Mensagem

O Santíssimo
Sacramento
Louvado Seja
A Todo o Momento

 
Início seta Espírito Santo
Espírito Santo
O Catecismo da Igreja ensina Imprimir e-mail

Imagem Activa

 

O Catecismo da Igreja ensina…

Não se pode crer em Jesus Cristo sem participar do seu Espírito. É o Espírito Santo que revela aos homens quem é Jesus. Pois “ninguém pode dizer que Jesus Cristo é o Senhor a não ser pelo Espírito Santo” (1 Cor 12,3). “O Espírito sonda todas as coisas, até mesmo as profundidades de Deus… O que está em Deus, ninguém, o conhece a não ser o Espírito de Deus” (1 Cor 2,10-11), Só Deus conhece a Deus por inteiro. Cremos no Espírito Santo por que Ele é Deus. (CIC § 152)
As três pessoas da Santíssima Trindade, é um só Deus em Três Pessoas distintas.   O Pai, o Filho e o Espírito Santo, possuem a mesma natureza divina, a mesma grandeza, bondade e santidade.  Apesar disso, através da história, a Igreja tem observado que certas actividades são mais apropriadas a uma pessoa que a outra. A Criação do mundo é mais apropriada ao Pai, a redenção ao Filho e  a Santificação, ao Espírito Santo.  Nenhuma das Três pessoas Trinitárias exerce mais ou menos poder sobre as outras.
Santo Agostinho, grande teólogo e doutor da Igreja,  tentou exaustivamente compreender este inefável mistério.  Certa vez, passeava ele pela praia,  completamente compenetrado, pediu a Deus luz para que pudesse desvendar o enigma.  Até que deparou-se com uma criança a brincar na areia. Fazia ela um trajecto curto, mas repetitivo.   Corria com um copo na mão até um pequeno buraco feito na areia, e ali despejava a água do mar;  sucessivamente voltava,  enchia o copo e o despejava novamente. Curioso, perguntou à criança o que ela pretendia fazer.  A criança lhe disse que queria colocar toda a água do mar dentro daquele buraquinho.  No que o Santo lhe explicou ser impossível realizar o intento. Aí  a criança lhe disse: “É muito mais fácil o oceano  todo ser transferido para este buraco, do q compreender-se o mistério da Santíssima Trindade”. E a criança, q era um anjo, desapareceu… 
Santo Agostinho concluiu que a mente humana é extremamente limitada para poder assimilar a dimensão de Deus e, por mais que se esforce, jamais poderá entender esta grandeza por suas próprias forças ou por seu raciocínio. Só o compreenderemos plenamente, na eternidade, quando nos encontrarmos no céu com o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

 

 
Espírito Santo, fogo que alastra Imprimir e-mail

Espírito Santo é "fogo que se alastra”


O Espírito é a força motora, indicadora do caminho da missão da Igreja.

"Superabundância incontida, riqueza criadora, fonte borbulhante, fogo que se alastra". A manifestação do Espírito Santo deu início à última fase da história da salvação.
"Este acontecimento da vinda do Espírito Santo tem uma projecção para o futuro, para o momento em que todas as nações subirão a Jerusalém, para celebrar a festa em que o Senhor voltará trazendo consigo a Jerusalém celeste".

Pentecostes é a festa celebrada 50 dias após a Páscoa, na qual os cristãos revivem o momento do surgimento da Igreja, há cerca de 2 mil anos. O Espírito Santo foi derramado sobre apóstolos e a Mãe de Jesus que estavam  rezando em Jerusalém. Após o facto, eles passaram a evangelizar sem medo de perseguições.
No dia de Pentecostes, estavam reunidos naquele mesmo lugar, os discípulos, quando Jesus tinha comido a Páscoa e instituído o Sacramento da Eucaristia e do Sacerdócio. Agora, para esperar o Espírito Santo. E o Espírito Santo veio, se manifestou, desceu sobre eles na forma de chamas ardentes.
Os judeus celebravam também o seu Pentecostes. Era uma festa agrícola que concluía o tempo pascal da colheita do trigo. Pentecostes, para nós, é uma festa que conclui o nosso tempo da Páscoa com o acontecimento da vinda do Espírito Santo. É uma colheita completa do dom de Deus da nossa salvação que nos deu Jesus como nosso único salvador e redentor e o Espírito Santo para ser a alma da Igreja, para transformar a cada um de nós, no baptismo, em filhos de Deus, para nos restabelecer também todas as vezes que cairmos e nos arrependermos e pedir perdão, para nos refazer como filhos de Deus muito queridos.
O Pentecostes cristão tem tudo de acontecimento conclusivo. O dom do Espírito Santo que se tornou visível sob a forma de línguas de fogo para fazer os discípulos capazes de anunciar o Evangelho a todas as nações, prefiguradas sob os 17 povos elencados na descrição do livro dos Actos dos Apóstolos.
Este acontecimento da vinda do Espírito Santo tem uma projecção para o futuro, para o momento em que todas as nações subirão a Jerusalém, para celebrar a festa em que o Senhor voltará trazendo consigo a Jerusalém celeste.
São Paulo, falou-nos na Carta aos Coríntios e também na Carta aos Romanos como é precioso o dom do Espírito Santo, como é importante para nós. Ele trata, Paulo, a vida do homem que adere a Deus em contraposição ao homem sem Cristo. No momento, o homem unido a Cristo, o Espírito que é princípio de vida substitui a carne que é princípio de morte. Não se trata de uma contraposição externa, mas ela abraça o ser, o agir, o viver, o inclinar-se do homem. Contempla não somente o presente, mas também o futuro, porque dela depende o destino de vida ou de morte.
São Paulo pensa no homem completo. Carne significa, para ele, a pessoa fechada em si mesma, em seu egoísmo. O baptizado em Cristo recebeu o Espírito Santo, isto é, tornou-se aberto a Deus e ao próximo na caridade, por graça do Cristo.
A relação filial do baptizado com Deus é da mesma ordem do Unigénito de Deus, do Filho de Deus. Mesmo que a criatura humana não seja da mesma natureza, mas o é por adopção. A consequência é o direito, por herança, da glória que o Cristo já possui, porque a vida moral deve ser conduzida segundo o Espírito do amor, da caridade.
No evangelho, nós lemos que o Espírito Santo nos ensinará toda coisa. Jesus fala do Espírito já como no momento e despedir-se dos apóstolos, dos discípulos. Por isso Ele chama o Espírito Santo, "o outro consolador", porque o nosso primeiro consolador é Jesus. Ele continuará o papel até agora desempenhado por Jesus, no tempo de sua ausência.
O Espírito não é dado ao mundo, mas somente aos discípulos, isto é, a quantos respondem com amor ao amor do Pai. "Se alguém me ama, meu Pai o amará e nos viremos a ele".
A diferença e distinção entre o mundo fechado em seu egoísmo e aqueles que amam Jesus se revela na observância da sua Palavra. Quem ama Jesus, será amado pelo Pai, o qual mandará o Espírito Santo, que será para a Igreja e para cada cristão voltado para Ele, a força dinâmica que faz viva e sempre actual a interpretação da palavra revelada.
É interessante observar como os inícios da Igreja têm aspectos iguais aos inícios da vida de Cristo. Jesus inicia sua actividade evangelizadora com o discurso na sinagoga de Nazaré, depois de ter recebido o baptismo. A Igreja começa a sua missão com o discurso de Pedro em Jerusalém, depois de ter recebido o baptismo do Espírito.
A efusão do Espírito é um acontecimento que diz respeito a todo o futuro da Igreja, porque dá origem à comunidade cristã que existirá até o último dia do mundo. Começa, portanto, a última fase da história da salvação, na qual o mesmo Jesus, feito pela ressurreição Senhor da história, continua por meio do Espírito a sua actividade salvadora com uma dimensão universal. Todos foram repletos do Espírito Santo e começaram a falar.
A iniciativa e o conteúdo do anúncio é obra do Espírito Santo. O Espírito é a força motora, indicadora do caminho da missão da Igreja. O Espírito infunde força, coragem e liberdade de palavra para superar todas as dificuldades que os missionários encontrarão no exercício do anúncio do evangelho.
O Espírito não tem medida, mas é profissão de vida, superabundância incontida, riqueza criadora, fonte borbulhante, fogo que se alastra. "Mandai, Senhor, o vosso Espírito e toda a terra será renovada".
Ser discípulos e missionários de J. Cristo implica segui-Lo, viver em intimidade com Ele, imitar o seu exemplo e dar testemunho.
Com a protecção de Mãe de Deus e nossa, queremos ser fiéis servos como Ela, para aderirmos com amor à Pessoa de Jesus, vivendo o seu evangelho, a fim de que o mundo conheça Jesus, o único Salvador e Redentor.

 
Ladainha do Espírito Santo Imprimir e-mail

Ladainha do Espírito Santo


Senhor, tende piedade de nós.
Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Divino Espírito Santo, ouvi-nos.
Espírito Paráclito, atendei-nos.
Deus Pai dos céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo, tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Espírito da verdade, tende piedade de nós.
Espírito da sabedoria, tende piedade de nós.
Espírito da inteligência, tende piedade de nós.
Espírito da fortaleza, tende piedade de nós.
Espírito da piedade, tende piedade de nós.
Espírito do bom conselho, tende piedade de nós.
Espírito da ciência, tende piedade de nós.
Espírito do santo temor, tende piedade de nós.
Espírito da caridade, tende piedade de nós.
Espírito da alegria, tende piedade de nós.
Espírito da paz, tende piedade de nós.
Espírito das virtudes, tende piedade de nós.
Espírito de toda a graça, tende piedade de nós.
Espírito da adopção dos filhos de Deus, tende piedade de nós.
Purificador das nossas almas, tende piedade de nós.
Santificador e guia da Igreja católica, tende piedade de nós.
Distribuidor dos bens celestes, tende piedade de nós.
Conhecedor dos pensamentos e das intenções do coração, tende piedade de nós.
Doçura dos que começam servir-Vos, tende piedade de nós.
Coroa dos perfeitos, tende piedade de nós.
Alegria dos anjos, tende piedade de nós.
Luz dos patriarcas, tende piedade de nós.
Inspiração dos profetas, tende piedade de nós.
Palavra e sabedoria dos apóstolos, tende piedade de nós.
Vitória dos mártires, tende piedade de nós.
Ciência dos confessores, tende piedade de nós.
Pureza das virgens, tende piedade de nós.
Unção de todos os santos, tende piedade de nós.
Sede-nos propício, perdoai-nos, Senhor.
Sede-nos propício, atendei-nos, Senhor.
De todo o pecado, livrai-nos, Senhor.
De todas as tentações e ciladas do demónio, livrai-nos, Senhor.
De toda a presunção e desespero, livrai-nos, Senhor.
Do ataque à verdade conhecida, livrai-nos, Senhor.
Da inveja da graça fraterna, livrai-nos, Senhor.
De toda a obstinação e impenitência, livrai-nos, Senhor.
De toda a negligência e tibiez do espírito, livrai-nos, Senhor.
De toda a impureza da mente e do corpo, livrai-nos, Senhor.
De todas as heresias e erros, livrai-nos, Senhor.
De todo o mau espírito, livrai-nos, Senhor.
Da morte má e eterna, livrai-nos, Senhor.
Pela vossa eterna procedência do Pai e do Filho, livrai-nos, Senhor.
Pela milagrosa conceição do Filho de Deus, livrai-nos, Senhor.
Pela vossa descida sobre Jesus Cristo baptizado, livrai-nos, Senhor.
Pela vossa santa aparição na transfiguração do Senhor, livrai-nos, Senhor.
Pela vossa vinda sobre os discípulos do Senhor, livrai-nos, Senhor.
No dia do juízo, livrai-nos, Senhor.
Ainda que pecadores, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Para que nos perdoeis, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Para que vos digneis santificar todos os membros da Igreja, nós vos rogamos…
Para que vos digneis conceder-nos o dom da verdadeira piedade, devoção e oração…
Para que vos digneis inspirar-nos sinceros afectos de misericórdia e de caridade…
Para que vos digneis criar em nós um espírito novo e um coração puro…
Para que vos digneis conceder-nos verdadeira paz e tranquilidade do coração…
Para que vos digneis fazer-nos dignos e fortes, para suportar as perseguições pela justiça Para que vos digneis confirmar-nos em vossa graça…
Para que vos digneis receber-nos no número dos vossos eleitos…
Para que vos digneis ouvir-nos, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Espírito de Deus, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, enviai-nos o Espírito Santo.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, mandai-nos o Espírito prometido do Pai.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, dai-nos o Espírito bom.
Espírito Santo, ouvi-nos.
Espírito Consolador, atendei-nos.
V. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado.
R. E renovareis a face da terra.
Oremos:
Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, concedei-nos que no mesmo Espírito conheçamos o que é recto, e gozemos sempre as suas consolações. Por Cristo, Nosso Senhor.

 
Ao Espírito Santo Imprimir e-mail

Ao Espírito Santo

Vinde, Espírito Divino,
Celeste Consolador.
E realizai nas almas
As obras do vosso amor.

Vinde, Espírito Divino,
Com o dom da Sapiência,
Ensinar a distinguir
A verdade da aparência.

Vinde, Espírito Divino,
Com o dom da Fortaleza,
Fazer crescer nossa fé
Com invencível firmeza.

Vinde, Espírito Divino,
Vinde ao nosso coração,
A mostrar-nos o caminho
Que conduz à salvação.

Dai certeza aos nossos passos,
Luz aos nossos pensamentos,
Para que sejam conformes
Com os vossos mandamentos.

Para que todos unidos
No fogo da caridade
Sejamos irmãos, agora
E por toda a eternidade.

 
Pentecostes com Maria Imprimir e-mail

PENTECOSTES COM MARIA

Fiéis às ordens de Jesus (Act 1,4-5), os onze Apóstolos não se afastaram de Jerusalém e esperaram o Espírito Santo, unânimes e perseverantes na oração, com Maria.
Hoje, como naquele tempo, Nossa Senhora acompanha-nos na espera do Espírito, aguardando connosco o Pentecostes. Não é exactamente como há dois mil anos, a diferença está na fé com que esperamos o Espírito Santo e em nos abandonarmos à Sua acção de Fogo transformador. Temos que estar dispostos a ser transformados pelo Fogo do Espírito.

Espírito Santo, amor nascido do Pai e do Filho,
 inspirai-me sempre o que devo pensar;
o que devo dizer;
como o devo dizer;
o que devo calar;
o que devo escrever;
o que devo fazer;
como devo agir, para alcançar a Vossa glória,
a salvação das almas
e a minha própria santificação.
                                          S. Tomás de Aquino

 
Os dons do Espírito Santo Imprimir e-mail

OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

O Espírito Santo confirma-nos com os seus sete dons. Os sete dons exprimem o simbolismo da plenitude do Espírito Santo e também a plenitude da experiência espiritual.
O Espírito Santo confirma-nos com os seus dons para nos configurar a Cristo, ao seu mistério, em ordem a acolher e a testemunhar a salvação pascal e em ordem a inserir-nos de um modo mais profundo também no mistério da pertença à Igreja e da participação nela.
É nesta perspectiva que devem ser vistos os chamados “dons do Espírito Santo”:
não enquanto “exclusivos” da Confirmação, porque o Espírito Santo age mesmo fora deste sacramento, mas devem ser vistos dentro da perspectiva do mistério da nossa iniciação e inserção em Cristo e na Igreja.

Vejamos cada um dos sete dons:

SABEDORIA (SAPIÊNCIA): é o dom de experimentar o sabor, o gosto “conatural” da vida de Deus, da sua vontade (bondade) amorosa, das realidades divinas e a alegria de servir o seu Espírito. A sabedoria das coisas vividas em Deus não resulta de nenhum esforço cerebral mas é dom do Espírito. Os simples «sabem» mais de Deus que os inteligentes...

ENTENDIMENTO (INTELIGÊNCIA): é o dom de compreender e penetrar a Palavra de Deus e alcançar o mistério do amor proclamado, que é Jesus Cristo, e ainda o dom de o actualizar. Trata-se do conhecimento íntimo de Jesus Cristo como mistério de Deus, não só o conhecimento do Cristo histórico, mas trata-se do “ser com Cristo” e da nossa vocação baptismal cristã. Este dom permite o discernimento da presença de Deus...
Entender os apelos de Deus não é uma questão de superioridade intelectual,
mas dom do Espírito àqueles que humildemente procuram a Deus...

CONSELHO: é o dom do discernimento da vontade amorosa de Deus na vida concreta,
dos seus apelos nas várias situações e acontecimentos da vida e do mundo, da descoberta dos valores evangélicos, de modo a viver uma vida santa e agradável a Deus.
É o dom da lucidez da fé para interpretar os acontecimentos.

FORTALEZA: Anima a nossa fidelidade quotidiana. Trata-se do dom da firmeza na opção por Cristo, da fidelidade à identidade cristã, da força para o “confessar” e anunciar,
para crescer na comunhão com Ele e na esperança nEle.
Trata-se também de um dinamismo de crescimento e de esperança em Jesus Cristo.
Perseverar no caminho da fé não é uma questão de temperamento forte mas um dom
àqueles que procuram e encontram em Deus a sua força...

CIÊNCIA (CONHECIMENTO): Trata-se do conhecimento da verdade e do erro.
O Espírito de Deus dá-nos aquilo que a linguagem teológica se chama «sensus fidei»,
uma espécie de «sexto sentido» da fé. Trata-se da ciência comum da vida cristã em ordem a «ler» a vida e a valorá-la à luz da Palavra de Deus. Faz a ligação entre a fé e a Vida.

PIEDADE: É o dom da relação confidente e de confiança alegre com Deus e de uma relação fraterna com os irmãos. O Espírito é Aquele que reza em nós, Aquele que nos dá a experiência da filiação divina. Ele testemunha interiormente em nós e cria em nós aquela à vontade da relação filial com Deus e ao mesmo tempo é Aquele que realiza a comunhão entre nós.

TEMOR DE DEUS: Trata-se da nossa dependência criatural, da nossa adoração de Deus e também das nossas limitações e das nossas fraquezas perante a santidade e a transcendência de Deus.
 Isto suscita no crente o desejo de uma conversão constante e permanente.

OS FRUTOS DO ESPÍRITO SANTO

1.Caridade;
2. Gozo (alegria interior)
3.Paz;
4.Paciência;
5. Benignidade;
6. Bondade;
7.Longanimidade;
8.Mansidão;
9. Fé;
10. Modéstia;
11. Temperança (continência);
12. Castidade.

Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a Vida
e procede do Pai e do Filho
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado.
Ele que falou pelos profetas! (Símbolo Niceno Constantinopolitano)

 
Frutos do Espírito Santo Imprimir e-mail

Frutos do Espírito Santo


Bem-aventurados cuja iniquidade foi perdoada.
A experiência do Espírito é fundamentada pela Salvação que chegou até nós.
Maior que a queda é o amor de Deus que me levanta.
Na carta aos Gálatas, Paulo nos dá a  receita, o caminho, a pedagogia a ser seguida...
Gálatas 5,13: ‘Vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não abuseis, porém, da liberdade como pretexto para prazeres carnais. Pelo contrário, fazei-vos servos uns dos outros pela caridade...’
A Lei que move é a lei do amor. Não vivam como se não existisse essa lei. Só a lei da liberdade, que é a lei do Espírito Santo, pode mudar a vida.
A diferença naquilo que fazemos se faz quando nos abrimos à efusão do Espírito Santo.
O Espírito Santo é o amor com que Deus se ama, é um amor forte, ‘violento’... é a força desse amor que é derramado sobre nós.
A minha missão, a minha prática, os meus trabalhos nas pastorais, todo o meu fazer foi invadido por esse amor.  Não se tratava mais de fazer por fazer, não era mais uma regra que se cumpria, mas fazia na liberdade da Lei do amor.
Por isso não vos apegueis aos prazeres carnais. Não usais da vossa liberdade para pecar.
A lei mais forte é a lei do amor, porém a palavra amor é desgastada. Com facilidade dizemos ‘eu te amo’, mas com muita rapidez esquecemos esse amor.
O amor que nos move é o amor que tudo suporta, que foi derramado com todos os frutos do Espírito Santo.
Toda a lei se encerra num só preceito: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.
A lei do amor une, respeita; a lei do amor quer o bem do outro. A lei do egoísmo é o contrário, a lei do mundo é aquela que o mais forte ‘devore’ o mais fraco, que ‘puxa o tapete’ do outro...
As nossas comunidades precisam ser regidas pela lei do amor, onde eu digo esse é o meu irmão.
Paulo dizia: Suportai-vos uns aos outros, e isso quer dizer dar o ombro para o irmão, suportar com eles as dificuldades.
Vença o mal com o bem!
Rompa com o circulo do ódio. Seja movido pela Lei do amor, que é a lei do Espírito Santo.
Extermine a lei da selva.
Deixai-vos conduzir pelo Espírito Santo. Dê o seu grito de libertação. Não precisa passar a vida toda quebrando a cara.
Quer ter uma vida diferente? Mude! Comece a ser diferente!
Se seu marido chegou enfezado em casa, não tenha a mesma atitude dele. Se não serão duas feras em casa...
Não continue repetindo sempre a mesma coisa. Faça diferente!
As obras as carne se opõe aos desejos do Espírito.
A primeira obra da carne é a fornicação - a pessoa que é movida pelo prazer da sexualidade,  mas o prazer passa muito rápido. Quando caímos no pecado, a atitude é de arrependimento. Não seja movido pelo prazer que não traz felicidade.
Idolatria – O homem que toma o lugar de Deus, põe pessoas e  coisas no lugar de Deus. Só Deus pode ser adorado.
Libertinagem – significa descontrole, descontrole da vida. Só em Deus encontramos a verdadeira felicidade
Feitiçaria – aqueles que buscam recursos exotéricos, é a busca pelo ocultismo. Tudo deve ser buscado em Deus.
Inimizades –  significa ódio, é todo tipo de contenda, de intriga declarada a alguém.
Ciúme – a pessoa quer tudo só para ela, é a pessoa possessiva. Tudo o que é bom dividimos com os outros.
Bebedeiras – São Paulo diz que haverá quedas, mas o Espírito Santo te ajudará nos seus impulsos. Não desistas de lutar!
O primeiro fruto do Espírito Santo é o amor.
Os frutos do Espírito são cultivados em cima do amor.
Você não pode sair desse Kairós sem estar alimentado com um encontro com Deus. Cultive o amor com o Senhor com pequenos gestos.
Quem ama todos os dias dá um sinal. O amor precisa de sinais.
Encontre-se com o Senhor diariamente.
Outro fruto é a alegria – é a felicidade de pertencer a Deus e no dia que descobrirmos isso vamos arrastar o mundo pelo nosso sorriso. Não é uma alegria passageira, é uma alegria permanente.
Eu sou feliz por ser católico!
Terceiro dom é a paz – a pessoa que tem o Espírito Santo tem paz, harmonia.
Paz é não criar necessidades, é nos contentar com o que Deus nos dá. Paz é simplicidade.
Uma outra virtude é a longanimidade - quer dizer paciência esperançosa.  Tenha paciência com as pessoas, elas erram, e você não pode condenar toda a vida de uma pessoa por um erro. O erro não é uma vida! Seja paciente com a mudança das pessoas.
Outro fruto é afabilidade – quer dizer doçura. Seja doce. Uma pessoa doce todo mundo quer estar perto.
E há a mansidão – quer dizer domínio pronto.
Que os frutos do Espírito Santo se manifestem em nós!

 
Sereis baptizados no Espíirto Santo Imprimir e-mail

“Sereis baptizados no Espírito Santo…” (Act 1,8)

É bom que fique claro que não se trata do Baptismo sacramental, mas de uma experiência da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, como diz o pregador do papa, frei Raniero Cantalamessa: “A efusão do Espírito Santo é o Baptismo em acção”. O que ele quer dizer com isto, que a experiência da efusão traz para fora tudo que recebemos no Baptismo Sacramental, é A Pessoa do Espírito Santo agindo em mim e em ti: “Mas recebereis o poder do Espírito Santo que virá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra” (Act. 1,8).
O baptismo no Espírito é o Pentecostes hoje: “Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se” (Cf. Act. 2,1-4).
A promessa do Pai, Jesus é o baptizador no Espírito: João Batista respondia a todos: “Eu baptizo-vos com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desatar a correia das suas sandálias. Ele vos baptizará com o Espírito Santo e com fogo” (Cf. Lc 3,16).
Ezequiel 36,25-26: “Derramarei sobre vós água pura e sereis purificados. Eu vos purificarei de todas as impurezas e de todos os ídolos. Eu vos darei um coração novo e porei em vós um espírito novo. Removerei do vosso corpo o coração de pedra e vos darei um coração de carne”.
Jesus fala a Nicodemos de uma Nova Vida: Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, te digo: se alguém não nascer do alto, não poderá ver o Reino de Deus!…se alguém não nascer da água e do Espírito, não poderá entrar no Reino de Deus” (Cf. Jo 3,3-5).
“Mas recebereis o poder do Espírito Santo que virá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra”. (Act. 1,8).
A promessa é para todos, não só para os inícios da Igreja, esta promessa é para hoje, para mim e para ti. O que devemos fazer? Pedro respondeu: “Convertei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão dos vossos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vós e vossos filhos, e para todos aqueles que estão longe, todos aqueles que o Senhor, nosso Deus, chamar”. (Act. 2,38-39).

 
Frutos do baptismo no Espírito Santo Imprimir e-mail

Frutos do baptismo no Espírito Santo:

1°- Reconstruir a Unidade que o pecado havia quebrado, desfeito, toda relação e submissão a Deus como Pai, recebemos de volta a graça que havíamos perdido;


2° - Reconhecer Jesus como messias e Senhor ressuscitado!


3° - Conversão e a Vida Nova no Espírito: Eu vos exorto: deixai-vos sempre guiar pelo Espírito, e nunca satisfaçais o que deseja uma vida carnal (Gl 5, 16-25);


4° - Assumir a filiação adoptiva, somos filhos de Deus e herdeiros das realidades do céu: “De facto, vós não recebestes espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes o Espírito que, por adopção, vos torna filhos, e no qual clamamos: “Abbá, Pai!”O próprio Espírito se une ao nosso espírito, atestando que somos filhos de Deus. E, se somos filhos, somos também herdeiros: herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, se, de facto, sofremos com ele, para sermos também glorificados com ele” (Cf. Rm 8,15-17);


5° - Conduz à santidade: “e revestir-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, na verdadeira justiça e santidade” (Efésios 4,24).

6° - Necessidade de viver toda esta novidade em comunidade: “Todos os que abraçavam a fé viviam unidos e possuíam tudo em comum; vendiam as suas propriedades e os seus bens e repartiam o dinheiro entre todos, conforme a necessidade de cada um. Perseverantes e bem unidos, frequentavam diariamente o templo, partiam o pão pelas casas e tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração” (Act. 2,44-46).

7° - Abertura para a missão e servir na Igreja com os Dons, carismas e frutos: “Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!” (I Coríntios 9,16).


Oração: Vinde Espírito Santo, vinde e enchei-me, restaurai-me, derramai-vos sobre mim como fostes derramado sobre os apóstolos no cenáculo com Maria. Vinde Espírito consolador e enchei os nossos corações com os vossos sete dons. Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos rectamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre das Suas consolações. Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

 

Webdesign Contabilidade Porto Porto Apartments