Mensagem

Basta-me saber que sois jovens para eu vos amar

São João Bosco

 
Início seta Mais saúde seta Linhaça para as gestantes
Linhaça para as gestantes Imprimir e-mail
Linhaça para as gestantes

 

A linhaça não é remédio nem poção mágica

 

Dieta balanceada, prática regular de actividade física, ingestão de muita água, pouco stress e nada, mas nada de cigarros e afins. Excepto em situações especiais, esta é a fórmula básica de uma gravidez sem percalços. Portanto, não caia na tentação de achar que a linhaça sozinha vá fazer milagres. Esta história de que existem panaceias para todos os males é conversa.

Outro alerta: os benefícios deste grão precisam de tempo para serem notados no dia a dia de quem o consome. Nada acontece de um dia para o outro.

 

Começar a comê-la hoje e imaginar que amanhã tudo estará bem é uma ilusão.

 

Age em todos os órgãos e sistemas 

 

A linhaça é um alimento funcional, ou seja, auxilia na prevenção de vários problemas. É um grão completo e versátil, que reúne carboidratos, proteínas, gorduras e fibras. Além disso, é uma fonte natural dos chamados compostos bioactivos ou fitoquímicos, que inibem a degeneração precoce das nossas células. Aliada a uma dieta equilibrada e exercícios físicos, ela evita o excesso de peso, protege contra as doenças obstétricas e reduz o risco de um parto prematuro.

 

Melhora o funcionamento do intestino

 

Assim como outros cereais integrais, a linhaça –– em forma de semente ou farinha –– é rica em fibras. Isto faz dela uma poderosa aliada no combate à prisão de ventre, bastante comum durante a gestação por causa das alterações hormonais, que deixam o intestino mais preguiçoso. Mas é importante associar a ingestão de linhaça e outros alimentos cheios do nutriente a bastante água, pelo menos 2 litros por dia. Sem o líquido, a fibra tem o efeito inverso e pode até favorecer a constipação...

 

Controla a tua fome de leoa 

 

A consistência da linhaça contribui para aumentar a saciedade. É que ela precisa de mais tempo para ser absorvida pelo organismo do que outros alimentos, como os doces. No fim das contas, isto faz com que a fome demore a voltar. Há evidências ainda de que a linhaça tenha substâncias que estimulam a produção de um hormónio controlador do apetite. Tudo isto é importante para evitar o ganhar peso, que deve ficar entre 9 e 12 quilos durante a gestação – ou menos, para as mulheres obesas ou com excesso de peso.

 

Mantém a tua saúde em ordem 

 

O consumo regular de linhaça auxilia na prevenção de problemas como diabete, hipertensão e colesterol alto, que patrocinam males cardiovasculares, em especial o enfarto e o derrame. Na gravidez, este hábito pode também conter, ou amenizar, o diabete gestacional e a doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG). É que as fibras da casca da semente tanto favorecem o aumento do chamado colesterol bom, o HDL, que varre o excesso de gordura do corpo, como ajudam no equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue.

 

Paralelamente, o óleo da linhaça é rico em ácidos graxos ômega-3 e ômega-6, que estimulam a produção das chamadas prostaglandinas, responsáveis por melhorar a circulação sanguínea, reduzir a pressão e diminuir o colesterol ruim, o LDL, e os trigliceridos no sangue. 

 

Previne a retenção de líquidos 

 

Os ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 e ômega-6, presentes na linhaça, são também responsáveis por um trabalho de suma importância para as gestantes. Ao estimular que a produção de prostaglandinas, favorecem a circulação sanguínea e, assim, contribuem para a retirada do excesso de sódio dos rins, reduzindo a retenção de líquidos. Só para ter uma ideia, eles  encontram-se num volume 60% maior nas gestantes e são determinantes para o inchaço do seu corpo. Nas mulheres em geral, o ômega-3 e o ômega-6 ajudam a equilibrar o humor durante a síndrome da tensão pré-menstrual. 

 

Contribui para a formação do bebé

 

Outro benefício bastante festejado dos ácidos graxos é a sua acção no desenvolvimento do bebé. Acredita-se que a oferta das gorduras ômega-3 e ômega-6 no período pré-natal contribua para o crescimento, a formação cerebral e o desenvolvimento cognitivo da criança, bem como a prevenção de doenças crónicas no futuro, já na fase adulta. E o mais interessante é que a linhaça oferece essas duas gorduras em quantidades bem equilibradas. 

 

Fortalece as defesas do teu corpo

 

A linhaça reforça a imunidade da mulher grávida, o que é especialmente importante para aquelas que estão abaixo do peso. Isto porque a semente também é rica em prebióticos, ou seja, fibras não digeríveis, que vão servir de alimento para micro-organismos da flora intestinal responsáveis pela produção de substâncias importantes para o funcionamento do sistema imunológico. Só não confunda com os probióticos, que são organismos vivos presentes em algumas bebidas.

 

Combate os radicais livres 

 

Os compostos de oleaginosas, como a linhaça, têm função antioxidante. Em bom português, combatem os famigerados radicais livres, moléculas danosas ao organismo. Embora o mecanismo ainda não esteja totalmente esclarecido, o que os especialistas dizem é que a acção bioquímica de alguns compostos dos óleos encontrados no grão retarda a degeneração das nossas células, um efeito financiado pelos radicais livres. Mas este benefício só é obtido se a ingestão do alimento for contínua, moderada e prolongada. Neste caso, fala-se até em prevenção contra o cancro da mama.

 

Farinha, semente ou óleo? 

 

A linhaça faz um bem enorme às grávidas. Mas isto não significa que deva ser ingerida indiscriminadamente, até porque é um alimento bastante calórico. Procure comer de 25 a 45 gramas por dia, o equivalente entre uma e três colheres de sopa. Ela pode ser consumida em três versões: farinha, semente e óleo. Prefira a farinha, que oferece o benefício tanto do óleo como das fibras. É que a casca da semente não é quebrada na digestão e nem sempre conseguimos mastigá-la, favorecendo apenas a formação das fezes. Já o óleo oferece o benefício dos ácidos graxos e antioxidantes, mas não tem fibras. 

 

Mas, atenção, é preciso que a farinha tenha sido moída pouco tempo antes de chegar à mesa, caso contrário pode até tornar-se imprópria para o consumo. Ela deve ficar num pote fechado e fosco no frigorífico no máximo três dias. Outra opção, menos indicada, é usar farinhas orgânicas já embaladas e vendidas em supermercados. Evite comprar a granel ou em locais onde se ensaca na hora.

 

Vai bem a qualquer hora

 

Experimenta adicionar a linhaça a vitaminas, iogurtes, frutas e salada em geral. O mesmo pode ser feito com leite, extractos de soja e sucos. Outra opção é engrossar sopas e feijões com ela. Ou ainda substituir parte da farinha de milho, trigo ou mandioca pela farinha de linhaça na preparação de pães, bolos, biscoitos e outras massas. O sabor é agradável. Só não dá a mesma liga, por isso deve ser usada com outras farinhas. Aqueles que procuram os benefícios apenas das suas gorduras podem despejar uma colher de café sobre a refeição ou tomar uma colher de sopa em jejum.

 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments