Mensagem

O Santíssimo
Sacramento
Louvado Seja
A Todo o Momento

 
Início seta Menino Jesus de Praga
Menino Jesus de Praga
MENINO JESUS DE PRAGA Imprimir e-mail

 

A devoção a Jesus assumiu muitas formas através da história. Uma das novidades mais conhecidas é a do presépio, ligada a São Francisco de Assis.
A devoção ao Menino Jesus de Praga constitui uma das formas da devoção a Jesus considerada entre as mais importantes na Igreja.
Nasceu em Praga, hoje capital de República Tcheca, em 1628, no Convento dos Carmelitas Descalços, que passava por sérias dificuldades. Movida de compaixão, a princesa Polyxena de Lobkowitz decidiu presentear os religiosos carmelitas com uma escultura bastante especial: o Menino Jesus, já um pouco crescidinho, vestido com trajes de príncipe. Numa das mãos trazia um globo, representando o mundo inteiro; na outra, apresentava um sinal de bênção, com os dedos indicador e médio levantados, no estilo das imagens sacras orientais. Entretanto, o detalhe mais encantador da imagem era o sorriso franco e cheio de amor estampado no rosto do Menino Deus.

A princesa Polyxena de Lobkowitz era uma das senhoras mais distintas e piedosas do seu tempo, conhecedora da voluntária pobreza em que viviam os Padres Carmelitas e da grande estima que o povo cristão lhes tributava depois da miraculosa vitória da Montanha Branca, obtida pelas orações do Venerável P. Domingos. Possuía, entre as suas lembranças de família, a imagem do Menino Jesus, que sua mãe, princesa Hanrique de Lara (da família real de Espanha), lhe tinha oferecido como o mais valioso presente do casamento; ela, por sua vez, tinha-a recebido de Santa Teresa de Jesus.
Em 1628, esta piedosa princesa, como que impelida por uma força superior, compreende que deve desprender-se daquela prenda querida e entregá-la aos Padres Carmelitas, que ficariam como os seus melhores e mais devotos custódios. Apresenta-se de facto no convento, e diante de toda a Comunidade, entrega ao Rev.mo Padre Prior, venerável Fr. João Luís da Assunção, a belíssima imagem, dizendo-lhe:
«Meu Padre, eu vos dou o que tenho de mais querido. Honrai esta imagem do Menino Deus e nada vos faltará».
A imagem foi exposta à veneração dos religiosos no coro-oratório, onde tinham lugar os actos piedosos da Comunidade.
As palavras da augusta dadora verificaram-se à risca. Deus prodigalizou as suas graças ao convento que possuía o Divino Menino: nunca lhes faltou o necessário; foi cumulado de bênçãos espirituais e temporais enquanto ali preservou a devoção ao Menino Jesus.

 

 

 
AS GRANDES PROMESSAS DO MENINO JESUS DE PRAGA Imprimir e-mail

O Menino Jesus de Praga «promete e cumpre» quer falando através da veneranda Imagem que se encontra em Praga, quer aparecendo em forma de criança aos seus apaixonados devotos, dignando-se, na sua bondade infinita, fazer grandes promessas que nos estimulam fortemente a recorrer à sua divina protecção nas nossas necessidades espirituais ou materiais, individuais ou colectivas. E cumpre-as fielmente porque Deus é tão omnipotente reclinado no presépio de Belém, como dependurado na Cruz do Gólgota: É sempre o mesmo: infinitamente bom e poderoso, fiel e verdadeiro!

Meditemos as principais promessas:

PRIMEIRA PROMESSA:

«TENDE PIEDADE DE MIM E EU TEREI PIEDADE DE VÓS! RESTITUI-ME AS MINHAS MÃOS E VOS DAREI A PAZ! QUANTO MAIS ME HONRARDES MAIS EU VOS FAVORECEREI!»

É esta a promessa feita ao Rev. P. Cirilo da Mãe de Deus, religioso Carmelita Descalço, íntimo confidente do Menino Jesus e principal apóstolo desta salutar devoção, e que morreu com fama de santidade.
Esta promessa inclui duas promessas particulares, que são as duas primeiras, e uma geral, que é a última:
«Quanto mais Me honrardes, mais Eu vos favorecerei».
Esta promessa é tão clara, que não precisa de esclarecimento algum; é tão importante, que assegura serem os nossos pedidos sempre atendidos na medida da nossa devoção para com o Menino Jesus de Praga.
O número e a grandeza dos favores que nos concede o Menino Jesus depende essencialmente do amor que Lhe temos, da confiança com que a Ele recorremos e do fervor com que Lhe prestamos culto. Honremo-LO com as nossas orações, boas obras e virtudes, e os favores choverão abundantemente sobre nós.

SEGUNDA PROMESSA

«RECORRE AO MEU CORAÇÃO, E CADA VEZ QUE QUISERES OBTER UMA GRACA, NÃO DEIXEIS DE MA PEDIR PELOS MÉRITOS DA MINHA SANTA INFÂNCIA, PORQUE NÃO TA RECUSAREI! TUDO QUANTO ME PEDIREM PELA MINHA SANTA INFÂNCIA SERÁ CONCEDIDO!».

Promessa feita à Venerável Margarida do Santíssimo Sacramento, Carmelita Descalça do Convento de Beaune, em França, que morreu com a idade de 27 anos, em perfume de santidade. Tornou-se célebre pela sua grande devoção à Infância de Jesus e pelo zelo em a propagar. É a autora da coroinha do Menino Jesus.
Esta promessa do Menino Jesus é de um alcance incomensurável, duma generosidade infinita, duma bondade inefável, que enche o nosso espírito de consoladoras esperanças, e que nos obriga a prostrar-nos diante do Menino Jesus de Praga e dizer-lhe com a alma repleta de gratidão e amor: «OBRIGADO, MEU DOCE JESUS DE PRAGA! OBRIGADO, MIL VEZES MUITO OBRIGADO!»
Explicações desta promessa? Não são precisas: foram dadas pelo próprio Menino Jesus quando fez a promessa. Toda a explicação pode deturpar a sua amplidão e simplicidade.
Não estabelece limites: «TUDO será concedido». Só estabelece uma condição: o pedido deve-Lhe ser feito «PELA MINHA SANTA INFÂNCIA, PELOS MÉRITOS DA MINHA SANTA INFÂNCIA». O «tudo» que promete, está subordinado ao pedido que deve ser feito «pela sua Santa Infância».
Esta promessa não é simplesmente «promessa», mas é mais, muito mais: é um apelo insistente e veemente, que parece atingir o grau de obrigatoriedade: «Recorre!» imperativo, exigente e categórico, imperativo de súplica.
Obriga-nos a recorrer ao seu Coração amantíssimo e sempre que queremos obter uma graça suplica que NÃO DEIXEMOS de Lha pedir porque: «Não ta recusarei», se a pedirmos pelos méritos da sua Santa Infância, essa fase da Sua vida terrestre que quer avivar nos nossos corações e ver actualizada nas nossas vidas!
Tudo isto é sublime, é encantador: arrebata os corações e nos enche de alegrias consoladoras.

TERCEIRA PROMESSA

«APRESSA-TE, MINHA FILHA, A PEDIR POR ESTE POVO CULPADO! É NOS MISTÉRIOS DA MINHA SANTA INFÂNCIA QUE ENCONTRARÁS GRAÇA E MISERICÓRDIA PARA A TUA PÁTRIA!»

Esta promessa, como também a anterior, foi feita à Venerável’ Margarida do Santíssimo Sacramento. E como é bela e amável! O Menino Jesus que veio aplacar a ira de Deus indignado pelos inúmeros pecados da humanidade caída, agora pede, insiste, exige que os homens recorram com confiança a Ele, — tão encantador e tão nosso, — pedindo-Lhe perdão pelos pecados alheios num sentimento de reparação colectiva e universal, para que os povos não sejam severamente castigados. «Apressa-te!». Não só nos «obriga» a pedir misericórdia pelo povo culpado mas a pedir-Lha imediatamente, sem demora. Esta promessa faz-nos pensar nas palavras ardentes de S. Paulo quando escrevia sob o impulso do Espírito Santo:
«O amor de Cristo nos constrange» (II Cor. V, 13).

Nós podemos e devemos orar e sacrificar-nos, não só por uma ou por algumas pessoas em particular, mas pela nossa Pátria, e pelo mundo inteiro.

Sim, hoje e sempre, levantemos as nossas mãos suplicantes ao céu para que o Menino Jesus abençoe Portugal.

 




 

 
COROINHA DO MENINO JESUS DE PRAGA Imprimir e-mail

O que é a Coroinha.

Entre tantas práticas piedosas com que se costuma honrar o Divino Menino Jesus Milagroso de Praga, não há nenhuma mais eficaz do que a devoção ao terçozinho — mais conhecido com o nome de coroinha — do Menino Jesus. Esta devoção deve-se à Venerável Margarida do Santíssimo Sacramento, Carmelita. Esta digna filha de Santa Teresa, morta em perfume de santidade em 1643, tornou-se célebre pela sua grande devoção ao Menino Jesus e pelo seu zelo em o propagar. Por inspiração divina fez um pequeno terço que compôs de três Pai-Nossos para honrar a Sagrada Família e de 12 Avé-Marias, em honra dos doze primeiros anos do Menino Deus. Jesus mostrou à fiel propagandista do seu culto quanto esta prática Lhe era agradável. Fez-lhe ver, numa revelação, estes pequenos terços brilhando com uma luz sobrenatural, prometendo-lhe que quem os trouxesse e recitasse com devoção conservaria a pureza e a inocência, bem como derramaria sobre ele toda a espécie de graças e bênçãos.

Na fórmula da bênção da Coroinha, o Sacerdote diz:
«Afastai, Senhor, daqueles que trazem e recitam esta coroa, em honra dos doze anos da Santa Infância de Jesus, os demónios que espalham o mal, afugentai os inimigos, tanto da alma como do corpo, livrai-os de todos os perigos, protegei-os sempre e fazei que cheguem seguramente ao porto da vida eterna».

Que todos os devotos do Menino Jesus se armem com este precioso tesouro, estimulados pelas palavras da Venerável Margarida do Santíssimo Sacramento:
«Que todos tragam consigo e recitem a coroinha do Menino Jesus como memorial das suas grandezas e como um laço que nos liga a Ele».

Maneira de recitar a Coroinha:

Beija-se a medalha dizendo: «Divino Menino Jesus, abençoai-nos!»
Dizem-se a seguir 3 Pai-Nossos (em honra da Sagrada Família) sobre as três primeiras contas que seguem à medalha, fazendo preceder cada Pai-Nosso destas palavras: «O Verbo se fez carne, e habitou entre nós!”
Nas doze contas seguintes reza-se uma Avé-Maria por cada conta, fazendo preceder cada Avé-Maria destas palavras: «Divino Menino Jesus, abençoai-nos. Eu Vos adoro na idade de um ano».
Na seguinte conta: «…Eu Vos adoro na idade de dois anos». E assim sucessivamente até rezar as doze Avé-Marias.

 

 

 
O DIA 25 DE CADA MÊS Imprimir e-mail

Explicação:
Se é verdade que o Menino Jesus, todos os dias, atende solícito as súplicas fervorosas dos seus devotos, há um dia porém em que Ele deseja ser honrado duma maneira especial e em que a mãos cheias distribui bênçãos e graças com uma generosidade assombrosa

É que esse dia representa o aniversário da sua Incarnação nas entranhas puríssimas de Maria e o aniversário do seu Nascimento neste mundo. Dois mistérios que são os fundamentais e principais da Infância de Jesus.
E compreende-se que aquele Jesus que disse: «tudo o que pedirdes pelos méritos da minha Infância vos será concedido», nesse ditoso dia 25 de cada mês, distribui graças sem medida.

A este respeito é interessante o que diz Santa Teresinha do Menino Jesus:
«E esse milagre tão desejado fê-lo Deus no dia 25 de Dezembro de 1886, que ficou a ser para mim uma data inolvidável, pois nessa festa do Natal, nessa noite abençoada, Jesus, meigo Infante de uma hora, trocou a noite da minha alma em torrente de luz. Ao revestir-se por meu amor da fraqueza e pequenez mortal encheu-me de fortaleza e coragem; e empunhando assim as suas armas, fui caminhando de vitória em vitória, dando princípio a uma carreira de gigante». (História duma Alma, cap. V).

Que o dia 25 de cada mês seja para os devotos do Menino Jesus como um dia de festa espiritual.
Era bom que todas as pessoas nesse dia recebessem Jesus no sacramento da Eucaristia, recitassem a coroinha e rezassem os mistérios da Infância de Jesus!

 

 

 
NOVENA AO MENINO JESUS DE PRAGA Imprimir e-mail

(Desde o dia 16 até ao dia 25 de cada mês)

Explicação:
O dia 25 de cada mês é como que dia de festa para os amigos do Menino Jesus, e é também o dia em que o «Pequeno-Grande» mais abundantemente derrama as suas bênçãos divinas. Fique bem gravado nas nossas almas o que diz do dia 25 a Venerável Margarida do Santíssimo Sacramento:
«Este dia é precioso pelas grandes graças que o Divino Menino se digna conceder. Estas graças são reflexo das que derramou sobre as almas que na ocasião do seu Nascimento tiveram a felicidade de se aproximarem dEle».
O número e a grandeza dos favores, que o Menino Jesus costuma conceder no dia 25, depende em grande parte das disposições espirituais com que nos preparamos para esse feliz dia.

Maneira de rezar a Novena:

Em nome do Pai, etc. Acto de contrição.

PRIMEIRO DIANeste dia honraremos o Divino Coração do Menino Jesus.

Ó Divino Menino Jesus, dulcíssimo cordeiro de Deus, eu me prostro diante de Vós e adoro o Vosso Santíssimo Coração ardente de amor por Vosso Pai e por nós. Vós sois verdadeiramente o Deus de amor de quem é próprio amar e querer ser amado. A Vossa bondade é tal que sois levado a fazer-me bem, embora eu tantas vezes Vos tenha ofendido! Vós não Vos fizestes pequenino senão para me fazerdes compreender que não sois senão bondade e que estais pronto a atrir-me a Vós. Vós dissestes que viestes para os pecadores que sofrem. Ó coração bondosíssimo do meu Jesus, como será possível não Vos amar? Como querer ainda ofender-Vos com os meus pecados? Como, sobretudo, não ter confiança em Vós que não rejeitais ninguém que Vos invoque e que tendes poder de apagar todos os nossos crimes e de reparar todos os males? A Vossa bondade manifesta-se nos nossos dias na piedosa imagem que Vos representa e pela qual Vós derramais os Vossos benefícios no universo inteiro. Espero que honrando-a alcançarei as vossas graças, mas a primeira que Vos peço é a de Vos amar.

SEGUNDO DIA Neste dia honraremos a Sagrada Cabeça do Menino Jesus

Ó Divino Menino Jesus, prostrado aos Vossos pés, adoro a Vossa sacratíssima cabeça coroada de glória e majestade. Vós sois o meu Criador e Supremo Rei. Que felicidade termos um Soberano como Vós! «O meu jugo é suave e o meu peso é leve. Vinde fazer a experiência de que sou manso e humilde de coração», dizeis Vós.
Divino Menino, fazei que acredite plenamente!
Eu Vos adoro humildemente e me alegro com as honras que recebeis em todo o Universo. Quero também honrar-Vos com todos os Vossos servos esperando receber com eles os Vossos favores preciosos. Peço-Vos sobretudo a graça de uma humilde submissão à Vossa divina vontade.

TERCEIRO DIANeste dia honraremos a Face meiga e pura do Menino Jesus.

Ó Divino Menino Jesus, eu me prostro a Vossos pés, para Vos honrar na Vossa face adorada! Que terna majestade, que doce e serena bondade! Não me admiro que todo o mundo se sinta atraído por Vós. Oh! atraí-me também a Vós pelo poder dos Vossos encantos puríssimos e arrastai-me até aos braços do Vosso Pai.
Senhor Jesus, mostrai-me a Vossa face favorável, e serei salvo! Muitas vezes os pecadores têm visto a Vossa imagem esconder a face santíssima ou mostrar-se triste ou severa. Eu Vo-lo peço: que não sejais para mim o Cordeiro irritado pois que me arrependo sinceramente das minhas faltas; mas sede o Cordeiro misericordioso que apaga os pecados do mundo.
Alegro-me por tantos fiéis terem sido atraídos pela Vossa graciosa imagem de Praga que a maldade dos ímpios deixou outrora sete anos na poeira; eu quero honrá-la para que Vos digneis atender-me e abençoar-me. Eu Vos peço em particular o perdão dos meus pecados e o desprendimento das criaturas.

QUARTO DIANeste dia honraremos os Pèzinhos sagrados do Menino Jesus

Ó Divino Menino Jesus, prostro-me a Vossos pés mil vezes benditos. Beijo-os com respeito e amor! Vós os fatigastes e feristes por mim, Divino Menino, durante a Vossa vinda do Egipto na Vossa viagem para Jerusalém quando tínheis doze anos. Mais tarde, deixai-los trespassar sobre a árvore da Cruz, para me resgatar do pecado e me oferecer a salvação. Como Madalena reconhecida, eu quero beijá-los e lavá-los com as minhas lágrimas. O Divino Rei, julgo-me feliz de saber que na Vossa imagem de Praga, Vós percorreis o mundo inteiro, recebendo por toda a parte honras divinas e a eleição dos corações. Espero que sendo um dos Vossos dedicados adoradores, terei parte na promessa que fizestes:
«Quanto mais me honrardes, mais Eu vos favorecerei».
O favor que em primeiro lugar solicito é o de seguir sempre pelos caminhos da verdade e da justiça e de fazer tudo pelo Deus que me criou.

QUINTO DIANeste dia honraremos as Mãos divinas do Menino Jesus.

Ó Divino Menino Jesus, prostro-me a Vossos pés, adoro as Vossas mãos santíssimas, puríssimas e cheias de bênçãos. Reconheço que sou com tudo o que existe, a obra da omnipotência das Vossas Mãos. Ó Mãos criadoras, que sustentais o universo! Ó Mãos benfeitoras, que derramais os Vossos dons sobre as criaturas e os Vossos favores sobre os que Vos imploram! Consenti que eu poise em Vós os meus lábios repetindo: Sede mil vezes bendito por todos os Vossos benefícios.
Ó Divino Menino Jesus, eu Vos bendigo por todas as bênçãos que distribuis àqueles que veneram a Vossa Santa Imagem de Praga; outrora os hereges desprezaram-na e mutilaram as suas mãos, mas tornou-se por isso mais venerável e querida aos nossos corações.

SEXTO DIANeste dia honraremos a Boca e os Lábios Santíssimos do Menino Jesus

Ó Divino Menino Jesus, prostrando-me aos Vossos pés, adoro a Vossa boca sagrada. Durante a Vossa infância ela calou-se e, quando falou, não proferiu senão palavras de súplica a Seu Pai, cheias de zelo e caridade pelo próximo.
Ó lábios divinos, dos quais dimana a sabedoria, instruí-nos! Ensinai-nos a guardar silêncio quando for preciso, e a falar a propósito, como convier e sempre conforme a verdade! Ensinai-nos a fugir da maledicência e duplicidade de toda a palavra áspera e altiva ou escandalosa para com o próximo.
Diz-se que algumas vezes fizestes ouvir a Vossa dulcíssima voz pela Vossa Imagem de Praga. As maravilhas que por seu intermédio operais são tantas, que parecem dizer-nos a todos:
«Vós todos, os que sofreis, vinde a Mim e Eu vos aliviarei. Pedi e recebereis; ponde-vos ao Meu serviço e encontrareis a paz da alma».

SÉTIMO DIANeste dia honraremos os santíssimos e pacientíssimos Ouvidos do Menino Jesus

Ó Divino Menino Jesus, prostrado aos Vossos pés, adoro os vossos santíssimos ouvidos sempre prontos a escutar-me. Quantas vezes eles foram feridos pelas impiedades que se proferiram!
De coração deploro tantas blasfémias atiradas contra o Vosso Santo Nome. Apesar da minha indignidade eu Vos peço que não afasteis os Vossos ouvidos das minhas súplicas, e que Vos torneis atento ao clamor do meu coração. Divino Menino que sois a própria bondade, ouvi-me, como tendes ouvido a tantos outros. Concedei-me o que Vos peço para a maior glória de Deus, Vossa honra e minha salvação.
Diante da Vossa Santa Imagem eu Vos peço, sobretudo, a virtude da paciência que é tão necessária. Que com o socorro da Vossa graça eu não ceda jamais ao desânimo, nem à cólera ou vingança, nem ao despeito!

OITAVA DIANeste dia honraremos os Olhos do Menino Jesus cheio de modéstia e doçura

Ó Divino Menino Jesus, prostrando-me diante de Vós, adoro humildemente os Vossos olhos a que nada se esconde. O Vosso olhar penetra o mais recôndito das consciências, no mistério dos nossos pensamentos. De que serve dissimular, enganar, esconder-nos para cometer o mal! Vós tudo vedes; nada escapa à Vossa penetração.
Se me tivesse lembrado sempre desta verdade, não teria tido a temeridade de Vos ofender nem ultrajar com os meus crimes. Ó Jesus! Que nunca cesse de os chorar até à morte.
Jesus, que chorastes de compaixão à vista das aflições dos homens, tende piedade de mim, pobre pecador e fazei-me misericórdia. Diante da Vossa Santa Imagem eu Vos peço a graça de viver sempre na presença de Deus e de ser modesto nos meus olhares, segundo o conselho do Espírito Santo.

NONO DIANeste dia honraremos o Santo Menino Jesus com a Santíssimo Virgem e S. José; e a exemplo do Menino Jesus, honremos Maria e José

Ó Divino Menino Jesus, prostrado aos Vossos pés com Maria, Vossa Santa Mãe e S. José, eu Vos adoro como Meu Senhor e Meu Deus. Em vista da complacência que o Vosso Pai tem em Vós e do amor com que Vos olha o Espírito Santo, não tenho nada melhor para Vos oferecer do que as piedosas homenagens dos Vossos Santos Pais e todos os serviços que eles Vos fizeram durante a Vossa Santa Infância. Com que ternura e dedicação eles Vos serviram!
E Vós, ó Divino Menino, Vós, o mais obediente e amante dos filhos, Vos submetestes às suas ordens, respeitadas pela sua autoridade, cheio de reconhecimento e afeição. Pelo amor que Vós lhes tendes eu Vos peço que tenhais piedade de mim!
E Vós, ó Maria, ó José, recomendai-me a este Filho bem amado! É sobretudo pela Vossa intercessão que eu espero encontrá-lO propício e favorável. Obtende-me por Ele um terno e verdadeiro amor.
Ó Divino Menino Jesus, eu Vos bendigo por me terdes dado Maria por Mãe e S. José por protector. Eu vos peço a graça duma constante devoção, tanto para com Maria, Vossa e nossa Mãe, como para com o glorioso S. José!

 

 

 
OUTRA NOVENA MAIS BREVE Imprimir e-mail

Pai Eterno! Eu Vos ofereço, para Vossa honra e glória, e para minha salvação eterna e de todo o mundo, o mistério do Nascimento do Nosso Divino Redentor.
Glória ao Pai, etc.

Pai Eterno! Eu Vos ofereço, para Vossa honra e glória, e para minha salvação eterna e de todo o mundo, o mistério dos sofrimentos da Santíssima
Virgem e de S. José na longa e penosa viagem de Nazaré a Belém, e a angústia dos seus corações por não encontrarem abrigo no momento de nascer o Salvador do mundo.
Glória ao Pai, etc.

Pai Eterno! Eu Vos ofereço, para Vossa honra e glória, e para minha salvação eterna e de todo o mundo, o Presépio em que nasceu Jesus, o frio que sofreu, as lágrimas que verteu e os seus ternos vagidos.
Glória ao Pai, etc.

Pai Eterno! Eu Vos ofereço, para Vossa honra e glória, e para minha salvação eterna e de todo o mundo, a dor que sentiu o Divino Menino Jesus no seu delicado corpinho quando se submeteu à circuncisão; eu Vos ofereço o sangue precioso que Ele então derramou pela primeira vez para salvação de todo o género humano.
Glória ao Pai, etc.

Pai Eterno! Eu Vos ofereço, para Vossa honra e glória, e para minha salvação eterna e de todo o mundo, a humildade, a mortificação, a paciência, a caridade e todas as virtudes do Divino Menino Jesus, e Vos agradeço, Vos amo e bendigo continuamente por este inefável mistério da incarnação
do Verbo Divino.
Glória ao Pai, etc.

O Verbo se fez carne. E habitou entre nós.

Oração — Ó Deus, cujo Unigénito apareceu na substância da nossa carne, concedei, Vos suplicamos que por Aquele que reconhecemos externamente semelhante a nós, mereçamos ser reformados interiormente.
Assim seja.

 

 

 
ORAÇÃO PARA OBTER BOM SUCESSO NOS EXAMES Imprimir e-mail

(A experiência tem demonstrado que o Menino Jesus de Praga, protector especial das crianças e dos jovens, generosamente os ajuda nos momentos mais difíceis dos seus estudos, sobretudo nos exames, sempre que a Ele recorrem com confiança).

Ó Divino Menino Jesus de Praga! Vós sois infinitamente sábio e omnisciente! Vós sois a fonte de toda a sabedoria e ciência!

Humildemente prostrado a Vossos pés, Vos ofereço a minha alma e o meu coração e prometo guardar fielmente até à morte os Vossos mandamentos e honrar-Vos sempre como a meu Deus e Salvador único!

Eu recorro a Vós nas minhas presentes dificuldades e preocupações intelectuais! Pelos méritos da Vossa Santa Infância, Vos peço que aumenteis a minha inteligência e a minha memória e me concedais a graça de aproveitar sempre nos meus estudos.

Ó divino Menino Jesus de Praga, que à idade de 12 anos respondíeis com infinita sabedoria às difíceis perguntas dos doutores da Lei, fazei que eu, calmo e sereno, responda aos meus examinadores a fim de ser bem sucedido nos meus exames.
Tenho confiança em Vós, ó omnipotente Menino Jesus de Praga, porque sois o Protector das crianças e da juventude estudiosa e prometestes despachar benevolamente todos os pedidos feitos pelos méritos da Vossa Santa Infância.

Eu imploro esta graça com a mais viva instância. Divino Menino Jesus, confio plenamente em Vós! Sim, aqui estou, persuadido de que serei atendido.
Que assim seja!

Pai Nosso e Glória.
Divino Menino Jesus de Praga, protector dos estudantes, iluminai-me!

 

 

 
CONSAGRAÇAO DA FAMÍLIA AO MENINO JESUS Imprimir e-mail

Ó divino Menino Jesus, nosso Rei, humildemente prostrada aos Vossos pés, sob os auspícios de Maria e de São José, esta família Vos consagra os seus corações, as suas almas e todas as suas energias, para Vos servir sem nenhuma reserva. Nosso Salvador, quem nos dera ter um coração maior e mais perfeito para Vos honrar melhor! Por isso queremo-nos associar a outros corações desejando que Vos amem, Vos sirvam e Vos honrem cada vez mais. Desejaríamos inspirar a todos a devoção pela Santa Infância!
Dignai-Vos, ó Divino Menino Jesus, Rei da Glória, mostrar nesta oração, toda a omnipotência da Vossa pequenez e que a Vossa pureza, a Vossa simplicidade e a Vossa inocência cubram com favores espirituais e temporais todos os que Vos rendem preito.
Assim seja.

 

 

 
O Papa e o Menino Jesus de Praga Imprimir e-mail

O PAPA E O MENINO JESUS DE PRAGA

No dia 26 de Setembro de 2009, dando início à visita que fez à República Checa, o Papa Bento XVI visitou a igreja de Nossa Senhora da Vitória onde se venera a imagem do Menino Jesus de Praga.

Aqui ficam as palavras que o Papa pronunciou no Santuário de Praga. Neste dia o Santo Padre coroou a imagem do Menino Jesus. Este gesto indica que toda a nossa vida deve estar centrada em Cristo, nosso Rei e Senhor.

A imagem do Menino Jesus faz-nos pensar imediatamente no mistério da Encarnação, no Deus omnipotente que se fez homem, e que, durante 30 anos, viveu numa família humilde de Nazaré, confiado na Providência e à guarda esmerada de Maria e de José. O meu pensamento vai para as vossas famílias e para as famílias do mundo inteiro, com as suas alegrias e dificuldades. À nossa reflexão unimos a oração, pedindo ao Menino Jesus o dom da unìdade e da concórdia para todas as famílias. Pensamos, sobretudo, nas mais jovens, que tanto se esforçam por dar aos seus filhos segurança e um futuro mais digno. Rezamos pelas famílias que vivem em dificuldade, provadas pela doença e pelo sofrimento, pelas que estão em crise, separadas ou dilaceradas pela discórdia e pela infidelidade. Confiamo-las todas ao Santo Menino de Praga, sabendo o quanto é importante a sua estabilidade e concórdia para o verdadeiro progresso da sociedade e do futuro da humanidade.
A imagem do Menino Jesus, com a ternura da sua infância, faz-nos perceber a proximidade de Deus e o seu amor. Compreendemos o quanto valemos a seus olhos porque, graças a Ele, também nós nos tornámos filhos de Deus. Cada ser humano é filho de Deus e, por conseguinte, nosso irmão; e, como tal, há-de ser acolhido e respeitado. Oxalá a nossa sociedade fosse capaz de compreender esta realidade! Cada pessoa humana seria, então, valorizada não por aquilo que tem, mas por aquilo que é, porque no rosto de cada ser humano, sem diferença de raça ou cultura, brilha a imagem de Deus.
Isto é válido sobretudo para as crianças. No Santo Menino de Praga contemplamos a beleza da infância e a predilecção que Jesus Cristo sempre manifestou para com os pequeninos, como lemos no Evangelho (cfr Mc 10,13-16). Quantas crianças, ao invés, não são amadas, nem acolhidas, nem respeitadas! Quantas delas são vítimas da violência e de toda a espécie de exploração por parte de pessoas sem escrúpulos! Oxalá se dispense aos mais pequenos o respeito e a atenção que lhes são devidas: as crianças são o futuro e a esperança da humanidade.
Queridas crianças, gostaria de vos dirigir uma palavra especial a vós e às vossas famílias. Vós, que sois os predilectos no coração do Menino Jesus, aprendei a partilhar o seu amor, e, seguindo o seu exemplo, sede obedientes, gentis e caritativos. Aprendei a ser, como Ele, o conforto dos vossos pais. Sede verdadeiros amigos de Jesus e recorrei sempre a Ele com confiança. Rezai-Lhe por vós próprios, pelos vossos pais, parentes, professores e amigos; e rezai-Lhe também por mim. Obrigado mais uma vez pelo vosso acolhimento; enquanto imploro sobre todos vós a protecção do Divino Menino Jesus, da sua Mãe lmaculada e de S. José, abençoo-vos de todo o coração.

 
A história do Menino Jesus de Praga Imprimir e-mail

A HISTÓRIA DO MENINO JESUS DE PRAGA

Fernando II, imperador da Alemanha, para expressar sua gratidão a Nosso Senhor pela insigne vitória alcançada em uma batalha, construiu em 1620, na cidade de Praga, um convento de Padres Carmelitas. A Boémia passava por momentos muito difíceis, assolada por guerras sangrentas. A cidade de Praga era vítima das mais indizíveis calamidades. Neste contexto, chegam estes excelentes religiosos, cujo mosteiro carecia até do indispensável para sua sobrevivência. Nessa época, vivia em Praga a piedosa princesa Policena Lobkowitz. Sofrendo na alma as prementes necessidades dos Carmelitas, presenteou-os com uma pequena estátua de cera, de 48 cm., que representava um formoso Menino Deus, de pé, com a mão direita erguida em atitude de bênção. A mão esquerda segurava um globo dourado. O seu rosto era muito amável e gracioso. A túnica e o manto tinham sido confeccionados pela própria princesa. Esta, ao dar a estátua aos religiosos carmelitas, disse-lhes: "Meus padres, entrego-lhes o maior tesouro que possuo neste mundo. Prestem muitas honras a este Menino Jesus e nada lhes faltará." Os Carmelitas, muito agradecidos, receberam a estátua. Colocaram-na no oratório interno do convento, passando a ser venerada por aqueles bons religiosos, especialmente pelo Padre Cirilo.

Sem dúvida, este homem poderia receber o título de "Apóstolo do Divino Menino Jesus de Praga". A profecia da piedosa princesa cumpriu-se literalmente. Não tardaram a  manifestar-se os efeitos maravilhosos da protecção do Divino Menino. Muito rapidamente, e em várias ocasiões, verificaram-se inúmeros prodígios e as necessidades do mosteiro foram milagrosamente socorridas. Mais uma vez explode a guerra na Boémia. Em 1631, o exército da Saxónia apodera-se da cidade de Praga. Os Padres Carmelitas, prudentemente, acharam por bem transferir-se para Munique.

Durante esta época tão desastrosa, especialmente para Praga, a devoção ao Menino Jesus caiu no esquecimento. Os hereges destruíram a Igreja, saquearam o mosteiro, entraram no oratório interno, zombaram da estátua do Menino Jesus e quebraram-lhe as mãos, atirando-a com desprezo para trás do altar. No ano seguinte, com a retirada dos inimigos de Praga, os religiosos puderam retornar ao seu convento. Mas ninguém se lembrou da preciosa estátua. Por isto, sem dúvida, o mosteiro viu-se reduzido à miséria, como o resto da população. Os religiosos careciam de alimentos e dos recursos necessários para a restauração da sua casa.

Em 1637, após sete anos de desolação, o Padre Cirilo retornou a Praga. A Boémia, cercada de inimigos por todas os lados, corria o risco de sucumbir e, quem sabe, até de perder o dom inestimável da fé. Em meio a tais agruras, enquanto o Padre Guardião exortava os religiosos para que insistissem junto de Deus para colocar fim a tantos males, o Padre Cirilo aproveita para falar-lhe da inesquecível imagem do Divino Menino. Obtém licença para buscá-la e encontra-a, finalmente, entre os escombros detrás do altar. Limpou-a e cobriu-a de beijos e lágrimas. Estando ainda intacto o rosto da imagem, ele expô-la no coro para que os religiosos a venerassem. Estes, confiantes na sua protecção, ajoelharam-se diante do Divino Infante, implorando para que fosse o seu refúgio, fortaleza e amparo em todos os sentidos. A partir do momento em que a imagem foi colocada no seu lugar de honra, o inimigo bateu em retirada e o convento foi reabastecido de tudo que os religiosos necessitavam.

Certo dia, o Pe. Cirilo orava diante da imagem, quando ouviu claramente estas palavras: "Tende piedade de mim e eu terei piedade de Vós. Devolvei as minhas mãos e eu vos devolverei a paz. Quanto mais me honrardes, tanto mais vos abençoarei". Realmente a imagem estava sem as mãos, detalhe para o qual o Pe. Cirilo não atentara, de tão alegre que estava. Surpreso, o bom Padre correu imediatamente à cela do Padre Superior e contou-lhe o facto, pedindo-lhe para mandar reparar a imagem. O Superior negou-se a atendê-lo, alegando a extrema pobreza do convento. O humilde devoto de Jesus foi chamado a atender um moribundo, Benedito Maskoning, que lhe deu 100 florins de esmola. O Pe. Cirilo levou o dinheiro ao Superior, convicto de que poderia usá-lo para consertar a imagem. Mas o Superior achou melhor comprar outra imagem, ainda mais bela. E assim foi feito. O Senhor não demorou a manifestar o seu desagrado. No mesmo dia da inauguração da nova efígie, um candelabro que estava bem fixo e seguro na parede soltou-se e caiu sobre a imagem, despedaçando-a. O Padre Superior adoeceu e não pôde terminar o seu mandato. Foi eleito um novo Superior. O Pe. Cirilo volta a suplicar-lhe para consertar a imagem. Mais uma vez o seu pedido foi rejeitado. Sem desanimar, o Pe. Cirilo recorreu a Nossa Senhora. Mal terminara a sua oração, chamam-no à igreja. Aproxima-se dele uma senhora de aspecto venerável, que lhe entrega uma vultosa esmola. Esta senhora desaparece sem que ninguém a tivesse visto entrar nem sair da igreja. Cheio de alegria, o padre foi contar ao Superior o que se passara, mas este só lhe deu meio florim. Sendo tal soma insuficiente para restaurar a imagem, tudo voltou à estaca zero. Novas calamidades recaíram sobre o convento. Os religiosos não podiam pagar as despesas de uma propriedade improdutiva que haviam arrendado. Os rebanhos morreram, a peste devastou a cidade. Muitos carmelitas, inclusive o Superior, foram açoitados.

Todos recorreram ao Menino Jesus. O Superior penitenciou-se e prometeu celebrar 10 missas diante da estátua e propagar o seu culto. A situação melhorou consideravelmente, mas como a imagem continuava no mesmo estado, o Pe. Cirilo não se cansava de se lamentar diante do seu generoso protector, quando ouviu dos seus divinos lábios estas palavras: "Coloca-me na entrada da sacristia e encontrarás quem se compadeça de mim". Com efeito, apareceu um desconhecido que, notando o belo Menino desprovido de mãos, ofereceu-se espontaneamente para as colocar, não demorando a ser recompensado: em poucos dias ganhou uma causa quase perdida, com a qual salvou a sua honra e a sua fortuna. Os inúmeros benefícios alcançados por intermédio do milagroso Menino multiplicavam dia a dia o número dos seus devotos. Por isso os carmelitas desejavam construir-lhe uma capela pública, considerando que o lugar onde deveriam levantá-la já fora indicado pela Santíssima Virgem ao Pe. Cirilo. Porém, faltavam os recursos e, além do mais, tinham medo de iniciar esta nova construção num tempo em que os calvinistas estavam arrasando todas as igrejas. Contentaram-se em colocar a imagem na Capela exterior, sobre o altar-mor, até 1642, quando a princesa Lobkowitz mandou construir um novo santuário, inaugurado em 1644, no dia da festa do Santíssimo Nome de Jesus. Vinham pessoas de todas as partes para se prostrar diante do milagroso Menino: pobres, ricos, enfermos, toda a espécie de pessoas se referiam a Ele como remédio para todas as suas tribulações. Em 1655, o Conde Martinitz, Grão Marquês da Boémia, brindou a imagem com uma preciosa coroa de ouro cravejada de pérolas e diamantes. O Reverendo D. José de Corte colocou-a no Menino numa solene cerimónia de coroação. Graças e maravilhas incontáveis atribuídas ao "pequeno Grande" (assim chamam na Alemanha o Menino Jesus de Praga), divulgaram-se nas regiões mais longínquas, o que fez o seu culto espalhar-se até aos nossos dias de uma maneira prodigiosa.

A devoção ao Menino Jesus de Praga foi acolhida com amor em todas as nações. Mosteiros, colégios, escolas e famílias têm-lhe dedicado magníficos tronos. Numerosas paróquias possuem a estátua real e, em todos os lugares em que o honram, o Menino Jesus de Praga derrama inestimáveis favores sobre os seus devotos. O Divino Menino deseja cumulá-los de graças.

Veneremo-lo, tornemo-lo conhecido e amado, e ele nos abrirá os tesouros da sua bondade. As práticas de piedade estabelecidas em honra do Menino Jesus de Praga são inumeráveis, mas aquelas pelas quais ele tem revelado a sua especial complacência são: a Ladainha do Nome de Jesus; a recitação de 5 pai nossos, ave marias e glórias, seguidos da jaculatória: "Bendito seja o Nome do Senhor agora e por todos os séculos", que também deve ser repetida 5 vezes; a oração eficaz do Padre Cirilo; a oração do Rosário do Menino Jesus; e, finalmente, a celebração da sua festa, que é a festa do Seu Santíssimo Nome, no Segundo Domingo após a Epifania.

A leitura da história do milagroso Menino Jesus de Praga leva-nos a perceber que, frequentemente, as graças solicitadas são concedidas após uma novena de súplicas e orações rezadas em sua honra. Também se nota que graças especiais são facilmente obtidas nas seguintes situações: quando se mandam celebrar missas, doam-se esmolas aos pobres em seu nome e quando os devotos se propõem participar dos sacramentos e a publicar as graças recebidas.

Por meio desta nova e simpática manifestação do amor divino, Jesus deseja pôr fim a uma calamidade actual que se generalizou pelo mundo inteiro: a perdição da infância causada pela educação anticristã. Nosso Senhor Jesus Cristo, que sempre demonstrou um amor de predilecção às crianças, manifesta claramente, através desta devoção, o seu grande desejo de ser honrado de forma especial como Rei e Salvador da infância, e quer, por isto, transmitir ao mundo inteiro, especialmente às crianças, os méritos das humilhações sofridas em sua divina infância. Dediquemo-nos, pois, a honrar este amabilíssimo Menino, já que, tão abundantemente podemos obter as suas bênçãos. Particularmente vós, crianças inocentes, que tendes a graça de ser os preferidos do coração deste amoroso Menino Jesus, deveis professar uma fervorosa devoção ao Deus que se fez Menino como vós e para vós. Imitai as suas virtudes. Tendo-o como exemplo, sede obedientes, castos, amáveis, caridosos e piedosos.

Recorram a Ele com total confiança em todas as suas necessidades e lhe confiem todos os sofrimentos do coração de vocês. Rezem muito por vocês mesmos, pela Igreja, por seus pais, familiares, mestres e amigos. Amem-no sinceramente e em nada o desagradem. Entreguem-se a Ele o máximo que puderem. Dêem-lhe sua alma, seu corpo e coração, para que os conservem puros e inocentes. Para merecerem sua constante protecção, carreguem com amor sua medalha, beijem com respeito sua imagem. De vez em quando pratiquem em sua honra alguma mortificação.

Façam-lhe diariamente alguma oração que conheçam e deste modo experimentarão como é bom e generoso o Menino Jesus de Praga, o Menino Rei, o Deus enamorado das crianças.

 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments