Mensagem


Deus é Amor

Papa Bento XVI

 
Início seta O Demónio existe seta 10 ensinamentos de S. João Vianney na luta contra o mal
10 ensinamentos de S. João Vianney na luta contra o mal Imprimir e-mail

10 Ensinamentos de S. João Vianney para a luta contra o mal

 

O Santo Cura de Ars nasceu na França no ano 1786. Foi um grande pregador, fazia muitas mortificações, foi um homem de oração e caridade. Tinha um dom especial para a confissão. Por isso, vinham pessoas de diferentes lugares para confessar-se com ele e escutar os seus santos conselhos. Devido ao seu frutífero trabalho pastoral foi nomeado padroeiro dos sacerdotes. Também combateu contra o maligno em várias ocasiões, inclusive em algumas não só espiritualmente.

Numa delas, enquanto se preparava para celebrar a missa, um homem disse-lhe que o seu dormitório estava a arder. Qual foi a sua resposta? “O Resmungão está furioso. Quando não consegue pegar o pássaro, queima-lhe a gaiola”. E entregou-lhes a chave para irem apagar o fogo. Sabia que Satanás queria impedir que ele celebrasse a Santa Missa, mas não conseguiu.

Deus premiou a sua perseverança diante das provações com um poder extraordinário que lhe permitia expulsar demónios das pessoas possuídas.

A sua confiança em Deus e fé inabalável dão-nos várias lições que podem também ajudar nas nossas lutas do dia-a-dia nesta terra. Sim, o mal existe; mas, Deus pode mais… “Quem como Deus?”.

Curiosidades sobre a vida de São João Maria Vianney

Cinco Santos que lutaram contra o demónio, dizem:

1. Não há um lugar na terra onde possamos escapar da luta contra o demónio. Se tivermos a graça de Deus, que nunca nos é negada, podemos sempre triunfar.

2. Como o bom soldado não tem medo do combate, assim o bom cristão não deve ter medo da tentação. Todos os soldados são bons no acampamento, mas é no campo de batalha que se vê a diferença entre corajosos e covardes.

3. O demónio tenta somente as almas que querem sair do pecado e aquelas que estão em estado de graça. As outras já lhe pertencem, não precisa de as tentar.

4. Uma santa queixou-se a Jesus depois da tentação, perguntando-Lhe: “onde estavas, meu Jesus adorável, durante esta horrível tempestade?” Ao que Ele lhe respondeu: “Eu estava mesmo no meio do teu coração, encantado em ver-te lutar”.

5. Um cristão deve sempre estar pronto para o combate. Como em tempo de guerra, há sempre sentinelas aqui e ali para ver se o inimigo se aproxima. Da mesma maneira, devemos estar atentos para ver se o inimigo não nos está a preparar armadilhas e, se ele vem para nos pegar de surpresa…

6. Três coisas são absolutamente necessárias contra a tentação: a oração, para nos esclarecer; os sacramentos, para nos fortalecer; e a vigilância para nos preservar…

7. Com os nossos instintos, a luta é raramente igual: ou nossos instintos governam-nos ou nós governamos os nossos instintos. Como é triste deixar-se levar pelos instintos! Um cristão é um nobre; ele deve, como um grande senhor, mandar nos seus vassalos.

8. O nosso anjo da guarda está sempre ao nosso lado, com a pena na mão, para escrever as nossas vitórias. Precisamos de dizer todas as manhãs: “Vamos, minh’alma, trabalhemos para ganhar o céu”.

9. O demónio deixa muito tranquilos os maus cristãos; ninguém se preocupa com eles, mas contra os que fazem o bem, ele suscita mil calúnias, mil ofensas.

10. O sinal da cruz é temido pelo demónio porque é pela cruz que escapamos dele. É preciso fazer o sinal da cruz com muito respeito. Começamos pela cabeça: é o principal, a criação, o Pai; depois o coração: o amor, a vida, a redenção, o Filho; por fim, os ombros: a força, o Espírito Santo. Tudo nos lembra a cruz. Nós mesmos somos feitos em forma de cruz.

 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments