Mensagem

Basta-me saber que sois jovens para eu vos amar

São João Bosco

 
Início seta Temas de Formação seta Cuidado para não "cair pouco a pouco"
Cuidado para não "cair pouco a pouco" Imprimir e-mail

 

Cuidado para não “cair pouco a pouco”…

 

Há na vida espiritual uma verdade de importância tal, que por todas as almas piedosas deve ser seriamente meditada.

E ei-la aqui, tal como a inspirou o Espírito Santo: quem despreza e não tem em conta as coisas pequenas, cairá pouco a pouco.

Compreende bem esta palavra: “cairá pouco a pouco”. Cairá insensivelmente, sem dar por isso, mas cairá.

Hoje, sob o pretexto de ser falta leve, consente numa mentira muito pequena; amanhã já deixa sair uma maior; e acabará por cair nas maiores desordens.

Teme, teme muito o desprezo das coisas pequenas; receia as faltas leves; olha que são d’algum modo mais perigosas do que as grandes, porque se não certamente cairás.

 “Ouso, diz São João Crisóstomo, avançar uma proposição que parecerá surpreendente e inaudita; e é que me parece que se deve pôr algumas vezes menos cuidado em fugir dos pecados grandes, do que em evitar as faltas pequenas. Das grandes, só a enormidade já inspira o horror; com as mais pequenas, por pouco consideráveis, facilmente nos familiarizamos”; este desprezo em que as temos impede-nos de fazer o devido esforço para as expelir, e assim por negligência nossa vão crescendo até chegar ao estado de não podermos desfazer-nos delas.

Repito: teme as faltas pequenas, teme-as e evita-as, pois, por pequenas que sejam, nem por isso deixam de ofender menos o nosso bom Mestre; teme e evita as faltas leves, porque à tibieza nos conduzem: teme as faltas leves porque Jesus Cristo disse, “quem nas coisas pequenas é fiel, sê-lo-á também nas grandes, e quem nas pequenas é injusto, injusto será nas grandes”.

Vela hoje muito sobre ti mesmo, e esforça-te para viver hoje de modo que à noite possas dizer a Jesus: “Meu bom Mestre, hoje não me acusa a consciência de falta alguma inteiramente voluntária; bendito sejais, pois foi a vossa omnipotente mão quem me amparou.

Suplico-vos que queirais perdoar toda e qualquer falta que por fragilidade me haja podido escapar; amanhã hei de fazer todos os esforços para viver melhor ainda”.

Fonte: retirado do livro “As chamas do Amor de Jesus” do Abade D. Pinnard.

 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments