Mensagem

"A Tua Palavra é Luz para os meus passos"

(Sl 119, 105)

 
Início seta Temas de Formação seta Devemos pedir a Deus que cure as nossas feridas ao longo da vida
Devemos pedir a Deus que cure as nossas feridas ao longo da vida Imprimir e-mail

Devemos pedir a Deus que cure as nossas feridas ao longo da vida

Ninguém se expõe ao sol sem se queimar. Se tomarmos sol em excesso, vamos sofrer as consequências dele. Com Deus acontece algo semelhante, pois ninguém se coloca na presença d’Ele sem ser beneficiado pelas Suas graças. As marcas da presença do Todo-poderoso também são irreversíveis para a nossa salvação. Quando nós nos deixamos conduzir pelo Espírito Santo, Ele dá-nos liberdade. Nunca o Senhor pensou em nos trazer para perto d’Ele para tirar algo de nós, muito menos para limitar a nossa liberdade. Se Ele não quisesse a nossa liberdade, por que nos teria criado livres?

A nossa liberdade ficou comprometida pela nossa própria culpa, porque quem peca torna-se escravo do pecado. Pelos erros e vícios que entram na nossa vida ficamos debilitados. O Pai deu-nos Cristo para nos libertar daquilo que nos amarra. Deus mostra-nos os caminhos que podemos seguir, mas a liberdade de escolher é nossa. O desejo do Senhor é libertar-nos de toda a angústia, de toda a opressão. O desejo d’Ele é ver-nos felizes.

Em Gálatas 5,1 lemos: “É para que sejamos homens livres que Cristo nos libertou. Ficai, portanto, firmes e não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão“. Cristo amou-nos, morreu numa cruz por nossa causa, para que não fôssemos escravos do pecado. O Ressuscitado libertou-nos de todo o mal, de toda a armadilha do inimigo para que permanecêssemos livres. Contudo, ninguém é livre na maldade. Uma vez que o Espírito Santo nos visita, não há brechas para o pecado.

Quem conhece as coisas que há no homem senão o espírito do homem que nele reside? (cf. Coríntios 2,10-16). Assim também ninguém conhece as coisas de Deus senão o Seu Espírito.

Ninguém pode saber o que há no nosso interior se não abrirmos a boca e dissermos o que pensamos. Quando rezamos, Deus Pai refaz-nos e o Espírito Santo cura-nos e liberta-nos. Rezar é ficar nu na presença de Deus, é abrir-se a Ele. Quando rezamos, colocamo-nos na presença do Altíssimo, expomo-nos e somos curados. Quando tiramos a roupa diante do espelho, vemos o que queremos e o que não queremos. Quando estamos a rezar, caem as nossas vestes espirituais; assim, vemos o que queremos e o que não queremos. Tudo o que fazemos de mau volta para nós no momento da oração. No momento em que o Senhor nos mostra quem somos, Ele também nos mostra quem Ele é. Se Ele nos revela uma coisa que não está boa, é porque precisamos de a consertar.

Na oração, aprendemos a ouvir o Senhor. Não existe ninguém que, tendo rezado, Deus não lhe tenha respondido. E se Ele não lhe responde directamente, vai fazê-lo por meio de uma pessoa ou de um facto, mas Ele responde. Nós precisamos de aprender a ouvi-Lo na oração, para conhecermos os planos que Ele tem para a nossa vida.

Nós precisamos, na oração, de pedir ao Espírito Santo que nos faça descobrir o que está ruim dentro de nós. Deus sabe quando fomos maltratados e sabe como nos curar.

A nossa vida inteira é um processo de cura interior. Enquanto estivermos com os pés nesta terra, a nossa vida será um processo de cura interior. Nós temos de nos apresentar diante de Deus. O Todo-poderoso tem um plano para a nossa vida, um plano de amor, de realização e de felicidade para nós. Se não abrirmos o nosso coração para a oração, correremos o sério risco de morrer sem conhecer o plano que Deus tinha para nós.

 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments