Mensagem

O Santíssimo
Sacramento
Louvado Seja
A Todo o Momento

 
Início seta O Homem seta Masculinidade: o que é ser homem de verdade
Masculinidade: o que é ser homem de verdade Imprimir e-mail

 

Masculinidade: entenda o que é ser um homem de verdade 

 

É possível ser homem de verdade, que expressa coragem, emoção e responsabilidade

Muitos de nós homens temos tendência para sermos mais práticos, para buscarmos as soluções dos problemas em vez de nos envolvermos neles e falar deles. Às vezes, entramos na nossa ‘caixinha do nada’ para sobrevivermos. Sim, ‘caixa do nada’. Diz-me, o que estás a pensar?” “Nada”. “Fiz-te alguma coisa?” “Nada”. Nada é nada mesmo. Isto faz-nos viver a vida de maneira mais livre, mas que o nosso ‘segredo do nada’ não nos impeça de nos envolvermos no que vale a pena! O homem de verdade expressa poder e misericórdia. Coragem e emoção!

Fico impressionado com o modo de Jesus. Ele era amigo, encorajava e ensinava os discípulos, era um Pai para eles e para o povo. Jesus, às vezes, ria com eles, ia para as festas com a malta, mas também batia o pé em questões em que até mesmo os discípulos mais próximos discordavam. Era firme quando era preciso e sabia estar em cada uma das situações.

O homem é protector

Gostamos de proteger o que nos é sagrado e importante, especialmente as mulheres. Temos um desejo de doar a nossa vida a ponto de doer! Basta olhar para a maioria dos heróis que foram criados pela nossa imaginação, pela literatura e pelos filmes. Eles dão a vida por amor. Como fazemos para doar a nossa vida à nossa maneira? Lembro aqui o que o tio do Homem Aranha lhe disse, no primeiro filme, antes de ser assassinado: “Grandes poderes requerem grandes responsabilidades”. É isto mesmo! O “poder” que nos foi dado de sermos homens, tem como anexo, “de quebra”, grandes responsabilidades. És capaz de as assumir?

É preciso ser homem de verdade

Lá no fundo do coração, a mulher quer mesmo um homem que a faça feliz e cuide dela. O mundo vive a dizer-nos para viver a vida agora e nos preocuparmos com coisas sérias depois. Mas o nosso coração não funciona desta maneira. Cada pedacinho de masculinidade em nós protesta contra isto! Deus criou-nos para sermos guerreiros, para lutarmos pelo que é certo e pelo verdadeiro amor. Isto não é um sonho.

Lembro-me da cena do filme ‘Gigantes de Aço’, no qual o Charlie entrega o seu filho, Max, aos cuidados da cunhada por não ter condições nem disposição para o educar. Estava literalmente a fugir da luta! Fica bem claro que o garoto já o amava e queria ficar com ele. O pai (Charlie), então, indignado diz: “Sabes que não consigo cuidar de ti. Não sou o que tu mereces. O que quer que eu faça?” Nessa hora, com os olhos cheios de lágrimas, Max diz algo que me tirou o fôlego: “Eu só queria que você lutasse por mim”.

Somos homens livres, racionais, com um pé na terra e outro na eternidade; temos inteligência para influenciar, direccionar e formar este mundo, fazendo-o valer a pena. Qual a tua resposta diante desta proposta? Qual a tua luta? Por onde recomeçar?

A nossa masculinidade não está encerrada no nosso corpo sarado e viril, mas em todo o nosso ser. Não dá para pensar que o homem é aquele ‘medroso’ que não sabe ser corajoso e, ao mesmo tempo, acolhedor. Não é irónico que, um dia, o mundo tenha sido convidado a escolher a sua resposta a partir destas duas visões de homem?

No dia do julgamento de Jesus, diante de Pilatos, foram apresentados dois modelos de homem: Jesus, o revolucionário do amor, homem de coragem e emoção, leão e cordeiro; e Barrabás, um revolucionário e lutador que matou por uma causa pessoal.

Quem é que o povo escolheu?

Antes de o povo dar a resposta, Pilatos tentou mostrar quem, de facto, era homem verdadeiro: Eis o Homem! Disse ele. Mas não escolheram Jesus, pelo contrário, mataram-No!

Tentei mostrar o modelo de homem no qual precisamos de nos espelhar, mas a resposta é tua, homem! Então, que modelo vais seguir? Dentro de ti, quem ficará vivo? Jesus ou Barrabás?

 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments