefe do serviço disse-lhe: "Olhe, o seu electrocardiograma está normal...! Você esteve aparentemente morto durante três dias! O seu médico ficou tão impressionado pelo acontecimento, que ingressou no seminário! Durante este tempo misterioso, Jesus revelou-Se profundamente ao coração deste homem  e confiou-lhe a missão de rezar e de difundir a Novena da Divina Misericórdia, e desde então cumpre a sua missão. Como a quantidade de gente que vinha vê-lo para lhe confiar os seus problemas aumentava dia a dia o homem não sabia o que devia fazer. Então perguntou a Jesus e recebeu a seguinte resposta: "Diz-lhes somente que rezem a novena incessantemente e serão guiados." Quando se pede ao homem que dê o seu testemunho, começa a animar uma novena da Misericórdia diante da assembleia. Mas às vezes, a sua voz é tomada pela emoção ao recordar-se de Jesus Misericordioso e não consegue falar! O seu testemunho já provocou inumeráveis conversões. Os corações são profundamente tocados e recebem a graça do arrependimento;  reconciliam-se com Deus e mudam de vida. Jesus disse-lhe que não era suficiente proclamar a sua misericórdia, que devia também pô-la em acção, "sendo um exemplo vivo da Sua misericórdia". Querida Nossa Senhora, Mãe de Misericórdia, queremos expressar o nosso amor ao Crucificado por meio do teu Coração. 

O meu amor por Ti nunca mudará

''Deus não mandou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele''. (Jo 3,17) 

Deus não enviou Jesus ao mundo para te condenar nem para te castigar, mas para te salvar. Esta é a verdade deste versículo do evangelho de S. João. Jesus veio a este mundo para te salvar, para te dar Vida, e para te resgatar da morte e do pecado. Esta foi a sua missão entre nós. Esta continua a ser a sua missão até aos dias de hoje. Deus nunca muda as suas decisões. E como Ele mandou Jesus para salvar o mundo, para te salvar e ñ te condenar, Jesus continua hoje a fazer a mesma coisa. Por isso, ele revelou a Sua Misericórdia à humanidade, como sinal dos últimos tempos: ''A minha misericórdia é o sinal para os últimos tempos; depois dele virá o dia da justiça'' (D. 848).
Para que nos convençamos do Seu amor por nós, Ele disse a Santa Faustina: ''Antes de criar o mundo, eu amava-te com o amor que o teu coração experimenta hoje e, por todos os séculos, o meu amor nunca mudará'' (D. 1574)
Antes da própria terra, do próprio universo ser criado, Deus amava-te com o mesmo amor que possuis no coração hoje. Por todos os séculos o amor de Deus por ti não mudará. Esta é uma afirmação feita pelo próprio Jesus: ''por todos os séculos o meu amor por ti não mudará''.
É certo que nós mudamos de humor, de comportamento, de atitudes, e quando não gostamos de alguém, não nos damos com essa pessoa, e a nossa tendência é afastarmo-nos dela, porque em nada ela nos ajuda. Este é o comportamento que nós, pessoas humanas, temos, de estarmos somente com quem gostamos, com quem nos dá prazer, e de nos afastarmos de quem não nos interessa.

Deus age de forma diferente da nossa: Ele mesmo não gostando da nossa atitude, do nosso comportamento, da vida de pecado que levamos, não se afasta de nós, mas pelo contrário, mantêm-se próximo, atento ao menor sinal de arrependimento da nossa parte para nos abraçar. É por isso que ele morreu de braços abertos, para te mostrar, que mesmo que vivas uma vida de pecado profunda, quando te cansares desta vida de pecado, os braços dele sempre estarão abertos para te acolher, como a dizer-te: ''por todos os séculos, por todos os dias, por todos os meses, por todos os anos, por hoje, o meu amor por ti não mudará''.
Assim como a mãe acolhe sempre o filho que andou por maus caminhos, e que arrependido volta para casa porque encontra nela sempre os braços abertos para acolher, Deus age da mesma forma contigo.

Rezemos: Obrigado Jesus, porque o teu amor por mim nunca mudará. Tu permaneceste com os braços abertos na cruz por mim, para me dizer: ainda que os homens Te fechem os braços e te virem as costas eu não farei isso, porque o meu amor por ti nunca mudará. Obrigado Jesus. Eu aceito e assumo. Eu assumo e aceito esta graça na minha vida. Amém.



 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments